Category

FORMAÇÃO DE LIDERES

Como ler a Bíblia? Veja umas dicas.

Por | DOWNLOADS, FORMAÇÃO DE LIDERES, FORMAÇÕES

Download para Impressão: Como Usar a Bíblia

Download da Tabela periódica Bíblica: Tabela Periódica Bíblica

tabelaperiodicabibliaO que é a Bíblia

A Bíblia é um conjunto de livros escritos durante vários séculos, por várias mãos. A palavra Bíblia, ao pé da letra, significa “livrinhos”, plural da palavra grega biblíon (“livrinho”) que, por sua vez, é o diminutivo da palavra biblos (“livro”). A palavra “Bíblia” para se referir às Sagradas Escrituras foi usada pela primeira vez por João Crisóstomo, no quarto século depois de Cristo.

Assim, a Bíblia consiste de uma coleção de livros menores, diferentes entre si. Cada um desses livros aborda uma mensagem com a finalidade de iluminar a vida do povo de Deus, de acordo com a realidade da época em que foi escrito. Há, ao todo, 73 livros, escritos de diversos modos: história, poesia, hinos, cartas e outros escritos, conforme a mensagem a ser comunicada.

Os 73 livros que se encontram na Bíblia cristã dividem-se em duas partes: Antigo e Novo Testamento. A palavra “testamento” vem da tradução grega para a palavra hebraica berit, que significa “aliança”, “pacto”. Logo, as duas grandes partes da Bíblia referem-se à Antiga e à Nova Aliança entre Deus e o seu povo. Também se usa os termos primeiro testamento e segundo testamento ou seja, primeira aliança e segunda aliança.

Existe uma diferença entre a Bíblia dos católicos e a dos protestantes. As Bíblias protestantes não trazem sete livros: Judite, Tobias, 1º Macabeus, 2º Macabeus, Baruc, Eclesiástico e Sabedoria, além de Ester 10,4-16,24 e Daniel 13-14. Estes livros foram considerados inspirados num segundo momento, quando a Bíblia hebraica já estava bem formada, e entraram no conjunto dos textos sagrados somente quando a Bíblia hebraica foi traduzida para o grego, na tradução da Setenta, por volta do ano 250 antes de Cristo.

Como os protestantes aceitam somente a Bíblia hebraica como inspirada, estes textos ficaram de fora. Já os católicos aceitam a Bíblia grega e, portanto, os sete livros acima, escritos em grego, foram considerados sagrados. Hoje, porém, algumas Bíblias protestantes trazem também estes livros, que são conhecidos como “deuterocanônicos”.

ANTIGO TESTAMENTO – PRIMEIRO TESTAMENTO

Pentateuco (a Lei) = Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio

Os cinco primeiros livros da Bíblia formam o Pentateuco. Pentateuco é uma palavra grega que significa “cinco livros”. Foram escritos ao longo de 500 anos e falam da criação do mundo e da Aliança que Deus fez com o povo hebreu.

Livros históricos = Josué, Juízes, Rute, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas, Esdras, Neemias, Tobias, Judite, Ester, 1 e 2 Macabeus.

Os livros históricos formam a maior parte do Antigo Testamento. Contam a história desde a entrada na Terra Prometida até pouco antes do nascimento de Jesus. São divididos em três grupos:

  1. a) Josué, Juízes, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis: procuram mostrar que o importante na caminhada do povo é a fidelidade à Aliança com Deus. Quando as lideranças e o povo são fiéis à Aliança, recebem a bênção; quando há desrespeito ao pacto, caem em desgraça.
  2. b) 1 e 2 Crônicas, Esdras, Neemias, 1 e 2 Macabeus: escritos após o exílio na Babilônia, contam a história de modo a orientar o povo na reconstrução para organização e sobrevivência diante do poder estrangeiro.
  3. c) Rute, Tobias, Judite, Ester: apresentam situações vividas pelos judeus na Palestina ou no estrangeiro, com a finalidade de iluminar o povo. Não são acontecimentos históricos. São histórias inventadas a partir de situações reais e concretas do povo.

