Todos os post de

WebMaster Comunidade Fidelidade

Papa Francisco: o trabalho é sagrado e dá dignidade para a família

Por | PALAVRA DA IGREJA

O Papa Francisco deu continuidade ao ciclo de catequeses sobre a família, nesta quarta-feira, 19. Após falar sobre a festa na semana passada, o Pontífice abordou hoje o trabalho. Aos fiéis presentes na Sala Paulo VI, o Santo Padre destacou que “o trabalho é sagrado” e “dá dignidade a uma família”. Por isso, é preciso “rezar para que não falte o trabalho em uma família”.

Francisco recordo que o trabalho “se aprende em família. A família educa ao trabalho com o exemplo dos pais: o pai e a mãe que trabalham pelo bem da família e da sociedade”.

Neste sentido, citou o exemplo da Sagrada Família de Nazaré, que “aparece como uma família de trabalhadores, e o próprio Jesus é chamado de ‘filho do carpinteiro’, ou até mesmo de ‘o carpinteiro’”.

Recordando as palavras de São Paulo, o Santo Padre alertou sobre o falso espiritualismo, aqueles que “vivem às custas dos irmãos e irmãs ‘sem fazer nada’”. Conforme explicou, na concepção cristã, não existe contraste entre o “compromisso do trabalho e da vida do espírito”.

“É importante entender bem isso! Oração e trabalho podem e devem estar juntos em harmonia, como ensina São Bento. A falta de trabalho danifica também o espírito, como a falta de oração danifica também a atividade prática”, ponderou.

O trabalho, sublinhou o Papa, “é próprio da pessoa humana” e “exprime a sua dignidade de ser criada à imagem de Deus”. “Por isso, se diz que o trabalho é sagrado. E por isso a gestão do trabalho é uma grande responsabilidade humana e social, que não pode ser deixada nas mãos de poucos ou descarregada sobre um mercado divinizado. Causar uma perda de postos de trabalho significa causar um grave dano social”.

Francisco declarou, então, que se entristece quando vê “que há gente sem trabalho, que não encontra trabalho e não tem a dignidade de levar o pão para casa”. Por outro lado, disse alegrar-se ao ver “que os governantes fazem tantos esforços para encontrar postos de trabalho e para buscar fazer com que todos tenham um trabalho”.

Ao citar a passagem do Gênesis na qual Deus confia ao homem o cuidado e o trabalho na “casa-jardim”, o Papa retomou algumas ideias da Encíclica Laudato Sì. “A beleza da terra e a dignidade do trabalho são feitas para estarem juntas”.

Então, advertiu o Papa, “quando o trabalho se distancia da aliança de Deus com o homem e a mulher, quando se separa das suas qualidades espirituais, quando é refém da lógica só do lucro e despreza os afetos da vida, a degradação da alma contamina tudo: também o ar, a água, a erva, o alimento… A vida civil se corrompe e o habitat se destrói. As consequências atingem sobretudo os mais pobres e as famílias mais pobres”.

Francisco alertou ainda que “a organização moderna do trabalho mostra, às vezes, uma perigosa tendência a considerar a família como um obstáculo, um peso, uma passividade para a produtividade do trabalho. Mas nos perguntemos: qual produtividade? A considerada ‘cidade inteligente’ é sem dúvida rica de serviços e de organização; porém, por exemplo, é muitas vezes hostil às crianças e aos idosos”.

Diante desse contexto, o Pontífice afirmou que “a família é um grande teste”. E observou: “Quando a organização do trabalho a tem como refém, ou até mesmo obstrui o seu caminho, então estamos certos de que a sociedade humana começou a trabalhar contra si mesma!”.

Neste cenário, Francisco declarou que as famílias cristãs têm uma grande missão, trazer os fundamentos da criação de Deus: “a identidade e a ligação do homem e da mulher, a geração dos filhos, o trabalho que torna doméstica a terra e habitável o mundo”.

E concluiu: “A perda destes fundamentos é algo muito sério, e na casa-comum já existem muitas fissuras! A tarefa não é fácil. É preciso fé e perspicácia”.

Roteiro – Atos de bondade e a fé verdadeira – 23 de agosto de 2015

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Roteiro para Célula Jovem –> ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA JOVEM – 23 de Agosto

Encontro

  • Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.

Exaltação

  • Salmo e músicas: Benção sobre benção!

Edificação

  • Escritura: Tiago 2.14-17

Partilha do Líder

É impressionante como temos uma facilidade de “espiritualizar” situações e necessidades vividas pelas pessoas ao nosso redor, que até nos comovem e nos fazem refletir sobre algumas atitudes nossas, mas que na verdade, não nos faz ter uma atitude ativa diante da necessidade exposta.

O texto que lemos nos traz à tona uma realidade que precisa ser verdadeiramente vivida. Fé sem obras é morta e obras sem fé de nada adianta.

 

Aplicação Pessoal

 

  1. Como você tem se comportado diante das necessidades expostas pelas pessoas que estão à sua volta?
  2. A Fé verdadeira deve ser evidenciada por atos de bondade (boas obras). Explique o que você entende sobre essa afirmação.
  3. Cite três atos de bondade que sua célula pode realizar para evidenciar a fé verdadeira que professamos. Agora, escolham ao menos um dos muitos atos de bondade citados, arregacem as mangas e “MÃOS À OBRA”

 

Conclusão: Nossas Células têm o privilégio de experimentar o amor e o cuidado que temos recebido de Cristo. Desenvolver atos de bondade é uma grande ferramenta para mostrar o poder transformador que Jesus pode fazer em nossas vidas! O desafio está lançado, agora a decisão é de vocês!

