Todos os post de

WebMaster Comunidade Fidelidade

Roteiro – Tempo de Multiplicar – Propagando a visão do Reino – 03/08 a 09/08

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 03/08 a 09/08

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 0308 a 0908

Encontro

  • Fraternidade: Oração e Partilha do Lanche e Entrosamento. Falar sobre a necessidade de multiplicarmos a célula para mais irmãos terem a oportunidade de fraternizar e comungar desta forma.

Exaltação

  • Salmo e músicas: à escolha da liderança.
  • Oração: Inicie o encontro com um tempo de oração de reconhecimento do Poder e da Graça do Senhor, impor as mãos aos mais necessitados! Ore pela multiplicação de sua Célula, para que tenhamos mais casas para acolher novas pessoas e multiplicar o amor de Cristo

Edificação

  • Escritura: Atos 9, 31 – 35 / Jeremias 29, 6b
  • Frase para decorar: “Ela ficava cada vez mais forte, crescia em número de pessoas com a ajuda do Espírito Santo e mostrava grande respeito pelo Senhor Jesus.”  (Atos 9 , 31)

Partilha do Líder: Quando olhamos para o crescimento das Células em nossa comunidade, vemos se cumprir uma profecia e concluímos que a visão da multiplicação de Células se faz urgente, não podemos pensar com sentimento de perda ou separação dos grupos, no entanto, atualmente o que experimentamos é um momento de festa e alegria, pois entendemos que como Célula, somos um organismo vivo que precisa crescer e multiplicar.  Essa festa já tem data: Dia 02 de Outubro na Grande Célula, que alegria!

Conhecer o nosso alvo como comunidade/Igreja, nos ajuda a entender a multiplicação como uma oportunidade de termos mais casas abertas para acolher e amar pessoas que precisam experimentar do amor de Deus. Esse amor é manifestado através da vida de irmãos que fazem parte de uma Igreja que tem como missão: “Ser uma comunidade igreja acolhedora, discipuladora e multiplicadora, que na dependência de Deus promove a transformação integral de pessoas, sociedades e povos.”

Um dos milagres mais marcantes de Jesus está relatado em João 6.1-13. Jesus multiplica cinco pães e dois peixes e alimenta cerca de cinco mil homens. O menino que ofertou os pães e peixes deu um passo de fé e demonstrou confiança no Senhor ao entregar tudo o que tinha. Cristo, antes de morrer e subir aos Céus, deixou-nos uma grande comissão relatada em Mateus 28.18-20, sendo que junto com a ordem, foi confiada uma importante promessa: “ …E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos.” Diante dessa promessa, somos desafiados a cumprir a missão confiada a nós, que envolve multiplicar o amor de Cristo, investindo em discípulos que geram discípulos, ampliando a presença do Corpo de Cristo na sociedade, e com isso, gerando impacto e transformação integral de vidas.

APLICAÇÃO PESSOAL

  1. Como entendemos a multiplicação na nossa Célula?
  2. No texto de Atos 9.32-35, vemos que o apóstolo Pedro se importou com a transformação integral das pessoas, pois além de levar o amor de Deus ele foi instrumento do Senhor para gerar cura física. O que você e sua Célula têm feito para atender às necessidades de pessoas que estão ao redor?

8 – Pacto – Aliança de Oração

“Eu faço um pacto de orar por cada membro da minha célula e do meu grupo de discipulado. Creio que meu amor e tolerância vão crescer na medida em que oro por eles. Eu sou companheiro de julgo dos meus irmãos, por isso decido ajudá-los a levar seus fardos em oração. Eu faço o pacto de lutar as suas guerras em oração e ser para eles retaguarda contra o inimigo”.

Evangelismo

  • Colheita: Almejando a multiplicação, pensemos nos alvos que poderão serem alcançados nas próximas células!

Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Orem uns pelos outros, pois: “Se pedirmos alguma coisa segundo a Sua vontade, Ele nos ouve” (1João 5, 14b).
  • Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula que acontecerá dia 02/10/2015. Intenções dos irmãos.

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do Grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados do mês. Convidar para ajudar na limpeza do salão SJPII.

O equilíbrio acima de tudo!