Livros sapienciais (Saber) e poéticos = Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Sabedoria, Eclesiástico

Nestes livros, temos a sabedoria e a espiritualidade do povo de Deus. Os livros de sabedoria são cinco: Jó, Provérbios, Eclesiastes, Sabedoria e Eclesiástico. Os livros de poesia são dois: Salmos e Cântico dos Cânticos.

Livros proféticos = Isaías, Jeremias, Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias

Os livros proféticos são tradicionalmente divididos em dois grupos: os profetas maiores e os menores, de acordo simplesmente com o tamanho dos livros. Os quatro maiores são Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel. Profetas foram aqueles que, ao longo da história, convocaram as lideranças e o povo para a conversão ou volta ao projeto de Deus, denunciaram situações injustas e alertaram para o julgamento de Deus. Anunciam a esperança, encorajam o povo a reconstruir sua própria história.

NOVO TESTAMENTO – SEGUNDO TESTAMENTO

Evangelhos = Mateus, Marcos, Lucas, João   –   Palavras da Salvação! Gloria a vós Senhor

A palavra “evangelho” quer dizer “boa notícia”. Cada um dos quatro evangelhos narra a boa notícia de Jesus, sua vida e missão, desde o nascimento até a paixão, morte e ressurreição. Foram escritos entre 30 e 70 anos depois da morte e ressurreição de Jesus, a partir das histórias que as comunidades recordavam e transmitiam de boca em boca. Os Evangelhos foram escritos não para mostrar os fatos históricos exatamente como aconteceram, e sim como um meio de se manter viva a lembrança das ações e das palavras de Jesus, para que continuassem iluminando sempre a vida do povo.

Atos dos Apóstolos = O evangelho de Lucas e os Atos dos Apóstolos formam uma só obra.

O evangelho de Lucas apresenta o caminho de Jesus, da Galileia a Jerusalém. Os Atos dos Apóstolos mostram o caminho das primeiras comunidades cristãs, ou seja, dos discípulos de Jesus, de Jerusalém a Roma.

Cartas de São Paulo = São 14 = Romanos, 1 e 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses, 1 e 2 Timóteo, Tito, Filemon, Hebreus, Tiago, 1 e 2 Pedro, 1 a 3 João, Judas.

Curiosidade: Hebreus é anônima, tradicionalmente atribuída a São Paulo – Dizem então que são 13 Cartas…

As cartas encontradas no Novo Testamento são divididas em dois grandes grupos: as cartas de Paulo e as cartas católicas. As cartas de Paulo visam responder a situações concretas e resolver problemas específicos das várias comunidades que o apóstolo acompanhava. As sete cartas católicas, ou universais, foram escritas para toda a Igreja, e não para pessoas ou comunidades em particular. Essas cartas são: uma de Tiago, duas de Pedro, três de João e uma de Judas.

Apocalipse = Apocalipse de João

O Apocalipse de João foi escrito para iluminar a vida das comunidades que enfrentavam a perseguição no final do primeiro século depois de Cristo. Nesse livro, há muitas imagens e símbolos do Antigo Testamento que para nós muitas vezes dificultam a compreensão, mas eram familiares ao povo da Bíblia. A palavra apocalipse não quer dizer previsão sobre o futuro, mas revelação. No Apocalipse encontramos a revelação do próprio Jesus Ressuscitado.

Abreviaturas e citações

Para facilitar as citações em geral, os livros da Bíblia foram divididos em capítulos e os capítulos em versículos (pequenos versos). Existem várias traduções da Bíblia no Brasil, e por isso, o modo mais prático de citar um texto não é pelo número da página, e sim pelo livro, seguido do capítulo e do versículo. Cada livro é citado usando-se uma abreviatura. A lista a seguir apresenta as abreviaturas dos livros bíblicos por ordem alfabética:

