Todos os post de

WebMaster Comunidade Fidelidade

Tipos de cristãos: múmias, errantes, teimosos, meio-termo

Por | PALAVRA DA IGREJA

Na homilia de hoje, na capela da casa Santa Marta, o Papa Francisco fez uma breve lista dos vários tipos de cristãos que podemos encontrar ao longo da vida de fé: cristãos-múmias, cristãos errantes, cristãos teimosos, cristãos meio-termo – aqueles que se encantam diante de um belo panorama e ficam parados. Gente que por uma ou outra razão se esqueceu que o único caminho justo – como recorda o Evangelho do dia – é Jesus, que confirma a Tomé: “Eu sou o caminho, quem me viu, viu o Pai”.

“Um cristão que não caminha, que não percorre a estrada, é um cristão um pouco ‘paganizado’: fica ali, parado, não vai avante na vida cristã, não faz florescer as bem-aventuranças em sua vida, não faz obras de misericórdia… É estático. Desculpem-me a palavra, mas é como se fosse uma ‘múmia’, uma ‘múmia espiritual’. Parados… Não fazem mal, mas não fazem bem”.

Por outro lado, explicou Francisco, “a tragédia é ser teimosos e dizer ‘este é o caminho’ e não deixar que a voz do Senhor nos diga ‘volte atrás e retome o caminho certo’. E depois, existe a quarta categoria, a dos cristãos que caminham, mas não sabem para onde vão”.

“São errantes na vida cristã, vagantes. A vida deles é vagar, aqui e ali, e perdem assim a beleza de se aproximar de Jesus na vida de Jesus. Perdem o caminho porque vagam e, muitas vezes, esse vagar, vagar errante, os levam a uma vida sem saída: o muito vagar se transforma em labirinto e depois não sabem sair. Perderam o chamado de Jesus. Não têm bússola para sair e vagam; procuram. Há outros que no caminho são seduzidos por uma beleza, por algo e param na metade do caminho, fascinados por aquilo que veem, por aquela ideia, por aquela proposta, por aquela paisagem … E param! A vida cristã não é um fascínio: é uma verdade! É Jesus Cristo!”.

Observando o quadro, refletiu Francisco, podemos nos questionar. Como vai o “caminho cristão que iniciei no Batismo? Está parado? Errei o caminho? Vago continuamente e não sei aonde ir espiritualmente? Paro diante das coisas que gosto: a mundanidade, a vaidade” ou vou “sempre adiante”, tornando “concretas as Bem-aventuranças e as Obras de misericórdia?”. Porque “o caminho de Jesus – concluiu – é tão cheio de consolações, de glória e também de cruzes. Mas sempre com paz na alma”:

“Esta é a nossa pergunta do dia, façamo-la, cinco minutinhos … Como eu sou neste caminho cristão? Parado, errante, vagando, parando diante das coisas de que gosto ou diante de Jesus ‘Eu sou o caminho’? E peçamos ao Espírito Santo que nos ensine a caminhar bem, sempre! E quando nos cansarmos, façamos uma pequena pausa e avante. Peçamos esta graça”.

Fonte: Zenit

Roteiro – Discípulos dispostos a servir a Deus – 02 a 08 de Maio

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

Disto depende a saúde de sua célula. Bom encontro!

ATENÇÃO = NESTA CÉLULA faremos O PACTO da CONFIANÇA

Download do Roteiro desta Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 02 a 08 de Maio

==========================================================================================

Material para Membros => DISCURSO DO PAPA FRANCISCO

==========================================================================================

SEGUE ESTUDO PARA LIDERES= > ESTUDO BIBLICO PARA LIDERES DE CELULAS – PACTO DE CONFIANCA

IMPRIMIR A FORMULA PARA TODOS = Pacto de Confiança

==========================================================================================

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: LIVRETO DE BOAS VINDAS

Download da Tabela Periódica Bíblica = TABELA PERIODICA BIBLICA

Como ler a Bíblia = COMO USAR A BIBLIA

Milagre eucarístico na Polônia

Por | DESTAQUES

Milagre eucarístico na Polônia: hóstia sangrante é tecido cardíaco humano!

Muitas vezes, supostas “hóstias sangrantes” se revelam apenas mofo vermelho do pão. Há momentos extraordinários, porém, nos quais a hóstia que sangra, depois de devidamente analisada, se comprova verdadeiro tecido cardíaco humano!

