Todos os post de

WebMaster Comunidade Fidelidade

“Laudato Si”: Descarregue aqui a encíclica do Papa Francisco sobre a criação, lançada hoje no Vaticano

Por | FORMAÇÕES

VATICANO, 18 Jun. 15 / 06:06 pm. Foi oficialmente lançada na quinta-feira, 18, a nova encíclica do Papa Francisco, “Laudato Si, sobre o cuidado da casa comum”. O título, que significa “Louvado Seja”, remete ao ‘Cântico das Criaturas’ de São Francisco de Assis, religioso que inspirou o Pontífice na escolha do seu nome.

A apresentação do texto foi feita durante coletiva na sala de Imprensa da Santa Sé, da qual participaram o Presidente do Pontifício Conselho da Justiça e da Paz, Cardeal Peter Kodwo Appiah Turkson, o Metropolita de Pérgamo, John Zizioulas, representando o Patriarcado Ecumênico e da Igreja Ortodoxa; e o fundador e diretor do Potsdam Institute for Climate Impact Research, professor John Schellnhuber.

A encíclica, como disse o Papa Francisco no Angelus de domingo, 14, é direcionada a todos e aborda questões relacionadas ao cuidado com a criação.

O documento é dividido em seis capítulos e possui 192 páginas. Está disponível em italiano, francês, inglês, alemão, polonês, árabe, espanhol e português.

Para baixar a encíclica “Laudato Si” em português, acesse:
http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html

A versão em .pdf da Encíclica pode ser baixado aqui:
http://w2.vatican.va/content/dam/francesco/pdf/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si_po.pdf

Roteiro Jovens – A Lei do plantar e do colher – 21/06/2015

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Roteiro para Célula Jovem – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA JOVEM – 21 de junho 2015

Nome da Célula: _____________________________________________________ DATA: ___/___/___

Tema da Reunião: COLHEMOS O QUE PLANTAMOS

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
Exaltação
  • Salmo: A Escolha
  • Oração: Orar impondo as mãos uns pelos outros.
Edificação
  • Escritura: 6:7-8; Gn. 1:11; Gn. 8:22

Partilha do Líder: A lei do plantar e colher

I – Plantar e colher – lei universal – Gl. 6:7-8; Gn. 1:11; Gn. 8:22

Esta lei opera positiva e negativamente:

1 – Se plantarmos coisas boas, colheremos coisas boas;

2 – Se plantarmos coisas ruins, colheremos coisas ruins;

3 – Nós estamos plantando em todo tempo;

4 – Tudo o que nós fazemos são sementes;

a – Palavras;

b – Pensamentos;

c – Relacionamentos;

d – Atitudes…

5 – Iremos colher de acordo com que plantarmos;

6 – Tudo começa com uma semente.

II – Semente para o mal – “…o que semeia da carne, da carne colherá a corrupção…” Gl. 6:8. Plantando para o pecado;

1 – Atitudes de derrota, sementes de medo;

2 – Semeando palavras negativas na mente de seus amigos e familiares. Muitas pessoas sonham em ter um lar feliz, mas em todo tempo estão semeando amargura, grosserias, ofensas, etc. Estão semeando o fracasso em seus relacionamentos e amizades;

 

III – Semeando no Espírito – “… O que semeia no Espírito, do Espírito colherá a vida eterna…” Gl. 6:8.

A – Semeando para o seu lar;

1 – Quando plantamos atitudes de compreensão, amor, perdão e bondade, Deus é quem se responsabiliza em dar a colheita.

2 – Para você plantar algo em suas amizades e na família pode parecer difícil, mas olhe para recompensa. Você certamente colherá.

B – Semeando para o seu ministério (dons);

1 – Consagração, jejum, oração, tempo com a Palavra, e obediência irrestrita a Deus, são sementes que podemos plantar em nossos ministérios. Não se recebe unção, dons espirituais e revelação da Palavra sem isso!