Por | PARTILHA DO FUNDADOR

Creio que você já ouviu ou leu algumas vezes o texto evangélico da visita de Jesus à casa de Marta e Maria. Uma cena marcada pela beleza da amizade e repleta de ensinamentos. A cena nos revela uma casa acolhedora e duas irmãs preocupadas em dar o melhor de si para aquele que chega. Cada uma do seu jeito. Marta, preocupada com os afazeres da casa, com a cozinha, oferecendo o alimento; Maria sentada com Jesus, serena, bebendo suas palavras, curtindo a sua presença, acolhendo o presente que ele oferece.

Diante do quadro, como era a intenção de Jesus, é inevitável não se perguntar: com qual personagem me identifico mais? Sou Marta ou Maria? O que Jesus quer dizer quando fala que Maria escolheu a melhor parte. Ela estaria certa e Marta, errada?

Sabendo que toda narrativa bíblica é “simbólica”, vai além do que se vê e se ouve, podemos e devemos transportar para nossa vida pessoal, familiar, comunitária tudo aquilo que a cena revela.

Certamente, hoje em dia, corremos o risco de sermos apenas Martas a vagar pela vida, cheias de afazeres e compromissos. Num mundo altamente globalizado, onde a competitividade move nossos impulsos, não temos mais tempo pra parar, rezar, silenciar ou até mesmo conversar com os amigos. Tudo isso se tornou sinônimo de perda de tempo, e ‘tempo é dinheiro’.

Infelizmente, só agimos como Maria quando nos encontramos em situações difíceis; sentamos aos pés de Jesus quando o medo ou a dor nos visita. Só paramos de trabalhar, quando a doença rouba as nossas forças, ou quando a idade pesa nos ombros.

Uma lição que nos vem logo é a importância do equilíbrio em tudo oque somos e fazemos. Há um tempo para tudo. Cada coisa tem o seu tempo e o seu lugar. Tudo na medida certa. Até o remédio em dose exagerada se torna veneno. E o veneno, na medida certa, bem usado, pode se transformar em vacina.

O episódio de Marta e Maria vai nos mostrar que a atitude de ambas é importante e necessária; e elas se completam. Mas é imprescindível cuidarmos primeiramente do nosso interior, do nosso coração, nos abastecer de sabedoria e de paz. Só depois, estaremos preparados para organizar o que é externo, arrumar a casa, servir o alimento. A visita que chega só se realiza com as duas coisas. A atenção, a acolhida e o serviço.

Na vida espiritual, podemos dizer que a ação sem oração e reflexão pode se tornar ativismo que esvazia. A oração sem compromisso, desligada do serviço, aliena e acomoda. O ativismo pode acabar escravizando. O fanatismo religioso é sempre um perigo.

Olhando para o gesto de Maria, vamos perceber que toda pessoa que acolhe verdadeiramente a Palavra também se sente impelida ao serviço.Toda Palavra anunciada e acolhida gera compromisso.

Por outro lado, Marta nos ensina que ninguém consegue viver inteiramente a serviço, sem uma pausa para refletir, avaliar, se alimentar, recarregar a bateria. Para produzir frutos precisamos fincar raízes no chão onde se encontra a seiva da espiritualidade.

Embora uma comunidade seja formada por pessoas diferentes; algumas mais ligadas ao serviço e outras ao silêncio e oração, é importante que todos busquem o equilíbrio entre escuta da Palavra e ação, entre celebração e compromisso. Sendo capazes de falar e escutar, ensinar e aprender, caminhar e parar, dedicar-se aos serviços pastorais e a si mesmos, estar atentos ao corpo e ao espírito. Devem transparecer em cada um de nós o corpo ativo de Marta e o coração passivo de Maria.

Roteiro – Como viver uma vida livre da cobiça e do materialismo – 27/07 a 02/08

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 13/07 a 19/07.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 2707 a 0208

Novo Layout do Roteiro para imprimir dos dois lados da folha usando uma como capa.

Encontro

  • Fraternidade: Oração e Partilha do Lanche e Entrosamento. Falar sobre a necessidade de multiplicarmos a célula para mais irmãos terem a oportunidade de fraternizar.

Exaltação

  • Salmo e músicas: à escolha da liderança.
  • Oração: Exaltar ao Senhor clamando uma renovação espiritual.