Ab Abdias
Ag Ageu
Am Amós
Ap Apocalipse
At Atos dos Apóstolos
Br Baruc
Cl Colossenses
1Cor 1ª carta aos Coríntios
2Cor 2ª carta aos Coríntios
1Cr 1º livro das Crônicas
2Cr 2º livro das Crônicas
Ct Cântico dos Cânticos
Dn Daniel
Dt Deuteronômio
Ecl Eclesiastes (Coélet)
Eclo Eclesiástico (Sirácida)
Ef Carta aos Efésios
Esd Esdras
Est Ester
Ex Êxodo
Ez Ezequiel
Fl Carta aos Filipenses
Fm Carta a Filemon
Gl Carta aos Gálatas
Gn Gênesis
Hab Habacuc
Hb Carta aos Hebreus
Is Isaías
Jd Carta de Judas
Jl Joel
Jn Jonas
Jo Evangelho segundo João
1Jo 1ª carta de João
2Jo 2ª carta de João
3Jo 3ª carta de João
Jr Jeremias
Js Josué
Jt Judite
Jz Juízes
Lc Evangelho segundo Lucas
Lm Lamentações
Lv Levítico
Mc Evangelho segundo Marcos
1Mc 1º livro dos Macabeus
2Mc 2º livro dos Macabeus

 

Ml Malaquias
Mq Miquéias
Mt Evangelho segundo Mateus
Na Naum
Ne Neemias
Nm Números
Os Oséias
1Pd 1ª carta de Pedro
2Pd 2ª carta de Pedro
Pr Provérbios
Rm Carta aos Romanos
1Rs 1º livro dos Reis
2Rs 2º livro dos Reis
Rt Rute
Sb Sabedoria
Sf Sofonias
Sl Salmos
1Sm 1º livro de Samuel
2Sm 2º livro de Samuel
Tb Tobias
Tg Carta de Tiago
1Tm 1ª carta de Timóteo
2Tm 2ª carta de Timóteo
1Ts 1ª carta aos Tessalonicenses
2Ts 2ª carta aos Tessalonicenses
Tt Carta a Tito
Zc Zacarias

 

Exemplos

Para indicar todo o capítulo 12 do Gênesis, basta escrever: Gn 12.

Para indicar o versículo 3 do capítulo 12, escreve-se: Gn 12,3. Como se vê, capítulo e versículo são separados por vírgula.

Para indicar mais de um versículo, basta usar um hífen entre eles:

Gn 12,1-3 se refere, por exemplo, ao livro do Gênesis, capítulo 12, do versículo 1 até o 3.

Quando se quer indicar versículos que não se encontram na sequência, usa-se o ponto: Gn 12,1.4.7.14 se refere ao capítulo 12 do Gênesis, versículos 1, 4, 7 e 14.

O mesmo vale para os capítulos: Gn 11-14 se refere aos capítulos 11 até o 14 do livro do Gênesis. Já Gn 11.14 se refere aos capítulos 11 e 14, saltando os capítulos 12 e 13.

Para citar textos em versículos de diversos capítulos, usa-se o ponto-e-vírgula: Gn 11,12; 13,4; 15,7 se refere ao livro do Gênesis, capítulo 11, versículo 12; capítulo 13, versículo 4; capítulo 15, versículo 7.

Uma citação como Gn 11,3-14,7 merece atenção. Note-se que depois do hífen existe outra vírgula, e não o ponto-e-vírgula como no exemplo anterior. Como vimos, o número antes da vírgula indica sempre o capítulo. Assim, a citação Gn 11,3-14,7 está indicando o livro do Gênesis, do capítulo 11, versículo 3, até o capítulo 14, versículo 7.

Células: problemas e SOLUÇÕES

Por | FORMAÇÃO DE LIDERES, FORMAÇÕES

celulasproblemasesolucoes

A liderança responsável é o segredo do sucesso em qualquer ministério, e administrar um grupo pequeno requer cuidados que garanta a saúde do grupo. Muitas são as possibilidades de dificuldades em uma célula assim como em qualquer outro ministério, igreja ou comunidade.

Quando o líder é pró ativo e lidera de forma preventiva tudo fica mais fácil e a célula cresce glorificando a Deus a cada semana. O que fazer com dificuldades que surgem? Como resolver problemas que surgem nos encontros? Vou tentar sugerir algumas soluções para dificuldades que surgem nas células. O grande objetivo da célula é criar um ambiente de relacionamentos significativos para vivenciar o cristianismo em uma comunhão genuína que glorifica a Deus.