2 – Envolver-se com a obra e com o povo de Deus é também uma semente para colher aceitação ao seu ministério. Há aqueles que querem crescer no ministério, mas não querem se envolver com a obra de Deus. Os tais colhem o isolamento.

C – Semeando para a vida secular;

1 – Deus quer que sejamos prósperos em tudo; estudos, lazer, trabalho;

2 – A prosperidade (espiritual e material) não se opera automaticamente;

3 – É preciso seguir as leis da prosperidade;

4 – Muitos, quando tem um pouco de dinheiro na mão, gastam tudo;

5 – Aprenda esta lição; NÃO COMA SUAS SEMENTES!!! Você semeia antes de colher e não depois.

? Evangelismo

 

Colheita: Fale sobre a importância de PLANTAR sempre apoiados em Deus, na família e na palavra de Deus.

 

Entrega
  • Intenções: (05 min) (pelos presentes; pedidos; nomes objeto da oração de três; pelo lar hospede) – Tempo de intercessão pelas necessidades de cada pessoa e pelos alvos da célula.

Roteiro – Discipulado pessoal e treinamento – (parte 2) – 22/06 à 28/06

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 2206 a 2806

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores – Pactos na Célula.

Objetivo: Discipulado

Tema da Reunião: Discipulado pessoal e treinamento – (parte 2)

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Pedido: Ler Formação de Líderes – Pacto de Transparência.
Exaltação
  • Salmo e músicas: Á escolha
  • Oração: Orar impondo as mãos uns pelos que precisarem.
Edificação
  • Escritura: Leia e ore com o texto de Cl 1, 27-29.
  • Frase para decorar: “Meus queridos filhos, eu estou sofrendo por vocês, como uma mulher que tem dores de parto. E continuarei sofrendo até que Cristo esteja vivendo em vocês” (Gl 4,19).

Partilha do Líder:

Recentemente o tema do discipulado passou a fazer parte dos encontros, sínodos, publicações e bate-papos das lideranças católicas, independentemente de movimentos e pastorais, mas como uma realidade que compete a todos: bispos, padres, leigos, comunidades novas.

Mas o fato é que desde a subida de Cristo aos céus fazer discípulos é a máxima de Deus para a Igreja. Não é questão de slogan, campanha, projeto de ação pastoral, ano disso ou daquilo…

Discipulado e evangelismo são como que as duas pernas que movimentam o corpo místico de Cristo, a Igreja. Ou funcionam ou o corpo não anda…

Discipular: uma graça

É claro para nós esse propósito do discipulado: Cristo quer que cada membro da Igreja seja um discípulo e ao mesmo tempo discipulem outros cristãos (cf. Mt 28, 19; 2 Tm 2,2).

Fazer discípulos tem a ver com a primeira bênção que Deus concedeu-nos: crescer e multiplicar (cf. Gn 1,28). Discipular é o mesmo que gerar, reproduzir, ou numa linguagem mais costumeira do NT, frutificar (cf. Jo 15,8.16).

Todavia, temos que concordar que infelizmente existe uma negligência séria na Igreja em relação ao discipulado, que também toca a nossa comunidade… Por vários motivos, existem “discípulos” que jamais ganharam e consolidaram uma vida sequer para Jesus… Se tal é a falha no evangelismo, o que podemos dizer do encargo de discipular!?

Olhamos para o discipulado como graça ou como compromisso, aliás, fardo?

De fato, essa maldição da improdutividade precisa ser abolida no meio do povo de Deus, pois Cristo subiu aos céus para nos cumular de dons, equipando-nos para a obra do ministério, a fim de, por meio de nós, levantar pessoas maduras no Reino de Deus (cf. Ef 4,7-16).

Se até hoje você nunca foi discipulado, ore a Deus e peça junto às suas lideranças um discipulador. Esse é o princípio de tudo, o discipulador precisa estar sendo discipulado por alguém.