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados. Jovens que puderem ajudar nas limpezas do salão.

 

Evangelismo

  • Colheita: A Maneira mais eficaz de mudar conceitos ruins sobre a Célula e sobre nossa pessoa são os testemunhos. Vamos testemunhar com atos de fé e bondade para que outros sintam desejo de fazer parte do Reino de Deus, pelas células ou por alguma vocação especifica. Rezemos pelos que não participam mais da célula.

Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Para que a célula jovem cresça e se multiplique.
  • Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pelas Intenções dos irmãos.

 

Roteiro – Herança – O que deixaremos para nossos descendentes – 24/08 a 30/08

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 24/08 a 30/08

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 2408 a 3008

Encontro

  • Fraternidade: Oração e Partilha do Lanche e Entrosamento. Líderes devem incentivar o assunto sobre a festa da multiplicação que acontecerá dia 03 de outubro na Fidelidade. Que alegria. Muito importante salientar a presença de todos!

Exaltação

  • Salmo e músicas: Salmo 89 (NTLH)  –  88 (Ave Maria)
  • Oração: Ore pela multiplicação de sua Célula e necessidades para que ela multiplique.

Edificação

  • Escritura: Deuteronômio 6.5-7
  • Frase para decorar: “Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças.”

Partilha do Líder: A louca rotina que vivemos no dia-a-dia tem consumido nosso tempo, nossas forças e, muitas vezes, tem nos feito desviar daqueles sonhos e planos que idealizamos.

O consumismo desenfreado tem nos levado a pensar somente em conquistas materiais e temos negligenciado nosso relacionamento com Deus, com nossos familiares, cônjuges e filhos.

A pergunta que fica para refletirmos é: “O que temos construído para deixar como herança para nossos descendentes”?

 

APLICAÇÃO PESSOAL

  1. O texto lido nos mostra que devemos amar a Deus acima de tudo, com todas as nossas forças. Em que você tem empregado sua energia?
  2. “… E estas palavras que, hoje te ordeno, estarão no teu coração…” Onde você tem “armazenado” as orientações que Deus tem dado para sua vida?
  3. “… E as ensinarás a teus filhos…”. Nós só podemos ensinar para nossos filhos ou para os mais jovens, aquilo que aprendemos e sabemos. Qual será o conteúdo que você deixará como herança para os seus filhos ou para os mais jovens que você?

COMPARTILHANDO

Ter um companheiro de caminhada é fundamental para que possamos dividir um pouco nossos fardos. Você tem investido tempo com o seu companheiro de fé? Experimente a alegria de abençoar e ser abençoado por ele!

Evangelismo

  • Colheita: Vamos investir tempo orando por nossas famílias, pelos planos e sonhos do Senhor para nós e nossos filhos. Que sejamos famílias segundo o coração de Deus por gerações e gerações.

Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula que acontecerá dia 03/10/2015.
  • Vamos orar agradecendo a Deus pelos irmãos da célula e pelas necessidades uns dos outros.

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do Grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados do mês. Convidar para ajudar na limpeza do salão SJPII conforme escala recebida.

Roteiro – Uma geração de jovens comprometidos com Cristo – 16/08/2015

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Roteiro para Célula Jovem –> ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA JOVEM – 16 de Agosto

Tema da Reunião: Uma geração de jovens comprometida com Cristo

Encontro

  • Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.

Exaltação

  • Salmo e músicas: A escolha – Onde estiverem dois ou três!

Edificação

  • Escritura: I Pedro 1.13–16

Partilha do Líder

O texto bíblico acima está nos desafiando a viver uma vida separada para Deus, longe de tudo que desagrada a Ele, tudo que não é compatível com os ensinos bíblicos. O texto é direcionado a todo aquele que entregou sua vida a Jesus.

Como você tem escolhido viver?

O quanto sua vida reflete a verdade deste texto?

Aplicação Pessoal

  1. Sua família tem jovens que estão experimentando uma vida dominada pelo Espírito Santo?
  2. Você tem sido modelo para os jovens da sua convivência, para que eles busquem viver de modo diferente do modelo do mundo?
  3. O que podemos fazer como igreja e como família para que os nossos jovens façam escolhas certas?

Qual foi a sua ação prática com relação com os irmãos de célula esta semana? Que tipo de contato você teve com eles?

 

Conclusão: Compartilhe com os demais um versículo da Palavra de Deus que tem sido importante em sua vida e que influencia e sua maneira de viver.

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados. Jovens que puderem ajudar nas limpezas do salão.

Evangelismo

  • Colheita: Deus fala conosco através de sua Palavra e nós falamos com Ele através da oração. Aproveite esse tempo e compartilhem seus agradecimentos e pedidos, e apresente-os diante de Deus em oração.

Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Para que a célula jovem cresça e se multiplique.
  • Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pelas Intenções dos irmãos.

Roteiro – Atos de bondade e a fé verdadeira – 17/08 a 23/08

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 10/08 a 16/08

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 1708 a 2308

Tema da Reunião: Atos de bondade e a fé verdadeira

Encontro

  • Fraternidade: Oração e Partilha do Lanche e Entrosamento. Líderes devem incentivar o assunto sobre a festa da multiplicação que acontecerá dia 03 de outubro na Fidelidade. Que alegria. Muito importante salientar a presença de todos!

Exaltação

  • Salmo e músicas: A Escolha
  • Oração: Ore pela multiplicação de sua Célula e necessidades para que ela multiplique.

Edificação

  • Escritura: Tiago 2.14-17
  • Frase para decorar: “Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta.”