Edificação

  • Escritura: Êxodo 20, 15-17
  • Frase para decorar: “Não vivam como vivem as pessoas deste mundo!” (Romanos 12)

Partilha do Líder: Vivemos em uma sociedade de consumo e somos estimulados todos os dias por meio da mídia a desejarmos coisas que não temos ou que já temos e que “precisam” ser substituídas, ainda que estejam em bom estado. Como viver de forma diferente em meio a uma sociedade altamente consumista? Viver a mente aberta para a palavra de Deus, na qual encontramos o segredo para vivermos em busca da santificação todos os dias.

“Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele.” (Romanos 12, 2).

APLICAÇÃO PESSOAL

  1. Quando olhamos para este mandamento parece fácil viver sem roubar! Mas, você já pensou no significado mais profundo deste mandamento, além do direito à propriedade do outro, também podemos roubar a paz, roubar a alegria?
  2. Como se proteger do consumo exagerado, mesmo vivendo constantemente bombardeados pelo marketing de consumo. Como você tem agido para proteger e ensinar a sua família em relação a essa armadilha?
  3. Como você pode influenciar as pessoas que te cercam a se relacionarem com seus bens materiais, encontrando contentamento no que tem, vivendo sem cobiçar o que é do próximo?

CONCLUSÃO

Você e sua família têm ponderado nos gastos comprando o essencial e necessário?  Tem colaborado com as obras do Senhor financeiramente ou só quando sobra?

Evangelismo

  • Colheita: Vamos compartilhar as nossas necessidades no dia a dia com os irmãos de célula e também nossos motivos de gratidão a Deus!

 Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Compartilhem e orem uns pelos outros, pois: “Se pedirmos alguma coisa segundo a Sua vontade, Ele nos ouve” (1João 5, 14b).
  • Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula. Intenções dos irmãos.

8 – Pacto – Aliança de Assiduidade

“Eu reconheço a importância da reunião com os irmãos na célula e com toda a Igreja. Considero que sou edificado quando estou com meus irmãos. Não entristecerei o Espírito, nem impedirei o Seu trabalho na vida dos meus irmãos pela minha ausência, exceto em caso de emergência. Somente com a permissão d’Ele, em oração, vou considerar a possibilidade da ausência. Se estiver impossibilitado de comparecer por qualquer razão, por consideração, vou avisar ao meu líder para que todos os membros do grupo saibam por que estou ausente, para que possam orar por mim e não tenham preocupações comigo”.

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados do mês.

 

Moralidade dos atos humanos!

Por | PARTILHA DO FUNDADOR

A liberdade faz do homem um sujeito moral. Quando atua de maneira deliberada, o homem é responsável pelos seu atos. Os atos humanos, ou seja, os atos livremente realizados após um juízo de consciência, são moralmente bons ou maus.

A bondade ou maldade dos atos humanos depende de: 1º o objeto escolhido, 2º a intenção ou fim que se busca e 3º as circunstâncias da ação.

A pessoa humana se ordena à bem-aventurança por meio de seus atos deliberados; as paixões ou sentimentos que experimenta podem dispor ou contribuir a isso, mas em si mesmas as paixões não são nem boas nem más; só recebem qualificativo moral na medida em que depende da razão e da vontade.

O que são os atos humanos?

Os atos humanos são os atos livres do homem.

Como se qualificam moralmente os atos livres do homem?

Os atos livres do homem podem ser atos moralmente bons ou maus, mas nunca indiferentes.

De que depende a bondade ou maldade de um ato humano?

A bondade ou maldade de um ato humano depende do objeto eleito, da intenção ou fim que se busca e das circunstâncias da ação.

O que requer para que um ato seja moralmente bom?

Para que um ato seja moralmente bom requer-se por sua vez que seja bom no objeto, no fim e nas circunstâncias.

Um fim bom justificaria o uso de alguns meios maus?

Nunca, um fim bom jamais justificaria o uso de meios maus, porque o ato seria sempre mau; por conseguinte, não está permitido fazer um mal para obter um bem.

Somente a inteligência e a vontade intervêm nos atos humanos deliberados?

Não, as paixões também intervêm, que são os impulsos da sensibilidade, e segundo dependam ou não da razão e da vontade, há nas paixões bem ou mau moral.