Para discipular você precisa ter um testemunho de discípulo, ou seja, apresentar características evidentes do caráter de Cristo em você (cf. Gl 3,27). Não basta falar um monte de coisas ao discípulo, é preciso formar Cristo nele pelo testemunho, transmitindo a ele valores de vida nova e não apenas teorias.

Outra coisa, o discipulador tem que amar suas ovelhas. Certa vez um sacerdote disse: “O pastor carrega as suas ovelhas no coração e não nas costas!”. Leia com atenção: 1 Pd 5,1-4.

Essa máxima é profunda e diz respeito ao zelo espiritual e afetivo que temos de ter com cada ovelha que o Senhor colocar em nossas mãos. Carregar no coração é o segredo do discipulado, da consolidação. Amor implica em compromisso de tornar a pessoa melhor e não mero vínculo formal de estudo de uma apostila para entregar um certificado pré ou pós-encontro…

Quem discípula precisa pedir a Deus o dom de gerar e sofrer até que veja Cristo formado no discípulo. Este foi o grande legado de São Paulo (cf. Gl 4,18-19).

Este é o objetivo e o método do discipulado: “Com toda a sabedoria possível, aconselhamos e ensinamos cada pessoa, a fim de levar todos à presença de Deus como pessoas espiritualmente adultas e unidas com Cristo” (Cl 1,28b).

A capacitação vem do Senhor, que dá a sabedoria a quem pede (cf. Tg 1,5). E de nossa parte temos de praticar o diálogo, a escuta, o ensino, o aconselhamento etc.

Mas quem está apto a tal tarefa? Todos os que creem: “É para realizar essa tarefa que eu trabalho e luto com a FORÇA DE CRISTO, que está agindo em poderosamente em mim” (Cl 1,29).

Discipulado é algo prático e não teórico, é relacional, por isso requer convivência, aproximação, confiança, afeto.

Pacto – Aliança de Transparência

“Prometo empenhar-me para ser uma pessoa mais aberta e compartilhar meus sentimentos, minhas lutas, minhas alegrias e minhas dores com vocês da melhor maneira possível. Eu farei isso, porque sei que, sem vocês, não irei muito longe. Digo isto para afirmar o valor que vocês têm para mim, como pessoas. Em outras palavras, eu preciso de vocês!”

Questões

  1. Considerando que o discipulado pessoal passa pelo relacionamento, veja a atitude de Jesus com os discípulos de João e tire suas conclusões do que precisa fazer para gerar (Jo 1,35-39).
  2. Qual é o método de discipulado de Jesus? Teorias? (Jo 13,4-5.12-17).
  3. Qual é o perfil dos discípulos que Jesus espera? (Mt 16,24-26).
  4. Qual é o objetivo do discipulado? (Cl 1,28b). Qual é o método do discipulado? (Cl 1,28a).
? Evangelismo

 

  • Colheita: Propagar o discipulado sendo testemunhas de Cristo todos os dias.
Entrega

 

  • Pedidos: Rezarem por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula e das células.
  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

_____________________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________________

Anotações do Líder

 

Roteiro – Discipulado pessoal e treinamento – (parte 1) – 15/06 à 21/06

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 1506 a 2106

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores – Pactos na Célula.

Objetivo: Discipulado

Tema da Reunião: Discipulado pessoal e treinamento – (parte 1)

Encontro
Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.

Pedido: Ler Formação de Líderes – Pacto de Honestidade.

Exaltação
Salmo e músicas:  Á escolha

Oração: Orar impondo as mãos uns pelos que precisarem.

Edificação
Escritura: Lc 24,13-32 – Reconheceram a Jesus juntos ao partir o pão…

Frase para decorar: “Quando Jesus viu a sua mãe e perto dela o discípulo que ele amava, disse a ela: Este é o seu filho” (Jo 19,26).

Partilha do Líder:

Todos somos chamados a ser discípulos amados do Senhor Jesus. Discípulos são os filhos idênticos ao pai. A esses discípulos Ele poderá lançar Seu divino olhar e confiar-lhe uma missão em relação à Igreja (cf. Jo 19,25-27).