Este é o caso milagroso anunciado nesta semana por dom Zbigniew Kiernikowski, bispo da diocese polonesa de Legnica:

“Em 25 de dezembro de 2013, durante a distribuição da Sagrada Comunhão, uma hóstia consagrada caiu ao chão e foi logo recolhida e depositada em um recipiente cheio de água (vásculo). Pouco depois, apareceram manchas de cor vermelha. O então bispo de Legnica, dom Stefan Cichy, estabeleceu uma comissão para analisar o fenômeno. Em fevereiro de 2014, um pequeno fragmento vermelho da hóstia foi separado e depositado em um corporal. A comissão ordenou a extração de amostragem a ser submetida a análises rigorosas por institutos reconhecidamente sérios. O anúncio final do Departamento de Medicina Forense (*) declara:

Na imagem histopatológica verificou-se que os fragmentos de tecidos contêm partes fragmentadas de músculo estriado transversal (…) O conjunto (…) se assemelha ao músculo cardíaco ao sofrer alterações que aparecem com frequência durante a agonia. Os estudos genéticos indicam a origem humana do tecido.

Em janeiro deste ano, apresentei a questão à Congregação para a Doutrina da Fé, no Vaticano. Hoje, conforme recomendado pela Santa Sé, ordenei que o vigário paroquial Andrzej Ziombro preparasse um local adequado para a exposição da relíquia, a fim de que os fiéis possam manifestar a sua adoração de modo apropriado”.

(*) Os primeiros exames foram feitos pelo Departamento de Medicina Forense da Universidade de Wroclaw, em janeiro de 2014, e exames adicionais foram realizados também pelo Departamento de Medicina Forense da Universidade Médica Pomerana de Szczecin. Foi este último que emitiu o parecer citado pelo bispo.

Este milagre do Corpo e Sangue de Cristo na Eucaristia se torna assim um dos vários cientificamente comprovados e oficialmente reconhecidos ao longo da história da Igreja.

AOS MEMBROS DAS CÉLULAS PAROQUIAIS DE EVANGELIZAÇÃO

Por | NOTÍCIAS

DISCURSO DO PAPA FRANCISCO
AOS MEMBROS DAS CÉLULAS PAROQUIAIS DE EVANGELIZAÇÃO

Prezados irmãos e irmãs, bom dia!

Saúdo-vos e sinto-me feliz por estar aqui no meio de vós para este dia de oração e de reflexão, mediante o qual desejais celebrar o reconhecimento oficial que a Igreja vos ofereceu com a aprovação definitiva dos vossos Estatutos. Mas por favor, não vos esqueçais de que os Estatutos só vos ajudam a ir em frente pelo caminho reto, mas é o carisma que realiza a obra! Por favor, não aconteça que por excesso de preservação dos Estatutos vós percais o carisma! Saúdo o padre «PiGi» Perini, enquanto lhe agradeço as palavras com as quais introduziu este momento, e sobretudo o zelo sacerdotal com que trabalhou, procurando ser dócil ao Espírito Santo e, como pároco, deu vida a esta realidade das Células paroquiais de evangelização, que se propagou em diversas regiões do mundo.

Vós tendes a vocação de ser uma semente mediante a qual a comunidade paroquial se interroga sobre o ser missionária, e por isso sentis irresistível dentro de vós o chamamento a ir ao encontro de todos para anunciar a beleza do Evangelho. Este desejo missionário exige, antes de tudo, a escuta da voz do Espírito Santo, que continua a falar à sua Igreja, impelindo-a a percorrer veredas às vezes pouco conhecidas, mas determinantes para o caminho da evangelização. Permanecer sempre aberto a esta escuta e prestar atenção a fim de que nunca se esgote devido ao cansaço ou às dificuldades do momento, é a condição para ser fiel à Palavra do Senhor e, ao mesmo tempo, constitui um encorajamento a superar os vários obstáculos que se encontram no caminho da evangelização.