Francisco pede atenção ao contexto e hermenêutica dos seus discursos

Por | PALAVRA DA IGREJA

Francisco pede atenção ao contexto e hermenêutica dos seus discursos para evitar “instrumentalização” das suas palavras.

O Papa Francisco lamentou a instrumentalização de algumas das suas palavras pronunciadas em sua recente passagem pela América do Sul e durante o voo de regresso à Roma pediu respeito ao contexto e à hermenêutica dos seus discursos e que suas palavras não sejam “instrumentalizadas” pela mídia.

Desta forma, o Santo Padre esclareceu as diversas mal interpretações e as análises que várias pessoas e meios fizeram de acordo aos seus próprios interesses no mundo todo.

No avião de regresso de Asunción (Paraguai), o Pontífice declarou aos jornalistas: “É muito importante no trabalho de vocês a hermenêutica de um texto. Um texto não pode ser interpretado com uma frase. A hermenêutica tem que ser em todo o contexto.”

“Existem frases que são a chave da hermenêutica. Outras que são ditas por alto. É necessário analisar todo o contexto da situação, inclusive ver a história narrada neste momento. Ou, se estamos falando de um determinado momento, devemos interpretar um fato passado com a hermenêutica desse tempo”, indicou o Papa.

O Pontífice advertiu ainda: “Cada palavra, cada frase de um discurso pode ser instrumentalizada”, como por exemplo, no caso equatoriano, quando alguns diziam que eu era a favor do governo, outros contra o governo” “Por isso prefiro falar da hermenêutica total”, disse o Papa, porque seus discursos “são sempre instrumentalizados” e lamentou que “algumas vezes existam notícias nas quais pegam uma frase fora de contexto”, mas assegurou que “não tem medo” desta atitude da mídia.

“Simplesmente digo: olhem o contexto e se me equivoco, com um pouco de vergonha, pedirei perdão e seguirei em frente”, assegurou.

Ao chegar ao Equador, no dia 5 de abril, o Pontífice destacou que “o povo equatoriano se colocou de pé, com dignidade” o que levou a que, em meio aos problemas políticos, greves e manifestações neste país, sua mensagem fosse interpretada de forma conveniente por ambos lados do conflito.

Durante a coletiva de imprensa, no voo que o levou do Paraguai à Roma, o Santo Padre assinalou que “evidentemente, sei que havia problemas políticos e greves. Eu sabia”, embora “não conhecesse as intrigas na política do Equador. Seria néscio se desse uma opinião a respeito do tema”.

O Papa Francisco destacou que “me disseram que houve um parêntese (nos protestos) durante minha visita, e eu agradeço. É um gesto de um povo que está de pé respeitar a visita do Papa. Agradeço e valorizo isto”.

“Evidentemente agora continuam os problemas e as discussões políticas”, indicou.

O Santo Padre explicou também que quando se referiu a que “o povo equatoriano se colocou de pé, com dignidade”, em seu discurso ao chegar ao Equador, referiu-se “a uma maior consciência que o povo equatoriano foi tomando da sua dignidade”.

“O Equador, – indicou o Papa – passou por uma guerra de fronteiras com o Peru há alguns anos, depois da qual existe uma maior consciência da maior riqueza étnica”.

“Equador não é um país de descarte, ou seja, me refiro a todo o povo e a toda a dignidade desse povo, que depois da guerra de fronteiras, se colocou de pé e tomou cada vez mais consciência da sua dignidade”, disse.

O Papa Francisco lamentou que “essa frase tenha sido instrumentalizada para explicar ambas as situações: que o governo colocou de pé o Equador, ou que teriam colocado de pé os opositores do governo”, concluiu.

AVIÃO PAPAL, 14 Jul. 15 / 01:56 pm (ACI)

As 5 fases do casamento!

Por | FORMAÇÕES

Descubra em que etapa você se encontra e transforme os desafios em oportunidades de crescimento.

Ainda que não haja regras gerais, é verdade que alguns fatores, tanto externos quanto internos, determinam circunstâncias especiais do casamento; por exemplo, estar casados e sem filhos não é a mesma coisa que levar 20 anos de união e ter filhos jovens.