Por isso nós cremos que esta é a chave do sucesso na vida da célula: DISCIPULADO e TREINAMENTO, porque por meio desses valores encarnados, a célula produz outros iguais a Jesus (= discípulos cristãos – At 11,26b) e produz também novos discipuladores (= evangelizadores e líderes – 2 Tm 2,2), o que garante a continuidade crescente da comunidade.

Discipulado pessoal (Eclo 6,14-17) – quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro.

Para discipular uma pessoa não é suficiente a pregação e o ensino das verdades da fé (a catequese). A chave do discipulado é o acompanhamento ou consolidação pessoal.

Está comprovado que o potencial de alguém que deixa se conduzir por um cristão mais maduro do que ele, é muito superior ao de quem vive sua fé à distância dos outros.

Discipulado pessoal significa participar com a pessoa de suas necessidades, angústias, medos e sofrimentos, até chegarmos com ela à alegria de que se torne um “servo” na imensa vinha do Senhor. Para a pessoa que recebe este tipo de tratamento personalizado isso vai significar um fator decisivo em sua caminhada com o Senhor. O discipulador será alguém com o qual poderá e deverá desenvolver uma verdadeira amizade espiritual afetiva e efetiva (cf. 2 Tm 1,2; 2,1; Tt 1,4).

Portanto, a finalidade de um acompanhamento personalizado no processo de consolidação do discípulo é ser-lhe um companheiro de caminho no processo de amadurecimento básico de fé, o que certamente se seguirá numa amizade de apoio cristão.

O discipulado pessoal é então, o estabelecimento de um relacionamento entre um cristão iniciado e um cristão em iniciação, com o objetivo de ajudar o segundo em seu crescimento humano e espiritual, e isso exige do discipulador uma atitude de acompanhamento (acompanhar = CUM PANE = comer o pão juntos), comendo junto com o discípulo o pão da Palavra (cf. Lc 24,13-32).

Este serviço expressa bem a identidade e missão de cada cristão, pois ser cristão é tornar-se responsável por alguém que de outra forma você ignoraria; é ser de fato, guarda do seu irmão! (cf. Gn 4,9).

Treinamento (2 Tm 2,2) – Ele quer que todos sejam salvos e venham a conhecer a verdade.

O maior treinador de líderes na igreja em células é o líder de célula. O discípulo vai ser tal como seu líder. A visão de células é uma visão de crescimento e multiplicação de líderes. Assim, cada membro é um alvo de liderança.

Este é um valor da comunidade: multiplicar o ministério. A Bíblia nos dá um grande exemplo a este respeito no ministério de Barnabé (cf. At 4,36-37; 9,26-30; 11,19-26).

O bom trabalho de Barnabé rendeu a expansão da Igreja através de Paulo. No NT encontramos uma lista de mais de 70 discípulos/líderes levantados pelo ministério de Paulo.

Considerando, pois, as condições de cada membro e a evolução natural deles, um processo de treinamento faz a célula desenvolver sua caminhada visando a multiplicação, de forma que, ao mesmo tempo em que ganha membros (evangelismo), treina a cada um segundo os passos que são capazes (discipulado – Ef 4,11-12), e cria assim um ciclo de crescimento e multiplicação que podemos assemelhar à imagem do agricultor, que tendo um canteiro desenvolve um processo de produção contínua por meio da seleção e plantio de sementes (crianças) para gerar novas mudas, do plantio de mudas desenvolvidas (jovens) em terra preparada, e a colheita do que já está maduro (pais) (cf. 1 Jo 2,12-14).

Pacto de Honestidade

“Eu decido ser honesto, por isso não vou esconder como me sinto a respeito de vocês. Contudo, pelo Espírito Santo, procurarei conversar francamente com vocês, de modo amoroso e perdoador, para que nossas frustrações mútuas não se transformem em amargura. Comprometo-me a ser sincero e honesto com vocês, pois sei que, quando falamos a verdade em amor, é que crescemos em tudo, naquele que é o cabeça, Cristo. Vou me empenhar para expressar esta honestidade de maneira sincera e controlada”.