Partilha do Líder: É impressionante como temos uma facilidade de “espiritualizar” situações e necessidades vividas pelas pessoas ao nosso redor, que até nos comovem e nos fazem refletir sobre algumas atitudes nossas, mas que na verdade, não nos faz ter uma atitude ativa diante da necessidade exposta. O texto que lemos nos traz à tona uma realidade que precisa ser verdadeiramente vivida. Fé sem obras é morta e obras sem fé de nada adianta.

APLICAÇÃO PESSOAL

  1. Como você tem se comportado diante das necessidades expostas pelas pessoas que estão à sua volta?
  2. A Fé verdadeira deve ser evidenciada por atos de bondade (boas obras). Explique o que você entende sobre essa afirmação.
  3. Cite três atos de bondade que sua célula pode realizar para evidenciar a fé verdadeira que professamos. Agora, escolham ao menos um dos muitos atos de bondade citados, arregacem as mangas e “MÃOS À OBRA”

COMPARTILHANDO

Nossas Células têm o privilégio de experimentar o amor e o cuidado que temos recebido de Cristo. Desenvolver atos de bondade é uma grande ferramenta para mostrar o poder transformador que Jesus pode fazer em nossas vidas! O desafio está lançado, agora a decisão é de vocês!

Evangelismo

  • Colheita: A Maneira mais eficaz de mudar conceitos ruins sobre a Célula e sobre nossa pessoa são os testemunhos. Vamos testemunhar com atos de fé e bondade para que outros sintam desejo de fazer parte do Reino de Deus, pelas células ou por alguma vocação especifica.

Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula que acontecerá dia 03/10/2015.
  • Vamos orar agradecendo a Deus pelos irmãos da célula e pelas necessidades uns dos outros.

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do Grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados do mês. Convidar para ajudar na limpeza do salão SJPII conforme escala recebida.

Roteiro – Tua palavra e lampada para os meus pés – 09 de Agosto

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Roteiro para Célula Jovem –> ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA JOVEM – 09 de Agosto

Encontro

  • Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.

Exaltação

  • Salmo e músicas: Salmo 20, 1-9

Edificação

  • Escritura: Tiago 1.22-25

Partilha do Líder

Pensamento: “Não me preocupo com a parte da Bíblia que ainda não conheço, mas me preocupa, e muito, a parte que eu conheço e não pratico.”

Aplicação Pessoal

  1. O texto de Tiago nos faz refletir em como temos agido no trato da Palavra de Deus. Explique com suas palavras como se comporta alguém que é apenas um ouvinte da Palavra.
  1. Tiago compara aquele que não pratica a Palavra como alguém que se olha no espelho e logo depois esquece a sua aparência. O que você entende dessa afirmação?
  1. Vimos que a prática da Palavra proporciona resultados positivos para nossa vida.

Indique quais são esses resultados e como isso faz diferença em sua vida.

Viver na prática a Palavra de Deus é dar testemunho, evidência da presença de Cristo em nós. Se você ainda não experimentou a presença de Cristo em sua vida, não perca tempo, faça isso agora entregando seu coração a Ele.

Conclusão: Compartilhe com os demais um versículo da Palavra de Deus que tem sido importante em sua vida e que influencia e sua maneira de viver.

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados. Jovens que puderem ajudar nas limpezas do salão.

Evangelismo

  • Colheita: Deus fala conosco através de sua Palavra e nós falamos com Ele através da oração. Aproveite esse tempo e compartilhem seus agradecimentos e pedidos, e apresente-os diante de Deus em oração.

Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Compartilhem e orem uns pelos outros, pois: “Se pedirmos alguma coisa segundo a Sua vontade, Ele nos ouve” (1João 5.14b).
  • Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula Jovem. Intenções dos irmãos.

Roteiro – Multiplicação e Evangelismo, um ato de amor – 10/08 a 16/08

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 10/08 a 16/08

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 1008 a 1608

Encontro

  • Fraternidade: Oração e Partilha do Lanche e Entrosamento. Líderes devem incentivar o assunto sobre a festa da multiplicação que acontecerá dia 03 de outubro na Fidelidade. Que alegria.

Exaltação

  • Salmo e músicas: Salmo 20, 1-9.
  • Oração: Ore pela multiplicação de sua Célula, para que tenhamos mais casas para acolher novas pessoas e multiplicar o amor de Cristo

Edificação

  • Escritura: Hebreus 13.1-3
  • Frase para decorar: “Seja constante o amor fraternal. Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber, alguns acolheram anjos…”.  Hebreus 13. 1-3

Partilha do Líder: Alguém disse em certa ocasião que o potencial de um homem é medido pelos alvos que ele busca atingir. Ter um sonho ajuda o líder de célula a começar a enxergar o seu grande potencial para fazer a diferença para Deus”.

Ter um sonho de multiplicação, ajuda na sua realização. Quando falamos de multiplicação, estamos falando em mais casas abertas semanalmente, em mais oportunidades para que pessoas conheçam o Senhor Jesus. Falamos no exercício do amor fraternal. Você está demonstrando esse amor as pessoas do seu convívio?

APLICAÇÃO PESSOAL

  1. O texto traz um grande desafio para o nosso convívio em sociedade, principalmente em dias de relacionamentos tão superficiais. Como ser constante no amor fraternal?
  2. Muitas das nossas células tem sido a expressão exata desse texto, exercendo o amor fraternal, sendo hospitaleiras, visitando os encarcerados, e ainda cuidando dos órfãos.

A sua célula também tem sido um canal de bênção?

  1. Como célula será que estamos dispostos a amar as pessoas como ensina o texto, ao ponto de abrir mais oportunidades para outras pessoas por meio da multiplicação?