Por isso, é de grande utilidade para os casais identificar a etapa em que vivem e as que estão por vir, para, assim, transformar os desafios em oportunidades de crescimento.

As 5 fases pelas quais o casamento passa são as seguintes:

1ª fase: Transição e adaptação

Esta fase compreende aproximadamente os três primeiros anos de casados. É uma etapa fundamental, dado que nela se estabelecem os fundamentos ou bases da relação. Durante este tempo, o casalse adapta a um novo sistema de vida; por isso, os segredos do sucesso desta fase são a comunicação e a negociação.

É importante que o casal faça um projeto familiar, no qual se visualizem no futuro, e estabeleçam as metas que querem alcançar. Os esposos são provados na forma como lidam com o dinheiro, com o tempo, bem como na distribuição das tarefas do lar, entre outras coisas. É um momento de decisões e acordos.

2ª fase: Estabelecimento e chegada dos filhos

Esta fase acontece entre os 3 e os 10 anos de casados, aproximadamente. A lua-de-mel e o processo de adaptação já terminaram e agora há um maior conhecimento do cônjuge; portanto, é provável que as desavenças sejam mais frequentes – ou, pelo contrário, diminuam, como resultado da maturidade adquirida na primeira etapa de convivência.

Nesta etapa, os esposos aterrissam: o amor é acompanhado mais pela razão que pelo sentimentalismo. A vontade tem um papel importante no binômio compromisso-entendimento.

Nesta época, muitos casais se tornam pais, fato que envolve desafios diferentes e uma nova organização dos papéis. Os cônjuges precisam evitar que a dedicação aos filhos substitua a relação de casal. Também é preciso velar para que os compromissos do trabalho e as demandas da vida diária não deem início a um gradual distanciamento.

3ª fase: Transformação

Esta fase costuma acontecer entre os 10 e 20 anos de casados e pode coincidir com a puberdade dos filhos e a meia-idade dos esposos. Esta última marca um período de reflexão e renovação na vida do ser humano; por isso, é importante que o casal se encontre em um estado saudável e que, individualmente, se viva da melhor maneira possível. Assim, não se tornarão uma ameaça para a estabilidade matrimonial.

Da mesma forma, os esposos precisam buscar que as dificuldades na educação dos filhos não afetem a união conjugal. A unidade na autoridade e o trabalho conjunto devem ser a prioridade.

Nesta etapa, os esposos precisam ser criativos, não cair na rotina (fácil e silenciosa), redescobrir-se novamente como casal e conectar-se mais uma vez.

4ª fase: Estabilidade e ninho vazio

Esta etapa chega entre os 20 e 35 anos de união. “Quando os casaisforam capazes de resolver conflitos e crises nas etapas anteriores, este é um período de estabilidade e uma oportunidade para chegar a um maior desenvolvimento e realização pessoal e como casal”, afirma o autor Francisco Castañera em seu artigo “Ciclo de vida docasamento”.

Nesta fase, geralmente se dá a “síndrome do ninho vazio”, o que situa o casal em uma nova forma de vida: os filhos foram embora e agora os esposos estão mais disponíveis um para o outro. Para algumas pessoas, esta pode ser uma circunstância difícil, pois envolve o desprendimento dos filhos e possivelmente o sentimento de solidão. No entanto, é algo que os pais acabam assumindo e superando ao longo do tempo.

casal: a capacidade de dialogar, tolerar melhor as diferenças, rir dos próprios erros, fazer as críticas de maneira carinhosa, iniciar juntos alguma atividade. É o momento de reafirmar mais ainda a criatividade e encontrar novos desafios na vida conjugal.

5ª fase: Envelhecer juntos

Esta etapa ocorre geralmente a partir dos 35 anos de casamento. Algumas pessoas optam pela aposentadoria, e assim surge algo muito positivo, pois há mais tempo para que os esposos curtam um ao outro. Realizam atividades antes impossíveis pelas ocupações de trabalho e encontram uma grande motivação: os netos. Estes pequenos dão luz e felicidade ao casal nesta fase.

Os esposos precisam de muito apoio e carinho um do outro. Os conflitos desta etapa são bem menos frequentes; a maioria doscasais se estabilizou em linhas de poder e intimidade.