Questões

1.    Antes de enviar os discípulos para pregar, o que Jesus esperava deles? (Mc 3,13-14).

2.    Leia Mateus 16,24, e responda: quais são as 3 exigências de Jesus aos Seus discípulos?

3.    A quem devemos o mérito da conversão de uma pessoa consolidada, segundo 1 Coríntios 3,4-9?

4.    Quero assumir uma aliança, pacto de honestidade com meus irmãos de célula para discipular? Lembre-se: Só evangelizaremos se confiarem em nós…

Evangelismo
Colheita: Sermos honestos no dia a dia, com os irmãos de célula e família, falar da célula…

Entrega
Pedidos: Rezarem por novos líderes (auxiliares) e pela Multiplicação de sua célula e das células.

Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

_____________________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________________

Anotações do Líder

Roteiro – Integração de todos no Reino de Deus – 08/06 à 14/06

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 0806 a 1406

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores – Pactos na Célula.

Objetivo: Propósito do Evangelismo

Tema da Reunião: Integração de todos no Reino de Deus.

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Pedido: Ler Formação de Líderes – Pacto de Lealdade – Pedir ajuda na limpeza do salão.
Exaltação
  • Salmo: Salmo 19 (NTLH) Salmo 18 Outras
  • Oração: Orar impondo as mãos uns pelos outros.
Edificação
  • Escritura: Mas não apenas leia, ore com At 2, 42-47
  • Frase para decorar: “Desse modo não existe diferença entre judeus e não-judeus, entre escravos e pessoas livres, entre homens e mulheres: todos vocês são um só por estarem unidos com Cristo Jesus” (Gl 3,28)…

Partilha do Líder:

Neste estudo entramos no propósito do discipulado, depois de já ter percorrido adoração, evangelismo e comunhão. E para bem compreender o que isto significa vamos começar pelo texto clássico do modelo paradigmático da Igreja, o sonho de Deus para nós. Mas não apenas leia, ore com At 2, 42-47.

Deste belíssimo texto destacamos em primeiro lugar a ocorrência da palavra TODOS:

  • “Todos continuavam firmes…” (v.42);
  • “Todas as pessoas estavam cheias de temor…” (v.43);
  • “Todos os que criam estavam juntos e unidos…” (v.44);
  • “…Dividiam o dinheiro com todos” (v.45);
  • “Todos os dias, unidos, se reuniam…” (v.46);
  • “…Eram estimados por todos” (v.47).

Em todos os casos notamos um elemento: não há distinção de pessoas nesse “todos”, o que indica a variedade de pessoas nas suas várias características. Quer dizer, haviam homens, mulheres, crianças, judeus ou não, ricos, pobres etc..

Podemos nos basear nisto para compreendermos este grande valor da vida na comunidade em células, onde todos são chamados à integração no Reino de Deus, sem distinção alguma, para serem discípulos do mesmo e único Senhor Jesus.

Este é um valor que expressa o propósito do discipulado. Deus quer discípulos de todos os povos para viverem tudo o que Ele ordenou, como está escrito: “Portando, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores…” (Mt 28,19).

Nesse valor encontramos o aspecto da catolicidade da fé cristã, ou seja, a salvação é para todos, e por isso todos devem entrar num processo de discipulado (cf. 1 Tm 2,4; Ap 5,9-10; 14,6). Também aprendemos neste “todos” as circunstâncias textuais em que são aplicadas, demonstrando que todos aqueles a quem o Evangelho alcançar, não importando suas condições de sexo, raça ou idade, precisam receber o manto do discipulado e entrar por esta porta de estreita comunhão com o Senhor (cf. Gl 3,27-28).