10 – Pacto – Aliança de Conquista

“Eu faço hoje o pacto da conquista da nossa geração. Declaro que me empenharei em oração, contribuindo e liderando para que o Reino de Deus avance em nossa cidade.

Da mesma forma que me sacrifico pelos meus irmãos, faço o compromisso de jejuar e buscar por todos os meios a multiplicação da minha célula. Vou dar o máximo para trazer visitantes e também consolidá-los depois de convertidos. Não vou me preservar e nem criticar meus líderes por causa da visão da conquista e da multiplicação”.

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do Grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados do mês. Convidar para ajudar na limpeza do salão SJPII conforme escala recebida.

Evangelismo

  • Colheita: Almejando a multiplicação, pensemos nos alvos que poderão serem alcançados nas próximas células! Peça para todos fazerem uma lista de alvos para orarmos nas Células.

Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula que acontecerá dia 03/10/2015.
  • Vamos orar agradecendo a Deus pelos irmãos da célula e pelas necessidades uns dos outros.

A Igreja é nosso “eu” plu­ral! Ame­mos nossa Igreja

Por | PALAVRA DA IGREJA

Ve­nho as­su­mir com vo­cês, o de­sa­fio de anun­ciar e tes­te­mu­nhar o Evan­ge­lho na grande ci­dade”

O povo de Deus, re­si­dente na Di­o­cese de Santo An­dré co­nhe­ceu seu quinto bispo di­o­ce­sano, Dom Pe­dro Car­los Ci­pol­lini que veio da Di­o­cese de Am­paro para nos amar e nos ser­vir. Acom­pa­nhe aqui a sua pri­meira ho­mi­lia.

HOMILIA DA CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA E TOMADA DE POSSE CANÔNICADE DOM PEDRO CARLOS CIPOLLINI

DIOCESE DE SANTO ANDRÉ/SP — 26 de ju­lho de2015

In­tro­du­ção: nosso ho­ri­zonte é o Reino de Deus

Em nome de Je­sus, disse meu sim e es­tou aqui para amar e ser­vir vo­cês. Mais do que o bispo to­mar posse da Di­o­cese, é a Di­o­cese de Santo An­dré que hoje, está to­mando posse do seu bispo. Ve­nho da Di­o­cese de Am­paro onde es­tava há cinco anos. Ve­nho para cum­prir a von­tade de Deus, ela é so­be­rana. É a mis­são que de­ter­mina nossa vida. É Deus que es­co­lhe o ro­teiro, o modo e o lo­cal de ser­vir à causa do Reino, de­ve­mos se­guir os seus pla­nos não os nos­sos. As­sim, como Je­sus veio de Na­zaré para Ca­far­naum e Je­ru­sa­lém, eu ve­nho para a ci­dade grande, onde me aguar­dam os de­síg­nios do Se­nhor. Ve­nho as­su­mir com vo­cês, o de­sa­fio de anun­ciar e tes­te­mu­nhar o Evan­ge­lho na so­ci­e­dade se­cu­la­ri­zada, na grande ci­dade, que é lo­cal pri­vi­le­gi­ado para a evan­ge­li­za­ção, no di­zer do papa Fran­cisco (cf. EG n. 73), a quem saúdo re­ve­rente em es­pí­rito de uni­dade e fi­de­li­dade.

Agra­deço a pre­sença de to­dos e cada um de vo­cês. Saúdo-vos com afeto es­pe­cial. Agra­deço a pre­sença dos que vi­e­ram de perto e de longe. Em par­ti­cu­lar os que vi­e­ram da Di­o­cese de Am­paro. Abraço e aco­lho a to­dos com ale­gria. A Di­o­cese é a Terra Santa do Bispo, peço li­cença a vo­cês para en­trar na vossa, e agora mi­nha Terra Santa: a grande e que­rida Di­o­cese de Santo An­dré. Sai­bam que ve­nho de co­ra­ção e bra­ços aber­tos!

Saúdo o Emmº Sr. Car­deal Odilo Pe­dro Sche­rer, Me­tro­po­lita da Pro­vín­cia Ecle­siás­tica de São Paulo. Saúdo to­dos os ir­mãos bis­pos aqui pre­sen­tes. Vos­sas pre­sen­ças tor­nam vi­sí­vel nossa co­le­gi­a­li­dade tão pre­ci­osa. Obrigado!Entre os ir­mãos bis­pos uma sau­da­ção toda es­pe­cial a Dom Nel­son Wes­trupp, que até agora es­teve à frente da Di­o­cese de Santo An­dré da qual foi um com­pe­tente ti­mo­neiro. Ao se­nhor Dom Nel­son, a gra­ti­dão imor­re­doura da Igreja de Santo An­dré, nosso res­peito, ad­mi­ra­ção e es­tima.

Faço me­mó­ria dos Bis­pos Di­o­ce­sa­nos que por aqui pas­sa­ram, Dom Mar­cos, que soube ler os si­nais dos tem­pos e Dom Dé­cio, um sor­riso de Deus. Es­tão na Casa do Pai! O sr. Dom Cláu­dio Car­deal Hum­mes, voz pro­fé­tica em tem­pos di­fí­ceis. Es­pero ser ca­paz de dar con­ti­nui­dade ao tra­ba­lho de­les. A Di­o­cese de Santo An­dré é uma Igreja bela e di­nâ­mica, uni­dos, va­mos pros­se­guir esta ca­mi­nhada com a par­ti­ci­pa­ção de to­dos.