  1. Membros sem compromisso com a célula: Neste caso o líder deve procurar ter uma conversa extra célula com essa pessoa ou família, expressando a importância do envolvimento deles para o grupo, e verificando se existe um motivo especial para a falta de comprometimento.
  1. Pessoas que monopolizam o encontro:Nesse caso, o líder deve sinalizar para a pessoa ajudando-a a enxergar e controlar sua postura no encontro. Em alguns casos isso vai ser necessário acontecer até mesmo durante o encontro, colocando limites na participação.
  1. Pessoas que não falam:Muitas pessoas são tímidas, isso não é pecado, nem mesmo um problema grave da pessoa tem a ver com a personalidade. Com muito cuidado para não colocar essa pessoa em constrangimento, o líder pode e deve direcionar perguntas para ela que não sejam complexas nem pessoais demais. Aos poucos essa pessoa vai se soltando com o grupo e isso fará diferença na vida dela.
  1. Falta de vice-liderança:Essa dificuldade posterga a possibilidade da multiplicação da célula, sem contar que sobrecarrega o líder que não tem com quem dividir as tarefas comuns. É necessário observar o comportamento dos membros durante os encontros, desafiar e orar com essa pessoa durante um tempo antes de oficializar a vice-liderança kamagra price online.
  1. A célula resiste a novas pessoas no grupo:Essa resistência nem sempre é assumida, pode se notar essa postura quando a célula não valoriza os visitantes ou nunca têm visitantes, é preciso conversar abertamente com o grupo mostrando com clareza essa realidade e desafiar a uma mudança. Leve o grupo a orar sobre isto durante um tempo estabelecido. Retome as partilhas sobre evangelismo.
  1. A célula não convida outras pessoas, nunca tem visitante:Essa dificuldade pode estar relacionada ao jeito de ser dos membros e não por desinteresse, independente da razão são necessárias ações práticas como alvos para o próximo encontro, onde cada um apresente o nome das pessoas que vão convidar, oração especifica sobre isso e não desanimar durante a campanha de crescimento estabelecida pelo grupo.
  1. Falta de crescimento espiritual dos membros:Como corpo de Cristo e família de Deus, temos responsabilidades uns para com os outros, e quando percebemos que o grupo está acomodado na vida espiritual precisamos intervir, desafiando o grupo a estudar a Palavra em um grupo de estudo da igreja, iniciar um grupo com a célula de “Raízes” ou outro material de estudo, intensificar os companheiros de fé. Jejum da célula e sem dúvida oração e busca por avivamento.
  1. Falta de estrutura para as crianças:A célula precisa olhar com muito carinho para os pequeninos e fazer um rodízio de membros para cuidar deles, buscar recursos com o supervisor. O ministério está preparado e tem recursos para isso? Negociar com as crianças o modelo do encontro delas.
  1. Membros de outras igrejas e denominações frequentando o encontro:Muitas igrejas não têm o modelo de grupo pequeno e isso tem atraído pessoas para nossa célula.  Nosso desejo é que o líder seja cuidadoso, e não motive essas pessoas ou família a permanecerem no grupo, caso a pessoa se mostre interessada em participar da célula, ela deve conversar com o seu “pastor” sobre isso e colocar em oração se esta é realmente a vontade de Deus. O objetivo da célula é alcançar pessoas para Cristo e não “pescar em aquário”.
  1. Visitantes nunca são integrados:Algumas células recebem muitos visitantes, mas eles nunca voltam. Isso é incomum e deve ser tratado com o grupo buscando mudança de estratégias com os visitantes. Pegar o telefone com ele ou a pessoa que o convidou, ligar durante a semana agradecendo pela visita e convidando para o próximo encontro, atenção redobrada na hora do lanche são procedimentos que devem mudar este quadro.
  1. Falta comunicação:A comunicação é primordial e às vezes o líder da célula pode estar com dificuldades de manter o grupo informado do próximo encontro ou de algo que está acontecendo com alguém do grupo, para isso é importante que uma pessoa com dom e condição para isso seja eleita no grupo, pode ser o vice-líder ou um secretário só para enviar os e-mails, dar telefonemas e manter o grupo atento a tudo que está acontecendo.
  1. Falta pontualidade, sempre começa atrasado:Horário é um fator muito importante na qualidade da célula, por mais que temos um modelo de encontro com descontração isso não justifica a célula começar com atraso, é necessário falar com os atrasados e pedir que eles cheguem na hora e quando precisar chegar atrasado que não distraia ou atrapalhe o andamento da reunião.