Com o vosso compromisso quotidiano, e em comunhão com as outras realidades eclesiais, vós ajudais a comunidade paroquial a tornar-se uma família na qual se encontra a rica e multiforme realidade da Igreja (cf. Lumen gentium, 8). Encontrar-se nas casas para compartilhar as alegrias e as expectativas que estão presentes no coração de cada pessoa é uma experiência genuína de evangelização que se assemelha muito àquilo que já acontecia nos primeiros tempos da Igreja. Recorda-o são Lucas, nos Atos dos Apóstolos, quando menciona que os fiéis, «unidos de coração frequentavam todos os dias o templo. Partiam o pão nas casas e alimentavam-se com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e conquistando a simpatia de todo o povo» (2, 46-47). Vós, Células, desejais fazer vosso este estilo de vida comunitária, capaz de receber todos sem julgar ninguém (cf. Evangelii gaudium, 165). O nosso Juiz é o Senhor, e se vier aos teus lábios uma palavra de juízo acerca do outro ou sobre o próximo, cala a boca! O Senhor deu-nos o conselho: «Não julgueis para não serdes julgados!». Conviver com as pessoas em simplicidade, acolher todos. Por que motivo é preciso acolher todos? Para lhes oferecer a experiência da presença de Deus e do amor aos irmãos. A evangelização sente com força a exigência do acolhimento, da proximidade, porque é um dos primeiros sinais da comunhão que somos chamados a testemunhar, por termos encontrado Cristo na nossa vida.

Encorajo-vos a fazer da Eucaristia o âmago da vossa missão de evangelização, de tal forma que cada Célula seja uma comunidade eucarística, onde partir o pão equivale a reconhecer a presença real de Jesus Cristo no meio de nós. Aqui vós encontrareis sempre a força para propor a beleza da fé, porque na Eucaristia nós fazemos a experiência do amor que não conhece limites, e damos o sinal concreto de que a Igreja é «a casa paterna, onde há lugar para todos, com a sua vida fadigosa» (Evangelii gaudium, 47). Eis o testemunho: a Igreja é a casa paterna. Nela há lugar para todos, para todos! E no Evangelho Jesus diz: «Chamai bons e maus, todos, sem distinção».

Os vossos Estatutos foram aprovados no Domingo da Divina Misericórdia. Que possais dar sempre testemunho da ternura de Deus Pai e da sua proximidade a todos, principalmente a quantos são mais frágeis e sós. Que vos dirija o seu olhar misericordioso a Santa Mãe de Deus; e vos acompanhe também a minha Bênção. Por favor, recordai-vos de rezar por mim. Obrigado!

Agora, oremos a Nossa Senhora, todos juntos, à Mãe da Igreja, a Nossa Senhora da Ternura, para que nos ajude a ir em frente neste testemunho.

Ave Maria…

http://www.cellules-evangelisation.org/

Roteiro – Um retorno a Santidade II – 25 de Abril à 01 de Maio

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

Disto depende a saúde de sua célula. Bom encontro!

ATENÇÃO = NESTA CÉLULA faremos O PACTO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Download do Roteiro desta Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 25 Abril a 01 de Maio

==========================================================================================

Material para Membros => IGREJA E COMUNIDADE EM CÉLULAS

==========================================================================================

SEGUE ESTUDO PARA LIDERES= > ESTUDO BIBLICO PARA LIDERES DE CELULAS – PACTO DE TRANSPARENCIA

IMPRIMIR A FORMULA PARA TODOS = Pacto de Transparencia

==========================================================================================

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: LIVRETO DE BOAS VINDAS

Download da Tabela Periódica Bíblica = TABELA PERIODICA BIBLICA

Como ler a Bíblia = COMO USAR A BIBLIA

Lidando com pessoas difíceis

Por | FORMAÇÃO DE LIDERES, FORMAÇÕES

Os relacionamentos são naturalmente pautados por dificuldades relacionadas ao convívio entre diferentes personalidades. Algumas pessoas são mais calmas, outras mais agressivas; umas alegres, outras mais retraídas; enfim, cada ser humano é uma individualidade com valores e crenças próprias elaborados num complexo contexto de vida.

O que caracteriza uma pessoa difícil não são essas diferenças, e sim a maneira como ela lida com isso. Pessoas consideradas difíceis são as que não buscam entendimento, são inflexíveis e, ainda, tentam impor exigências. Relacionar-se com pessoas assim corresponde a grande aprendizado, afinal, há que se desprender maior esforço de compreensão.

Algumas dicas podem facilitar o convívio com esses indivíduos problemáticos:

  • 1- Olhe além das aparências

    É importante buscar a compreensão de que indivíduos mal-humorados e pessimistas, petulantes ou ainda arrogantes, usam dessas imagens como uma máscara ou falsa aparência, que esconde na verdade pessoas inseguras, extremamente infelizes e solitárias que apresentam elevado complexo de inferioridade. Tente compreender o contexto em que elas vivem e os valores que têm; esqueça rótulos do tipo vilão e vítima.