Saúdo os que­ri­dos pa­dres do Pres­bi­té­rio de Santo An­dré, os diá­co­nos, re­li­gi­o­sos e re­li­gi­o­sas com seus di­ver­sos ca­ris­mas, saúdo os se­mi­na­ris­tas. Quero ser para vo­cês o pai e pas­tor que vo­cês es­pe­ram: amigo certo nas ho­ras in­cer­tas. Mas tam­bém es­pero de vo­cês ir­mãos que­ri­dos, que te­nham um amor efe­tivo e afe­tivo por nossa Di­o­cese. Que nin­guém se sinta hos­pede ou pa­ra­sita, mas mem­bro atu­ante, desta grande fa­mí­lia de Deus que é a Igreja Par­ti­cu­lar de Santo An­dré, à frente da qual o Se­nhor hoje me co­loca como Pas­tor, ape­sar de mi­nha pe­que­nez. Ame­mos esta Igreja, va­mos nos en­vol­ver e com­pro­me­ter com ela, já que nela vi­ve­mos a do­a­ção de nos­sas vi­das, em fa­vor do Reino de Deus. A to­dos os di­o­ce­sa­nos peço que quei­ram bem os pa­dres e re­zem por eles e pe­las vo­ca­ções sa­cer­do­tais.

Quero sau­dar de co­ra­ção os lei­gos e lei­gas, uni­dos to­dos pelo santo Ba­tismo que nos faz ter na Igreja a mesma dig­ni­dade. Sem um lai­cato adulto, atu­ante, dis­cí­pulo e missionário,a Igreja di­fi­cil­mente cum­prirá sua mis­são (cf.Vat. IIAA. 22). Sa­be­mos que a iden­ti­dade pro­funda da Igreja e do cris­tão é o se­gui­mento e tes­te­mu­nho de Je­sus. Con­voco a to­dos e to­das, para se­rem Igreja Co­mu­ni­dade de co­mu­ni­da­des, em per­ma­nente es­tado de mis­são. O povo de Deus é povo de dis­cí­pu­los por­que re­cebe a fé e povo de mis­si­o­ná­rios por­que trans­mite a fé.

Que se­ja­mos uma Igreja “aco­lhe­dora e em saída mis­si­o­ná­ria”. Es­te­ja­mos “sem­pre pron­tos para res­pon­der a quem per­gunta, so­bre a ra­zão de nossa es­pe­rança” (1Pr 4,13). A pre­sença da Igreja se faz atra­vés de vo­cês, com­pro­me­ti­dos com o Evan­ge­lho da vida.

Quero agra­de­cer a pre­sença e sau­dar de modo es­pe­cial as au­to­ri­da­des, ci­vis e mi­li­ta­res, dos po­de­res le­gis­la­tivo, exe­cu­tivo e ju­di­ciá­rio; e o faço na pes­soa do Sr. Pre­feito da ci­dade de Santo An­dré Sr. Car­los Grana que é a sede de nossa Di­o­cese, e às de­mais au­to­ri­da­des dos mu­ni­cí­pios que com­põem a Di­o­cese: Di­a­dema, São Ca­e­tano do Sul, São Ber­nardo do Campo, Mauá, Ri­bei­rão Pi­res e Rio Grande da Serra.

A par­tir da Dou­trina So­cial da Igreja, as­se­guro mi­nha dis­po­si­ção de es­tar sem­pre pronto a di­a­lo­gar e co­la­bo­rar, com tudo aquilo que fa­vo­reça o bem co­mum, e a dig­ni­dade da pes­soa hu­mana. Peço que não ne­guem a li­ber­dade re­li­gi­osa ga­ran­tida pela Cons­ti­tui­ção Fe­de­ral e, a par­tir dela, o di­reito da Igreja Ca­tó­lica de par­ti­ci­par na So­ci­e­dade, para que seja mais justa. So­ci­e­dade Laica: sim! Lai­cismo ran­çoso: não! Que esta co­roa de es­pi­nhos de fa­ve­las e mi­sé­ria que ainda per­meiam nosso Grande ABCD te­nha me­nos es­pi­nhos, me­nos mi­sé­ria, in­jus­tiça e so­fri­mento. Va­mos fa­zer jun­tos a op­ção pela vida, dei­xando de lado a luta pelo po­der e a ten­ta­ção da cor­rup­ção an­ti­pa­trió­tica.

Pa­la­vra de Deus e Igreja

A Pa­la­vra de Deus aqui pro­cla­mada do Evan­ge­lho de S. João (cap. 6,1 – 15) nos in­dica todo um ca­mi­nho para ser­mos uma Igreja viva, em­pe­nhada numa ver­da­deira “Con­ver­são pas­to­ral”. É um pro­grama.

A mul­ti­dão se­gue Je­sus por­que tem fome da Pa­la­vra de Deus. Quer ori­en­ta­ção em meio a dú­vi­das e so­fri­men­tos. O Evan­ge­lista diz que Je­sus está na mon­ta­nha (alu­são às bem-aventuranças, co­ra­ção do Evan­ge­lho), e ali­menta a mul­ti­dão com a Pa­la­vra de Deus. Pa­la­vra que é luz, vida, força e se­gu­rança. Aqui nos é pro­posto o pri­mado da Pa­la­vra, que nos con­voca à ora­ção e ao ser­viço. So­mos cha­ma­dos a co­me­çar e re­co­me­çar da Pa­la­vra de Deus, apos­tando nela toda nossa vida.