Ao realizarmos esta tarefa de evangelismo seguido de discipulado, é evidente que temos de respeitar a capacidade de cada pessoa, segundo o momento que está no caminho da salvação, mas não podemos negar a ninguém a instrução para o discipulado, que se evidencia quando o discípulo se integra, de fato, nos valores e na comunhão do Reino de Deus. Cada discípulo precisa ir adentrando mais e mais no Reino por meio da comunhão com o Senhor e com Seus santos, e assim ir sendo retirado da relação com as trevas (cf. 1 Jo 1,7).

Ilustração

Uma pessoa passa duas horas andando no meio do mato e se perde. Logo chega a equipe de resgate e a retira do mato, mas depois certamente demorará mais tempo para que ela retire o mato que trouxe consigo em sua roupa.

Integrar no Reino não é apenas tirar as pessoas do mato do pecado e dos vícios, mas também fazer crescer em suas almas o amor ao Senhor em primeiro lugar, e isso deve ser dado a todos indistintamente e por todo o tempo.

A célula não é um tipo de grupo cristão para dar um pouquinho do Reino aos incrédulos, precisando os mais adiantados de um ‘grupo mais profundo’.

A célula é o lugar de todos expressarem e experimentarem o amor do Senhor na medida em que cada um consegue, mas sendo um caminho aberto de discipulado para todos, segundo o grau de cada um. Por isso nós acreditamos na integração das crianças e dos jovens, por isso as células, mistas ou não, devem ser familiares, porque queremos ser uma comunidade onde todos se enquadrem e, como suportam, experimentem o amor de Deus e cresçam em intimidade com o Senhor e uns com os outros.

Pacto de Lealdade

“Eu escolho amar, edificar e aceitar cada um dos meus irmãos e irmãs, não importa o que digam ou façam. Eu escolho amá-los do jeito que eles são. Nada do que fizeram vai me impedir de amá-los. Posso não concordar com suas ações, mas irei amá-los e fazer tudo para suportá-los pela graça de Deus que habita em mim”.

  • Questões
  1. Qual é a predominância de sua célula atualmente? O que você precisa fazer para que ela se torne uma verdadeira família (onde haja diversidade de pessoas e, sobretudo integração) e não um grupo homogêneo? Ore sobre isso e responda o que vier ao seu coração.
  2. Estamos preparados para acolher a todos em nossa célula? Vida?
  3. Estou aberto ao Espírito para fazer um pacto de lealdade com os irmãos?
? Evangelismo

Colheita: Dar mais atenção aos irmãos e acolher bem a todos. Principalmente os que pretendemos trazer para célula, já irmos preparando o caminho do convite…

Entrega
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)
  • _____________________________________________________________________________________________
  • _____________________________________________________________________________________________
Anotações do Líder

Roteiro – Acolhida e bom tratamento de todas as pessoas – 01/06 a 07/07

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 0106 a 0706

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores.

Objetivo: Propósito do Evangelismo

Tema da Reunião: Acolhida e bom tratamento de todas as pessoas.

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Assunto: Motivar para a próxima grande célula dia 06/06.
  • Pedido: Avisar sobre ajuda na limpeza do salão.
Exaltação
  • Salmo: A Escolha
  • Oração: Orar impondo as mãos uns pelos outros.  
Edificação
  • Escritura: Invoque o Espírito Santo e leia: Hb 13,1-3 e Rm 15, 7
  • Frase para decorar: “Aceitem uns aos outros para a glória de Deus, assim como Cristo aceitou vocês” (Rm 15,7).

Partilha do Líder: Acolhida e bom tratamento de todas as pessoas.

O texto que precede esta citação sobre o valor da acolhida e do bom tratamento às pessoas é muito forte. Está escrito: “Por isso sejamos agradecidos, pois já recebemos um Reino que não pode ser abalado” (Hb 12,28a). De fato, o Reino de Deus já está dentro de nós e nós estamos dentro desde o momento em que aceitamos a Cristo em nossas vidas (cf. Lc 17,20-21).