  • 2- Exercite a paciência e a benevolência

    Diante de pessoas cuja autoestima seja tão precária a ponto de não conseguirem encarar a si mesmo, a paciência é um exercício de piedade. A estratégia, então, é manter a tranquilidade e não agir pela emoção a fim de que a pessoa não consiga magoar você. Seja benevolente e gentil; pessoas que não buscam harmonia não sabem lidar com gentilezas e amabilidades, na verdade elas não se sentem capazes de agradar, então essas ações as desarmam totalmente.

  • 3- Questione com respeito

    A pessoa pode estar tão acostumada a pontuar o lado negativo das coisas ou só tratar mal as pessoas que nem percebe. Uma medida interessante é questionar a pessoa sobre quais as razões de sua hostilidade. Mas muito cuidado: confrontar não é recomendado; esse questionamento deve ser feito com muito respeito. Não deixe transparecer uma cobrança, apenas tente se aproximar e apontar os problemas que, talvez, ela não queira enxergar. Agindo afetuosamente ela pode ficar mais acessível.

  • 4- Não reaja às provocações

    Uma boa estratégia para conviver com pessoas que provocam irritabilidade é nunca reagir. Pense: reagir é agir a partir da ação delas, dessa forma você estará aceitando as provocações; ao passo que agindo a ação se inicia por você e não acontece como um revide. Reagindo tomamos a vontade do outro; agindo estabelecemos a nossa própria vontade. Então responder aos impropérios hostis com firmeza, mas sem revides é uma opção inteligente que traz inúmeras vantagens.

  • 5- Autoanálise

    Acredito que só há uma razão para julgarmos os atos alheios; buscar não cometê-los. Assim, ao nos depararmos com pessoas de difícil trato, muito recomendável seria se procedêssemos a uma autoanálise perguntando a nós mesmos: será que também não sou uma pessoa difícil? Muitas vezes o que nos irrita no outro pode ser o que não gostamos em nós mesmos. Tente se conhecer melhor!

    Com o tempo percebemos o quanto trabalhar bons relacionamentos pode gerar satisfação e bons sentimentos em nós mesmos. Então, naturalmente agimos e exemplificamos a disposição para harmonizar relacionamentos.

 

Roteiro – Um retorno a Santidade – 18 à 24 de Abril

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

Disto depende a saúde de sua célula. Bom encontro!

ATENÇÃO = NESTA CÉLULA faremos O PACTO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Download do Roteiro desta Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 18 a 24 de Abril

==========================================================================================

SEGUE ESTUDO PARA LIDERES= >   ESTUDO BIBLICO PARA LIDERES DE CELULAS – PACTO DE PRESTACAO DE CONTAS

IMPRIMIR A FORMULA PARA TODOS = Pacto Prestação Contas

==========================================================================================

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: LIVRETO DE BOAS VINDAS

Download da Tabela Periódica Bíblica = TABELA PERIODICA BIBLICA

Como ler a Bíblia = COMO USAR A BIBLIA

A alegria do amor: misericórdia e integração para todas as famílias

Por | NOTÍCIAS

“A alegria do amor” (Amoris Laetitia) é o título da Exortação Apostólica pós-sinodal que o Papa Francisco assinou em 19 de março passado, Solenidade de São José, e que foi apresentada nesta sexta-feira, 8 de abril, no Vaticano.

Baixe AQUI => papa-francesco_esortazione-ap_20160319_amoris-laetitia_po

Audio => AUDIO RADIO VATICANO

A Exortação tem nove capítulos e a oração final à Santa Família. O documento reúne os resultados dos dois Sínodos sobre a família convocados pelo Papa Francisco em 2014 e 2015.

 “À luz da Palavra”

No primeiro capítulo, o Papa indica a Palavra de Deus como uma “companheira de viagem para as famílias que estão em crise ou imersas em alguma tribulação, mostrando-lhes a meta do caminho”.

 “A realidade e os desafios das famílias”

Partindo do terreno bíblico, no segundo capítulo, o Papa insiste no caráter concreto, que estabelece uma diferença substancial entre teorias de interpretação da realidade e ideologias. “Sem escutar a realidade não é possível compreender nem as exigências do presente nem os apelos do Espírito”, aponta. “Jesus propunha um ideal exigente, mas não perdia jamais a proximidade compassiva às pessoas frágeis”.