A con­ver­são pas­to­ral brota da es­cuta da Pa­la­vra con­fron­tada com a re­a­li­dade. A Pa­la­vra faz ger­mi­nar o Reino de Deus. Toda re­no­va­ção da Igreja parte da con­ver­são ao Evan­ge­lho. Nossa fé nasce da es­cuta da Pa­la­vra que de­pois se torna anún­cio. E o Bispo de Santo An­dré, neste dia de sua posse se apre­senta como Ser­vi­dor, sim, mas em pri­meiro lu­gar, ser­vi­dor da Pa­la­vra de Deus. Le­ve­mos o Evan­ge­lho no co­ra­ção, fa­ça­mos de nossa Igreja a Casa da Pa­la­vra, da Ini­ci­a­ção Cristã e da ani­ma­ção bí­blica da vida Pas­to­ral.

A par­tir da Pa­la­vra de Deus po­de­mos ou­vir e di­a­lo­gar com to­dos, mos­trando que a úl­tima pa­la­vra não é da vi­o­lên­cia e do pe­cado, mas da ra­zão e da graça. Es­tou e es­ta­rei sem­pre, como Bispo de Santo An­dré, aberto ao diá­logo franco e res­pei­toso com to­dos. E de­se­ja­ria que os cris­tãos das vá­rias de­no­mi­na­ções exis­ten­tes na área de nossa Di­o­cese, fos­sem uni­dos e cor­di­ais uns com os ou­tros, por­que a Pa­la­vra de Deus as­sim nos pede. A se­gunda lei­tura que ou­vi­mos ti­rada da carta de São Paulo aos Efé­sios, nos es­ti­mula a vi­ver um sa­dio ecu­me­nismo. O cha­mado à co­mu­nhão é ra­di­cal: “Há um só corpo e um só Es­pí­rito, como tam­bém uma só es­pe­rança à qual fos­tes cha­ma­dos. Há um só Se­nhor e uma só fé, um só ba­tismo, um só Deus e Pai de to­dos…” (Ef. 4,4 – 5).

O maior diá­logo que a Pa­la­vra de Deus nos pede é a evan­ge­li­za­ção da ci­dade na qual es­ta­mos. “Deus vive na ci­dade” (DAp 514) e, evan­ge­li­zar é tor­nar pal­pá­vel esta pre­sença. Se com­pa­rar­mos nossa Igreja a uma ár­vore, a Pa­la­vra de Deus deve ser a raiz.

Eu­ca­ris­tia (Sa­cra­men­tos) e Igreja

Mas o Evan­ge­lho aqui pro­cla­mado nos fala tam­bém que Je­sus mul­ti­pli­cou os pães. A exem­plo da pri­meira Lei­tura (cf. 2Rs 4,42 – 44), na tri­lha pro­fé­tica de Elias e Eli­seu, Je­sus tem mi­se­ri­cór­dia e com­pai­xão do povo po­bre e fa­minto. Je­sus quer com­prar pão, mas não ti­nha di­nheiro nem ha­via lu­gar que ven­desse: era um de­serto. O após­tolo An­dré ir­mão de Si­mão Pe­dro, dis­cre­ta­mente apre­senta a Je­sus um jo­vem que tem cinco pães de ce­vada (o pão mais ba­rato que exis­tia) e dois pei­xes.

An­dré é esta ad­mi­rá­vel fi­gura que pos­si­bi­lita a Je­sus fa­zer o mi­la­gre. Que nossa Igreja de Santo An­dré, sim­bo­li­zada em seu bra­são por es­tes dois pei­xes e cinco pães, Igreja que traz o nome deste grande após­tolo (pro­to­cleto=o pri­meiro cha­mado), seja tam­bém a fa­ci­li­ta­dora, para que Je­sus se faça pre­sente en­tre nós, sa­ci­ando a fome de to­dos; Fome de Deus e de eter­ni­dade em pri­meiro lu­gar. Fome de sen­tido da vida e fome ma­te­rial do pão tam­bém. Deus quer nossa co­la­bo­ra­ção na im­plan­ta­ção de seu Reino: de­ve­mos aju­dar a le­var os pães e os pei­xes como fez o após­tolo An­dré. Je­sus manda or­ga­ni­zar o povo, aben­çoa e o pão é dis­tri­buído. Je­sus pede aos após­to­los que faça o povo sentar-se (é a ati­tude dos dis­cí­pu­los), de­pois eles dis­tri­buem o pão aben­ço­ado (é a vida co­mu­ni­tá­ria).

To­dos co­mem e so­bra. Quando tra­ze­mos só para nós, sem­pre falta, quando se co­loca em co­mum, há par­ti­lha: sem­pre so­bra. A Eu­ca­ris­tia é fonte de vida so­li­dá­ria, ela nos ga­rante que ven­ce­mos o mal fa­zendo o bem, pro­mo­vendo a “cul­tura da in­clu­são”. Nes­tes acon­te­ci­men­tos, está o si­nal de que a Igreja é ali­men­tada pela Eu­ca­ris­tia e os sa­cra­men­tos, or­ga­ni­zada em co­mu­ni­da­des. “Aprouve a Deus salvar-nos em co­mu­nhão” (Vat. IILG 9), não so­zi­nhos, in­di­vi­du­al­mente.

Je­sus nos in­dica o pri­mado da Co­mu­nhão e Uni­dade ge­ra­do­ras da Co­mu­ni­dade, que ce­le­bra a fé atra­vés dos sa­cra­men­tos. Não existe Igreja sem co­mu­ni­dade. Não existe cris­tão sem Igreja. A Igreja é nosso “eu” plu­ral! Ame­mos nossa Igreja. Co­mu­nhão e co­mu­ni­dade são pró­prios dos cris­tãos, fa­zem a di­fe­rença, em meio ao in­di­vi­du­a­lismo rei­nante. Cristo Reino e Igreja são in­se­pa­rá­veis (cf. João Paulo II in RM 18).