A acolhida é um momento primordial para a decisão da pessoa em continuar ou desistir, voltar na comunidade ou naquele momento de fraternidade. (Capitulo Acolher, Pg 68 – Livro Faz-me Fiel)

Esse é o reinado interior, quer dizer, o senhorio de Cristo sobre os discípulos. Mas esse reino interior e invisível é a preparação para o reino exterior e definitivo, o mesmo que rogamos no Pai-Nosso: ‘Venha a nós o Vosso Reino…’.

Quando este reinado universal se instaurar definitivamente todas as pessoas haverão de se dobrar diante do Rei e confessar Sua majestade no céu, na terra e nos infernos (cf. Mt 25,31-32; Fp 2,9-11). Mas até que chegue esse momento final da história temos de preparar os caminhos do Reino, ou seja, preparar o caminho para Jesus entrar nos corações e isso se dá pela evangelização (cf. Lc 1,76).

Carregamos dentro de nós essa missão inegociável: salvar vidas, ganhar pessoas para Cristo! (cf. 1 Cor 9,16.22). Isso se dá tanto por meio da constituição de relacionamentos de comunhão (evangelismo por amizades como vimos), como por meio da acolhida, que é a porta de entrada para esse Reino.

O autor de Hebreus fala de uma continuidade: “Continuem a amar uns aos outros como irmãos em Cristo” (13,1). Quer dizer, a comunidade ganha vida sempre que seus membros praticam o uns aos outros, sempre que eles se amam. O amor oxigena o corpo e faz a vida circular. Mas além de cobrar novo ânimo na mutualidade, ele dá outra ordem: “Não deixem de receber bem aqueles que vêm à casa de vocês” (v.2b).

Isso fala do perigo que qualquer comunidade – pequena, como uma única célula ou grande como uma comunidade nova ou paróquia – corre, o perigo de fechar-se. Uns fecham-se em interesses egoístas: preservar posição, cargo e ministério; outros, porém, podem fechar-se à acolhida em nome da “preservação da comunhão”.

Aparentemente um motivo justo, mas, se analisado à luz das Escrituras, tão pernicioso quanto o primeiro. O fato é que a nossa comunhão precisa transbordar em evangelização e a nossa evangelização deve culminar em comunhão.

Na Bíblia da CNBB se diz: “Não descuides da HOSPITALIDADE”. Essa palavra nos faz lembrar de outras de outras como hospedaria e hospital.

Hóspede deriva de um termo latino: hospes, que tem o sentido de “alimentar, nutrir, suprir”. Era usado, sobretudo com pastores que cuidavam do gado, provendo bons pastos. Nesse sentido tem a ver com “hospital”, lugar de cuidados e socorro. Também daí vem a palavra “hóstia”, cujo sentido é vítima oferecida em sacrifício para alimentar.

Com tudo isso, vemos que acolhida deve ser muito mais do que o simples gesto de recepcionar bem as pessoas no templo e nas casas (células). Vai além de sorriso, aperto de mão e entrega de folheto… acolher é dar-se, é ter a consciência de que o que nos visita possivelmente é um enfermo que precisa de cura ou um faminto que carece de alimento. A acolhida aos outros deve ter por medida a acolhida de Cristo a nós (cf. Rm 15,7).

A célula hospitaleira é, na verdade, um hospital, e o que é um hospital senão um lugar de cura, de provisão das necessidades espirituais e materiais!? É isso!

A Igreja é o hospital onde o Médico dos médicos atende, mas para que as pessoas cheguem Nele muitas vezes passam por nós, por nossa ministração ou serviço, como a calorosa acolhida e o bom tratamento, por isso Jesus falou da Igreja como hospedaria (cf. Lc 10,34).

Quem acolhe o outro com amor é como uma hóstia viva ao seu irmão: “Exorto-vos, portanto, irmãos, pela misericórdia de Deus, a que ofereçais vossos corpos como hóstia viva, santa e agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual” (Rm 12,1 – Bíblia de Jerusalém).