Para finalizar, uma reflexão em palavras de Francisco Castañera: “Este percurso nos leva a refletir sobre a importância de valorizar, durante todo o nosso casamento, a qualidade e quantidade da nossa intimidade, o apoio e o carinho que damos ao nosso cônjuge, e não esperar a última etapa, quando o final está próximo”.

sources: LAFAMILIA.INFO

Roteiro – Fã admirador ou discípulos?

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Roteiro para Célula Jovem –> ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA JOVEM – 19 de Julho

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA JOVEM SEMANAL

Tema da Reunião: Fã admirador ou Discípulo?

Encontro

  • Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.

Exaltação

  • Salmo e músicas: A escolha

Edificação

  • Escritura: Mateus 16:24-27

Partilha do Líder

A fala de Jesus neste texto é inconfundivelmente clara, dispensa comentários. Não é possível haver dúvida sobre a Sua exigência feita àquele que quer ser seu discípulo. Multidões lhe seguiam, poucos, verdadeiramente eram seus discípulos. Isto, ainda é uma triste realidade nos dias atuais. Mas, qual a razão disto? É preciso fazer esta consideração, porque a alma é por demais preciosa para estarmos enganados a este respeito. Nós não podemos ter qualquer sombra de dúvida, sobre sua declaração. Ele disse que para ser Seu discípulo, é preciso:

  1. Negar a si mesmo.

O que é negar a mim mesmo? Que significa isto? Bem, nesse aspecto está em jogo as minhas preferências, a minha vontade em relação à de Deus. O apóstolo Paulo pôde declarar “Não mais vivo eu, mas Cristo vive em mim.” (Gálatas 2:20.)

Você consegue reconhecer quando está pensando somente em si mesmo, quando está tendo um excessivo cuidado pessoal. Quando isto ocorre, eu vivo na autodefesa, sou por demais sensível e melindroso, especialmente quando sou corrigido, estou sempre sendo “ferido” e “magoado”. Isto também é detectado quando percebo o desejo de querer ser reconhecido pelas pessoas, ser notado na forma como me visto, como falo bem, como canto, como sou inteligente, como sou superior aos demais.

Também, quando analiso meus momentos de infelicidade, tensão, irritabilidade, mau gênio e as coisas que disse, mas agora me envergonho. Vou perceber que tudo isto está ligado ao meu “eu”. Quando sou insultado, eu retalio, e ainda uso a desculpa; “Ah! Mas fulano me provocou, ele me fez isto e aquilo”. É verdade, ele também agiu assim por causa do seu “eu”, e você se ressentiu por causa do seu “eu”. É uma disputa de “eus”.

Isto quer dizer que sou eu quem está no comando do coração. E isto me separa do Senhor. Estando separado d’Ele, vivo infeliz. Em comunhão com Ele, sou feliz, independente das circunstâncias ao meu redor. Nada me abala.

Então, você tem se sentido infeliz? Não será porque está olhando e pensando somente em si mesmo? Lembre-se: Enquanto você for o dono do seu nariz, não será discípulo de Cristo.

Ele quer estar no comando do seu coração. Então, responda a pergunta que vai te esclarecer se és ou não um discípulo de Jesus: quem é o dono e está no controle do seu coração?

Por que você acha que Jesus veio ao mundo? Certamente que não foi somente para nos libertar de satanás, mas também de nós mesmos. Libertar de nosso orgulho, do nosso “eu”, conforme (II Coríntios 5:14-15). O orgulho, o egoísmo, fatalmente nos condenará ao fracasso. É preciso negar a si mesmo. É preciso colocar o meu eu no Eu de Deus. A consequência de negar o meu “eu”, é que assim vou poder;

  1. Carregar a minha cruz.

A cruz era o instrumento que os romanos empregavam para executar os piores criminosos, e por isto tornou-se símbolo de sofrimento e vergonha. Seguir a Jesus pode significar perder muitas coisas. Pode significar sofrer por causa d’Ele. Pode significar ser repudiado, rejeitado como Ele foi. Pode significar perseguição, desprezo, zombaria.