Sa­be­mos que a força para evan­ge­li­zar nos vem da Eu­ca­ris­tia e da vida co­mu­ni­tá­ria. A co­mu­nhão é fun­da­mento da mis­são e da pas­to­ral de con­junto. E não nos es­que­ça­mos que a li­tur­gia bem ce­le­brada é o pri­meiro ato evan­ge­li­za­dor. Os sa­cra­men­tos que ce­le­bram a fé for­mam o tronco desta ár­vore fron­dosa que é a Igreja.

Mis­são (Tes­te­mu­nho — Pas­to­ral) e Igreja

Por fim meus ir­mãos e ir­mãs, a Pa­la­vra e os sa­cra­men­tos nos le­vam ao tes­te­mu­nho, à mis­são. O Evan­ge­lho que ou­vi­mos, mos­trou que após o mi­la­gre as pes­soas pro­cla­ma­vam que Je­sus é o “ver­da­deiro pro­feta que de­via vir ao mundo” (Jo 6,14). Esta é a fun­ção da Igreja: tes­te­mu­nhar o Evan­ge­lho na ci­dade. Je­sus não per­mi­tiu que o pro­cla­mas­sem rei, para nos en­si­nar que a mis­são da Igreja, não se con­funde com ide­o­lo­gias e par­ti­dos, nem com os rei­nos deste mundo, mon­ta­dos no ma­te­ri­a­lismo, na Pro­pa­ganda e na força do po­der opres­sor. O Reino de Je­sus é Reino doAMOR SERVIÇO, pois ser­vir o pró­ximo nos li­berta e o amor nos salva. Por isso de­ve­mos amar ser­vindo.

A Vo­ca­ção da Igreja é pro­fe­ti­zar so­bre os di­rei­tos de Deus e a dig­ni­dade da pes­soa hu­mana como fez Je­sus. Pro­cla­mar que o fu­turo de nossa so­ci­e­dade passa pela so­li­da­ri­e­dade. A Igreja de Santo An­dré deve se em­pe­nhar em cons­truir uma so­ci­e­dade so­li­dá­ria, por­que no fundo o cris­ti­a­nismo é so­li­da­ri­e­dade. Nossa Igreja quer anun­ciar que não existe paz sem a jus­tiça do Reino que in­clui o per­dão.

Neste Ju­bi­leu pro­posto pelo Papa Fran­cisco, Ano Santo da Mi­se­ri­cór­dia, a iniciar-se em de­zem­bro, va­mos pro­por a re­con­ci­li­a­ção, cu­rar os co­ra­ções fe­ri­dos e ma­go­a­dos por tanta tris­teza, de­si­lu­são e de­cep­ção que se aba­teu so­bre nós aqui no Grande ABC. De­pois de uma pri­ma­vera de es­pe­rança vi­ve­mos um in­verno de de­si­lu­sões. Va­mos re­co­me­çar com fé em Cristo, recordando-nos dos tra­ba­lha­do­res que aqui fi­ze­ram his­tó­ria, lu­tando pe­los seus di­rei­tos!

Dirijo-me, so­bre­tudo aos jo­vens que di­ante do de­sem­prego pre­o­cu­pante, per­dem a dig­ni­dade ao não po­de­rem ga­nhar o pão com seu tra­ba­lho. Não te­nham medo, con­fiem em Deus, con­fiem em vo­cês mes­mos. Que­re­mos acom­pa­nhar a fa­mí­lia, ela é a pri­meira e mais ori­gi­nal for­ma­ção so­cial, in­ven­ção de Deus. Sem a fa­mí­lia: in­se­gu­rança e vi­o­lên­cia ten­dem a cres­cer!

Se­ria im­pos­sí­vel evan­ge­li­zar de ver­dade se a Igreja não olhasse com amor para os po­bres, so­fre­do­res, do­en­tes, en­car­ce­ra­dos, os de co­ra­ção aba­tido. Neste mo­mento re­a­fir­ma­mos a evan­gé­lica op­ção pe­los po­bres con­tra a po­breza. Deus ama os po­bres e por isso, ama os que amam os po­bres. Ele julga se­ve­ra­mente os que cau­sam a mi­sé­ria. Com Je­sus e por causa de Je­sus que­re­mos es­tar com os po­bres. Nos­sas Pas­to­rais So­ci­ais se­jam aben­ço­a­das por­que são a forma or­ga­ni­zada de exer­cer as obras de mi­se­ri­cór­dia pres­cri­tas pela Igreja a par­tir do Evan­ge­lho (cf. Mt 25).

Que Deus ajude-nospela fé, a de­be­lar as “no­vas pes­tes” das ci­da­des, es­pe­ci­al­mente a so­li­dão. Toda ação so­cial e evan­ge­li­za­dora da Igreja é como a copa da ár­vore, onde es­tão as flo­res e fru­tos.

Con­clu­são: es­pe­rança e co­ra­gem!

Ter­mino mi­nha ho­mi­lia, um pouco grande, me des­cul­pem, mas como a di­o­cese é grande ao me­nos esta pri­meira teve de ser grande! Con­vido a to­dos e to­das para con­ti­nu­ar­mos cons­truindo uma Igreja Pas­cal. Com­pro­me­tida com a vida do povo. Igreja da es­pe­rança, que nunca de­sa­nima e sem­pre se­gue adi­ante. Acre­di­te­mos no amor de Deus por nós. Ele é bom e não de­siste de nós! Que nossa fé seja adulta para re­co­nhe­cer as di­fi­cul­da­des e superá-las (cf. Vat.IIGS 21).