  • Questões
  1. Como acolhemos nossos irmãos na fé? Acolhemos só por educação ou desejo a salvação para ele?
  2. Estamos preparados para acolher a todos os “estrangeiros” em nossa célula?
  3. O que podemos fazer para acolher melhor uns aos outros?
? Evangelismo
  • Colheita: Dar mais atenção aos irmãos e acolher bem a todos. Principalmente os que pretendemos trazer para célula, já irmos preparando o caminho do convite…
Entrega
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

_____________________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________________

Anotações do Líder

 

A sós com o cônjuge: a importância de estar juntos como casal

Por | FORMAÇÕES

Ter pelo menos um encontro semanal a sós melhora o casamento e reduz o risco de divórcio.

topicUm encontro semanal a sós com o cônjuge fortalece o casamento. Este conselho, que milhares de casais já comprovaram, foi reafirmado por um novo estudo da Universidade de Virgínia, segundo o qual os casais que têm como regra de ouro ter um encontro a sós, ainda que seja uma vez por semana, melhoram seu relacionamento e, portanto, reduzem o risco de divórcio quase pela metade.

Os autores explicam que as palavras-chaves são “só com o cônjuge” (não valem as saídas com amigos, parentes ou filhos) e “compartilhar”, entendida como a qualidade do tempo que os esposos dedicam a comunicar-se, conectar-se e curtir um ao outro – algo que não é fácil quando existem múltiplas ocupações.

Poucos minutos fazem a diferença

Este tempo é definitivo para que o relacionamento se fortaleça e chegue à vitalidade que talvez a rotina tenha apagado. Alguns dos benefícios são:

– Melhor comunicação: ao poder conversar sem a distração dos filhos e do trabalho, o encontro lhes permite falar das coisas que lhes importam e motivam: seus sonhos, aspirações, temores etc.

– Desfrutar a novidade: os casais com mais tempo de casamento tendem a se “acomodar” e perder a emoção. Os estudos demonstram que fazer juntos coisas novas (montar a cavalo, fazer uma caminhada, passear pela montanha, dançar, ver o pôr-do-sol etc.) acaba com a rotina e une o casalem um desafio compartilhado, divertido e emocionante.

– Melhoria na relação romântica e sexual: os encontros acrescentam criatividade e emoção; e, ao permitir o diálogo, podem ajudar também neste campo, incentivar a experimentar coisas novas, novos ambientes etc. Tudo isso fortalece o casamento.

– Melhoria no compromisso: se há pelo menos um dia destinado ao encontro semanal e este é assumido como um compromisso inalterável, fica claro que se marca uma prioridade, o que reforça a sensação de unidade e a importância de trabalhar pelo relacionamento. Em outras palavras, fica claro que, para cada cônjuge, o outro é uma prioridade.

– Alívio do estresse: sair para se divertir como casal, para relaxar juntos, reduz o estresse e isso é bom para o casamento, sempre ameaçado por doenças, problemas de dinheiro, conflitos no trabalho, entre outros. Permite ver o outro sem o peso da irritabilidade ou do cansaço, o que ajuda a manter o amor conjugal.

Algumas recomendações

Os especialistas sugerem que alguns destes encontros a sós sejam fora de casa, para mudar de ambiente e conseguir abstrair-se do cotidiano, pois é possível que, quando um dos dois está cansado e acomodado em casa, o plano vá por água abaixo. Por isso, é melhor sair e ter um encontro com antecedência.

No entanto, alguns esposos se negam este tempo juntos porque dizem não ter dinheiro para esta finalidade. Mas, na verdade, para passar um momento agradável com o parceiro não é preciso gastar uma fortuna. Os bons momentos podem ser vividos dentro da simplicidade, assim como é o amor.

É questão de propor-se, de “querer querer”. Ainda que o casal decida realizar atividades que envolvam gastos, estes devem ser considerados como um investimento, não como desperdício. É preciso investir na relação matrimonial, que é uma riqueza, algo que realmente vale a pena na vida.

(Artigo publicado originalmente por LaFamilia.info)