É por isto que primeiramente eu preciso negar-me, caso contrário jamais poderei carregar a minha cruz, e consequentemente, jamais serei um discípulo de Cristo. Poderei admirá-Lo, até segui-Lo…de longe é claro, mas, nunca ser verdadeiramente um discípulo Seu. E é isto exatamente o que Ele quer. Homens e mulheres que estejam dispostos a obedecer e fazer a Sua vontade incondicionalmente, mesmo que o preço seja a própria vida.

E você, é discípulo de Jesus? Quer ser discípulo de Jesus? Saiba, os seguidores de Jesus o mataram, os discípulos de Jesus morreram. Você está disposto a sacrificar Jesus, ou está disposto a sacrificar-se e entregar-se por Ele? O que perde a vida por amor de Cristo, ganha a vida eterna. Vale a pena ser mero seguidor e apreciador?

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados.

Evangelismo

  • Colheita: Vamos nesta semana testemunhar como jovens, sendo testemunhas de Cristo.

Entrega

  • Rezemos pela Comunidade Fidelidade e sua obra. Compartilhem e orem uns pelos outros, pois: “Se pedirmos alguma coisa segundo a Sua vontade, Ele nos ouve” (1João 5.14b).
  • Rezarem pelos líderes de sua célula, por novos líderes (auxiliares) discípulos e pela Multiplicação de sua célula Jovem. Intenções dos irmãos.

Anotações do Lider

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Roteiro – Prestação de Contas. Um compromisso com a Verdade – 20/07 á 26/07

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 13/07 a 19/07.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 2007 a 2607

Novo Layout do Roteiro para imprimir dos dois lados da folha usando uma como capa.

Encontro

  • Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.

Exaltação

  • Salmo e músicas: Salmo 51, 1-3 (NTLH) / 50, 1-5 outras.
  • Oração: Exaltar ao Senhor pedindo sua misericórdia e aceite nosso louvor.

Edificação

  • Escritura: Isaías 59.2 e Tiago 5.16
  • Frase para decorar: “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e façam oração uns pelos outros, para que vocês sejam curados. ” Tiago 5, 16

Partilha do Líder: Como viver uma prestação de contas com os irmãos e irmãs num mundo tão individualizado e sem perdão?

Podemos dizer que prestação de contas nos nossos dias, parece uma prática que está fora de moda. Entretanto, essa prática tem respaldo bíblico, pois vemos no texto de Tiago uma exortação, justamente para vivermos com transparência, “confessar” nossos pecados uns aos outros e pedir perdão. Necessitamos regressar aos ensinos da Palavra e torná-los prática em nosso viver diário. Também confessar ao sacerdote para nós que professamos a fé católica.

APLICAÇÃO PESSOAL

  1. Vivemos em dias de relacionamentos superficiais, mas somos constantemente desafiados pela Palavra de Deus, a sermos e vivermos de maneira diferente. Você tem desenvolvido relacionamentos significativos? Compartilhe.
  2. O texto de Isaias diz que o pecado e a maldade das pessoas, afastam-nas de Deus. De que maneira você pode contribuir para aproximá-las de Deus?
  3. É necessário um posicionamento firme em relação ao pecado, necessitamos confessá-lo para receber perdão. Você tem nutrido no coração sentimentos como amargura, ira ou raiva? Está com relacionamento quebrado com alguém, o que você fará para mudar isto? Vamos dar uma resposta concreta hoje e assumir um compromisso de pedir e dar o perdão?

CONCLUSÃO

Você e sua família têm investido tempo em oração e comunhão? Pedem e dão seu perdão? Compartilhem as experiências, assim outros também poderão desfrutar dessa benção. Além da prestação de contas aos irmãos e irmãs, principalmente nossos familiares, temos nos confessado com os Sacerdotes?

Pacto – Aliança de Prestação de Contas

“Dou a vocês o direito de questionar-me, confrontar-me e desafiar-me em amor, quando eu estiver falhando em relação à minha vida com Deus, à minha família e ao meu crescimento espiritual. Confio que vocês serão guiados pelo Espírito Santo quando assim o fizerem. Preciso de sua correção e repreensão, de modo a aperfeiçoar-me. Faço o pacto de aceitar a correção e não reagir!”

Avisos: Lembrar do Livro de intenções que será levado para Roma. Também lembrar a célula da importância de participar das missas e do grupo Parusia, principalmente da Grande Célula todos os primeiros sábados.