Que se­ja­mos co­ra­jo­sos. A pa­la­vra co­ra­gem de­riva de co­ra­ção. A co­ra­gem co­meça no co­ra­ção cheio de amor e gra­ti­dão a Deus. Co­ra­ção que não pode fi­car ca­lado nem pa­rado. A co­ra­gem tira o medo e nos faz mis­si­o­ná­rios do Reino. Faço mi­nhas as pa­la­vras es­cri­tas por S. Gre­gó­rio Magno re­fe­rente ao bispo: “Com co­ra­gem aceita em si as lu­tas e se con­sa­gre com mi­se­ri­cór­dia a pro­te­ger o pró­ximo. Con­tra os ma­les so­fri­dos, acres­centa o bem re­a­li­zado” (in Mo­ra­lia, so­bre Jó, Lib. 3,39 – 4; PL 75, 619 – 620).

Que nosso pa­dro­eiro Santo An­dré nos ins­pire na mis­são. E por fim, con­fio a Ma­ria San­tís­sima, meu epis­co­pado na Di­o­cese de Santo An­dré, in­vo­cando sua pro­te­ção, a par­tir das 35 pa­ró­quias a ela de­di­ca­das em nossa di­o­cese. Consagro-me a ela como pi­e­doso de­voto, que já pro­vou a força de sua in­ter­ces­são. Com amor fi­lial a in­voco: Nossa Se­nhora do Carmo, ro­gai por mim, ro­gai por nós. AMÉM.

+ Dom Pe­dro Car­los Ci­pol­lini

Bispo Di­o­ce­sano de Santo André-SP

Fonte: http://www.diocesesa.org.br/

Roteiro – Jovens e Discipulado – 02 de Agosto

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Roteiro para Célula Jovem –> ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA JOVEM – 02 de Agosto

Encontro

  • Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.

Exaltação

  • Salmo e músicas: A escolha

Edificação

  • Escritura: Mateus 28, 18 – 20

Partilha do Líder

É apaixonante o nosso trabalho de fazer discípulos para Jesus! Como é lindo a gente ver os nossos amigos se desenvolverem, aprenderem a caminhar com Jesus… e depois vê-los fazendo discípulos…!!! Queremos ser uma comunidade de Discipulado! Onde nós tomamos conta da vida uns dos outros, cuidamos, amamos, protegemos, ensinamos…! O Discipulado nasceu no coração de Deus e Jesus derramou sobre os nossos corações dessa Autoridade para fazer discípulos!

I – MISSÃO – Mt 28:18-20

Jesus deixou uma Missão para todos os seus discípulos! Sabe qual foi? – Fazer Discípulos! Isso não é uma questão de Dom, mas de Missão! Todos tem essa Missão dada por Jesus e para ajudar nessa Missão, aí Jesus distribuiu os dons espirituais. Os dons são uma “consequência” da Missão!

Todo aquele que passou por uma real experiência de conversão, ele não tem dificuldade de entender que precisa Discipular, ainda que não esteja Discipulado, mas ele sente que precisa discipular…!

II- RAZÃO DE EXISTIR – Mc 1:16-18

Ilust.: Aparelho Celular funciona como rádio, Internet, câmera, gravador, relógio, despertador, calculadora, agenda, MP3, enfeite no pescoço, lanterna… Mas ele foi feito para ser um telefone! E se ele não funcionar como telefone, o que fazer com ele? – Você não vai jogá-lo fora, mas vai tentar dar um jeito nele para que ele funcione…!!!

Quando a gente se converte, Jesus coloca dentro de nós um “dispositivo” que nos leva imediatamente a fazer discípulos…

Ilust.: Entre os animais, quando um filhote nasce, ele procura logo um peito para mamar, sem ninguém nunca ter ensinado ou nunca ter visto…!!!

O que é que “atrofia” os novos discípulos impedindo-os de Discipular? – Satanás com suas argumentações sutis: você não sabe falar…; você ainda é muito novo na fé…; você precisa ser “doutor” na bíblia…; você não é pastor…; você é tímido…; você é medroso…!

O que você está esperando para Fazer Discípulos…???

III – ESTRATÉGIA DIVINA – João 15:1-2, 5, 8, 14-16!

Você sabe quem inventou o Discipulado? – Deus! Desde o A.T. vemos os profetas fazendo discípulos… Jesus gastou todo o tempo fazendo discípulos… Ele não se desesperou porque a Multidão o deixou, mas Veio atrás dos seus 12 quando eles desistiram… (João 21:2-3)! Sabem por que? Porque esse foi o seu único Plano de Salvação… não tinha Plano B!

Deus elaborou um Plano para salvar toda a humanidade e esse Seu plano consistiu em “fazer discípulos de todas as nações”. Mas e se os seus 12 tivessem parado de fazer discípulos o que teria acontecido…? – Será que Jesus tinha um “Plano B”? – Não! Digamos que os 12 tenham feito discípulos, mas a 2ª Geração não tivesse dado continuidade… E se a 3ª, 4ª, 5ª geração… E se você parar de fazer discípulos, o que vai acontecer com o Plano de Salvação elaborado por Deus???

Conclusão: Quem aqui já é Discípulo de Jesus? – Sabe como a gente prova isso? – João 15:8 “Nisto é glorificado o meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos”! Como a gente conhece um discípulo de Jesus? – Pelos seus frutos!

Quem aqui ainda não é discípulo de Jesus?

 Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados.

Evangelismo

  • Colheita: Vamos nesta semana discipular como jovens, sendo testemunhas de Cristo e convidando para a célula. Combine com seus líderes.

 Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Compartilhem e orem uns pelos outros, pois: “Se pedirmos alguma coisa segundo a Sua vontade, Ele nos ouve” (1João 5.14b).
  • Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula Jovem. Intenções dos irmãos.