“O olhar fixo em Jesus: a vocação da família”

O terceiro capítulo é dedicado a alguns elementos essenciais do ensinamento da Igreja sobre o matrimônio e a família. Ilustra a vocação à família assim como ela foi recebida pela Igreja ao longo do tempo, sobretudo quanto ao tema da indissolubilidade, da sacramentalidade do matrimônio, da transmissão da vida e da educação dos filhos. A reflexão inclui ainda as famílias feridas e o Papa recorda aos pastores que, “por amor à verdade, estão obrigados a discernir bem as situações”, já que o grau de responsabilidade não é igual em todos os casos: “ É preciso estar atentos ao modo como as pessoas vivem e sofrem por causa da sua condição”.

 “O amor no matrimônio”

O quarto capítulo trata do amor no matrimônio. O Papa faz uma reflexão acerca da «transformação do amor» ao longo do casamento. A aparência física transforma-se e a atração amorosa não desaparece, mas muda. «Não é possível prometer que teremos os mesmos sentimentos durante a vida inteira; mas podemos ter um projeto comum estável.

“O amor que se torna fecundo”

O quinto capítulo centra-se por completo na fecundidade e no caráter gerador do amor. Fala-se de gestação e adoção. A Amoris laetitia não toma em consideração a família «mononuclear», mas está consciente da família como rede de relações alargadas.

 “Algumas perspectivas pastorais”

No sexto capítulo, o Papa aborda algumas vias pastorais que orientam para a edificação de famílias sólidas. Fala-se também do acompanhamento das pessoas separadas ou divorciadas e sublinha-se a importância da recente reforma dos procedimentos para o reconhecimento dos casos de nulidade matrimonial. Coloca-se em relevo o sofrimento dos filhos nas situações de conflito e conclui-se: “O divórcio é um mal”. Fala-se da situação das famílias com pessoas com tendência homossexual, insistindo na recusa de qualquer discriminação.

“Reforçar a educação dos filhos”

O sétimo capítulo é totalmente dedicado à educação dos filhos, em todos os âmbitos, inclusive sexual. É feita uma advertência em relação à expressão «sexo seguro», pois transmite «uma atitude negativa a respeito da finalidade procriadora natural da sexualidade.

 “Acompanhar, discernir e integrar a fragilidade”

O capítulo oitavo é muito delicado, representa um convite à misericórdia e ao discernimento pastoral. O Papa usa aqui três verbos muito importantes: «acompanhar, discernir e integrar». O Papa escreve: «Os divorciados que vivem numa nova união, por exemplo, podem encontrar-se em situações muito diferentes, que não devem ser catalogadas ou encerradas em afirmações demasiado rígidas, sem deixar espaço para um adequado discernimento pessoal e pastoral».

O Papa afirma que «os batizados que se divorciaram e voltaram a casar civilmente devem ser mais integrados na comunidade cristã sob as diferentes formas possíveis, evitando toda a ocasião de escândalo». «A sua participação pode exprimir-se em diferentes serviços eclesiais.

Francisco profere uma afirmação extremamente importante para que se compreenda a orientação e o sentido da Exortação: «Se se tiver em conta a variedade inumerável de situações concretas (…) é compreensível que se não devia esperar do Sínodo ou desta Exortação uma nova normativa geral de tipo canônico, aplicável a todos os casos. É possível apenas um novo encorajamento a um responsável discernimento pessoal e pastoral dos casos particulares.

 “Espiritualidade conjugal e familiar”

O nono capítulo é dedicado à espiritualidade conjugal e familiar. O Papa afirma: «Nenhuma família é uma realidade perfeita, mas requer um progressivo amadurecimento da sua capacidade de amar.

Nota

Como já se pode depreender a partir de um rápido exame dos seus conteúdos, a Exortação apostólica não pretende reafirmar com força o «ideal» da família, mas a sua realidade rica e complexa. Há nas suas páginas um olhar aberto, profundamente positivo, que não se nutre de abstrações ou projeções ideais, mas de uma atenção pastoral à realidade. O documento é uma leitura densa de motivos espirituais e de sabedoria prática útil a cada casal ou a pessoas que desejam construir uma família. Nota-se sobretudo que foi fruto de uma experiência concreta com pessoas que sabem a partir da experiência o que é a família e o viver juntos durante muitos anos. A Exortação fala a linguagem da experiência e da esperança.

Folder para sua Lectio Divina

Por | DOWNLOADS, FORMAÇÃO DE LIDERES, LECTIO DIVINA

A leitura orante da Bíblia, ou LECTIO DIVINA, é um alimento necessário para a nossa vida espiritual. A partir desta oração, conscientes do plano de Deus e sua vontade, podemos produzir os frutos espirituais em nossa vida.