  1. Não tem horário para terminar:A célula precisa terminar no horário para que haja tempo significativo na hora da comunhão e lanche, e para que as pessoas não cheguem muito tarde à suas casas, o que pode comprometer o outro dia de trabalho, o estudo das crianças. Quando isso é respeitado, as pessoas não vão ter dificuldade de voltar e participar do próximo encontro.
  1. Resistência a multiplicação:Esse é um problema muito comum. É muito importante que os benefícios da multiplicação estejam claros no coração de cada membro da célula. Multiplicar possibilitar que outras pessoas cheguem ao grupo e a igreja, a célula para de crescer quando alcança o limite físico (tamanho das salas), quando alguns não conseguem mais participar muito das discussões e compartilhar suas necessidades. O número ideal, e que promove interação adequada é de no máximo 15 pessoas no encontro. Quando se atinge esse número de membros, o líder já deve começar a planejar a multiplicação de forma que assim que atinja 12 ou mais membros a célula seja multiplicada.
  1. Nunca tem eventos extra célula: Um churrasco, um passeio no parque, uma visita a uma instituição filantrópica ou uma pequena excursão do grupo, promove muito mais intimidade nos relacionamentos, amizade autêntica, cumplicidade, esses eventos abençoam muito a célula. É preciso cuidar para não serem seguidos (em sequência), e também para não concorrer com eventos da igreja e comunidade e que não sejam decididos somente pelo líder, sim decidido em conjunto, com todos os membros da célula.
  1. Indisciplina das crianças e inércia dos pais:Alguns pais têm dificuldades em disciplinar seus filhos e até nisso a célula pode abençoar. As crianças da célula precisam ser amadas por todos, elas são muito importantes e precisam enxergar isso nas atitudes. O líder e os membros da célula devem colocar limites nas crianças em amor e que contribua para o crescimento delas, os pais que não estão cuidando de seus filhos com responsabilidade devem ser confrontados, mas também se sentirem apoiados pelo grupo. As crianças da célula são nossas crianças e isso muda tudo no tratamento delas!
  1. Faltam casas para os encontros:Algumas pessoas têm dificuldades de receber pessoas em sua casa por ser pequena, por ser simples, etc. E o líder precisa trabalhar isso com muito carinho, pois não existe padrão estabelecido para um encontro, a célula vai à casa de todas as famílias e abençoa aquela casa. Quando a célula começa a ter dificuldades de realizar o encontro em algumas casas devido ao tamanho, ela já passou da hora de multiplicar! Entendeu??? Doze normalmente cabe.
  1. Casais em crise conjugal:Quando um casal da célula está apresentando dificuldades no relacionamento conjugal é preciso apoiá-los e participar da restauração de Deus na vida deles. Outro casal da célula pode ser desafiado pelo líder a envolver-se com eles, é muito importante que haja sigilo até que o próprio casal exponha ao grupo suas dificuldades. Podem ser convidados para um tempo de aconselhamento na Comunidade. No caso de falta de respeito um pelo outro em público eles precisam ser confrontados pelo lidere em particular. Em caso de situações constrangedoras ocorridas no momento da reunião o líder deve interrompê-los e orar com toda a célula não permitindo justificativas de nenhuma das partes no momento de conflito.
  1. Membros que abandonam a célula e não justificam:Quando um membro apresenta dificuldades com o grupo é preciso investir nele para esclarecer os fatos com a intenção de abençoar, ele deve ser procurado pelo líder ou por um membro que tenha acesso a ele para tentar envolvê-lo, lembrando que a decisão de participar da célula é dele. A Comunidade dispõe de outras células onde esse membro pode se envolver, o líder deve esclarecer o fato com a célula informando que aquele membro está participando de outra célula e que isso foi resolvido.
  1. Frequentadores da Célula que não se integram à igreja:Objetivo da Célula é levar pessoas a Cristo integrando-a no corpo de Cristo através do batismo. E também o de frequentar Missas, Grandes Células e outros compromissos cristãos. É importante ressaltar que o ministério de célula possui uma estrutura que auxilia o líder e vice-líder na resolução de dificuldades, o supervisor é a pessoa que deve ser informada sobre complicações e por sua experiência ou direcionamento da liderança maior do ministério trará a ajuda que resultara na resolução do problema.