A LECTIO DIVINA é deixar-se envolver pelo plano amoroso e libertador de Deus. Santa Teresinha do Menino Jesus dizia, em seu período de aridez espiritual, que quando os livros espirituais não lhe diziam mais nada, ela buscava no Evangelho o alimento da sua alma.

BAIXE AQUI O FOLDER – Folder Lectio Divina

Como fazer a LECTIO DIVINA?

A LECTIO DIVINA tradicionalmente é uma oração individual, porém, podemos fazê-la em grupos. O importante é rezar com a Palavra de Deus lembrando o que dizem os bispos católicos no Concílio Vaticano II, relembrando a mais antiga tradição católica, que conhecer a Sagrada Escritura é conhecer o próprio Cristo. Os monges diziam que a LECTIO DIVINA é a escada espiritual dos monges, mas é também a de todo cristão!

Quais os passos da LECTIO DIVINA?

1) Oração inicial: Comece invocando o Espírito Santo, que nos faz conhecer e querer fazer a vontade de Deus. Reze, por exemplo, com a seguinte oração:

«Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. – Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado; e renovareis a face da terra. Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com as luzes do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo Senhor nosso. Amém.»

2) Leitura da Palavra de Deus: Leia, com calma e atenção, um pequeno trecho da Bíblia (aconselhamos que nas primeiras vezes utilize-se os textos dos Evangelhos, por serem mais familiares a todos). Se for preciso, leia o texto quantas vezes forem necessárias.

Procure identificar as coisas importantes deste trecho da Bíblia: o ambiente, os personagens, os diálogos, as imagens usadas, as ações. Você conhece algum outro trecho que seja parecido com este que leu? É importante que você identifique tudo isto com calma e atenção, como se estivesse vendo a cena. É um momento para conhecer e reconhecer a Boa Notícia que este trecho nos traz!

3) Meditar a Palavra de Deus: É o momento de descobrir os valores e as mensagens espirituais da Palavra de Deus: é hora de saborear a Palavra de Deus e não apenas estudá-la. Você, diante de Deus, deve confrontar este trecho com a sua vida. Feche os olhos, isto pode ajudar. É preciso concentrar-se!

4) Rezar a Palavra de Deus: Toda boa meditação desemboca naturalmente na oração. É o momento de responder a Deus após havê-lo escutado. Esta oração é um momento muito pessoal que diz respeito apenas à pessoa e Deus. É um diálogo pessoal! Não se preocupe em preparar palavras, fale o que vai no coração depois da meditação: se for louvor, louve; se for pedido de perdão, peça perdão; se for necessidade de maior clareza, peça a luz divina; se for cansaço e aridez, peça os dons da fé e esperança. Enfim, os momentos anteriores, se feitos com atenção e vontade, determinarão esta oração da qual nasce o compromisso de estar com Deus e fazer a sua vontade.

5) Contemplar a Palavra: Desta etapa a pessoa não é dona. É um momento que pertence a Deus e sua presença misteriosa, sim, mas sempre presença. É um momento no qual se permanece em silêncio diante de Deus. Se ele o conduzirá à contemplação, louvado seja Deus! Se ele lhe dará apenas a tranqüilidade de uns momentos de paz e silêncio, louvado seja Deus! Se para você será um momento de esforço para ficar na presença de Deus, louvado seja Deus!

6) Conservar a Palavra de Deus na vida: Leve a Palavra de Deus e o fruto desta oração para a sua vida. Produza os frutos da Palavra de Deus semeada no seu coração, frutos como: paz, sorriso, decisão, caridade, bondade, etc… Não se preocupe se alguma coisa não for bem, um dos frutos da Palavra de Deus é a noção do erro e a conversão pela sua misericórdia. O importante é que a semente da Palavra de Deus produza frutos, se 30, 60 ou 100 por um… o importante é que produza, e que o Povo de Deus possa ser alimentado pelos testemunhos de fé, esperança e amor na vivência de um cristianismo sincero.

Termine com a oração do Pai Nosso, consciente de querer viver a mensagem do Reino de Deus e fazer a sua vontade.

Roteiro – Tema Livre – 11 a 17 de Abril

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência. Disto depende a saúde de sua célula. Bom encontro!

Download do Roteiro desta Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 11 a 17 de Abril

==========================================================================================

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: LIVRETO DE BOAS VINDAS

Download da Tabela Periódica Bíblica = TABELA PERIODICA BIBLICA

Como ler a Bíblia = COMO USAR A BIBLIA