Category

ROTEIRO DAS CÉLULAS

Roteiro – Acolhida e bom tratamento de todas as pessoas – 01/06 a 07/07

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 0106 a 0706

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores.

Objetivo: Propósito do Evangelismo

Tema da Reunião: Acolhida e bom tratamento de todas as pessoas.

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Assunto: Motivar para a próxima grande célula dia 06/06.
  • Pedido: Avisar sobre ajuda na limpeza do salão.
Exaltação
  • Salmo: A Escolha
  • Oração: Orar impondo as mãos uns pelos outros.  
Edificação
  • Escritura: Invoque o Espírito Santo e leia: Hb 13,1-3 e Rm 15, 7
  • Frase para decorar: “Aceitem uns aos outros para a glória de Deus, assim como Cristo aceitou vocês” (Rm 15,7).

Partilha do Líder: Acolhida e bom tratamento de todas as pessoas.

O texto que precede esta citação sobre o valor da acolhida e do bom tratamento às pessoas é muito forte. Está escrito: “Por isso sejamos agradecidos, pois já recebemos um Reino que não pode ser abalado” (Hb 12,28a). De fato, o Reino de Deus já está dentro de nós e nós estamos dentro desde o momento em que aceitamos a Cristo em nossas vidas (cf. Lc 17,20-21).

A acolhida é um momento primordial para a decisão da pessoa em continuar ou desistir, voltar na comunidade ou naquele momento de fraternidade. (Capitulo Acolher, Pg 68 – Livro Faz-me Fiel)

Esse é o reinado interior, quer dizer, o senhorio de Cristo sobre os discípulos. Mas esse reino interior e invisível é a preparação para o reino exterior e definitivo, o mesmo que rogamos no Pai-Nosso: ‘Venha a nós o Vosso Reino…’.

Quando este reinado universal se instaurar definitivamente todas as pessoas haverão de se dobrar diante do Rei e confessar Sua majestade no céu, na terra e nos infernos (cf. Mt 25,31-32; Fp 2,9-11). Mas até que chegue esse momento final da história temos de preparar os caminhos do Reino, ou seja, preparar o caminho para Jesus entrar nos corações e isso se dá pela evangelização (cf. Lc 1,76).

Carregamos dentro de nós essa missão inegociável: salvar vidas, ganhar pessoas para Cristo! (cf. 1 Cor 9,16.22). Isso se dá tanto por meio da constituição de relacionamentos de comunhão (evangelismo por amizades como vimos), como por meio da acolhida, que é a porta de entrada para esse Reino.

O autor de Hebreus fala de uma continuidade: “Continuem a amar uns aos outros como irmãos em Cristo” (13,1). Quer dizer, a comunidade ganha vida sempre que seus membros praticam o uns aos outros, sempre que eles se amam. O amor oxigena o corpo e faz a vida circular. Mas além de cobrar novo ânimo na mutualidade, ele dá outra ordem: “Não deixem de receber bem aqueles que vêm à casa de vocês” (v.2b).

Isso fala do perigo que qualquer comunidade – pequena, como uma única célula ou grande como uma comunidade nova ou paróquia – corre, o perigo de fechar-se. Uns fecham-se em interesses egoístas: preservar posição, cargo e ministério; outros, porém, podem fechar-se à acolhida em nome da “preservação da comunhão”.

Aparentemente um motivo justo, mas, se analisado à luz das Escrituras, tão pernicioso quanto o primeiro. O fato é que a nossa comunhão precisa transbordar em evangelização e a nossa evangelização deve culminar em comunhão.

Na Bíblia da CNBB se diz: “Não descuides da HOSPITALIDADE”. Essa palavra nos faz lembrar de outras de outras como hospedaria e hospital.

Hóspede deriva de um termo latino: hospes, que tem o sentido de “alimentar, nutrir, suprir”. Era usado, sobretudo com pastores que cuidavam do gado, provendo bons pastos. Nesse sentido tem a ver com “hospital”, lugar de cuidados e socorro. Também daí vem a palavra “hóstia”, cujo sentido é vítima oferecida em sacrifício para alimentar.

Com tudo isso, vemos que acolhida deve ser muito mais do que o simples gesto de recepcionar bem as pessoas no templo e nas casas (células). Vai além de sorriso, aperto de mão e entrega de folheto… acolher é dar-se, é ter a consciência de que o que nos visita possivelmente é um enfermo que precisa de cura ou um faminto que carece de alimento. A acolhida aos outros deve ter por medida a acolhida de Cristo a nós (cf. Rm 15,7).

A célula hospitaleira é, na verdade, um hospital, e o que é um hospital senão um lugar de cura, de provisão das necessidades espirituais e materiais!? É isso!

A Igreja é o hospital onde o Médico dos médicos atende, mas para que as pessoas cheguem Nele muitas vezes passam por nós, por nossa ministração ou serviço, como a calorosa acolhida e o bom tratamento, por isso Jesus falou da Igreja como hospedaria (cf. Lc 10,34).

Quem acolhe o outro com amor é como uma hóstia viva ao seu irmão: “Exorto-vos, portanto, irmãos, pela misericórdia de Deus, a que ofereçais vossos corpos como hóstia viva, santa e agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual” (Rm 12,1 – Bíblia de Jerusalém).

  • Questões
  1. Como acolhemos nossos irmãos na fé? Acolhemos só por educação ou desejo a salvação para ele?
  2. Estamos preparados para acolher a todos os “estrangeiros” em nossa célula?
  3. O que podemos fazer para acolher melhor uns aos outros?
? Evangelismo
  • Colheita: Dar mais atenção aos irmãos e acolher bem a todos. Principalmente os que pretendemos trazer para célula, já irmos preparando o caminho do convite…
Entrega
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

_____________________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________________

Anotações do Líder

 

Roteiro – Evangelismo por amizade – 25/05 à 31/05

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 2505 a 3105

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores

Objetivo: Propósito do Evangelismo

Tema da Reunião: Evangelismo por amizade.

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Assunto: Motivar para a próxima grande célula dia 06/06.
  • Pedido: Lideres, solicitar que auxiliares iniciem a leitura bíblica e início da partilha.
Exaltação
  • Salmo: A Escolha /  Louvor: Quero Louvar-te   /   Adoração:  Não há Deus Maior
Edificação
  • Escritura: Eclesiastes 4, 7-12 (NTLH)
  • Frase para decorar: “Quando estou entre os fracos na fé, eu me torno fraco também a fim de ganhá-los para Cristo” (1 Cor 9,22a).

Partilha do Líder: Evangelismo por amizade.

Essas palavras vêm de encontro a aspiração do carisma de nossa Comunidade Fidelidade: Ser Santo para Santificar. Elas baseiam-se no Evangelho de MT, 5 – 48. Leia e ore com elas!

No clamor dos homens de ontem e de hoje ouvimos a voz do Espírito, que nos chama à Nova Evangelização. Mas daí vem a pergunta: “Como responder a isso de forma tão eficaz, como fizeram as primeiras gerações cristãs? ”.

A força dos relacionamentos

A mensagem do Evangelho é essencialmente um convite ao relacionamento. Os primeiros discípulos, que tinham um relacionamento pessoal com Jesus, tanto físico-afetivo como espiritual, convidavam outras pessoas, principalmente de seu círculo de amizade, de seu mundo, para tomarem parte nesta doce comunhão com Deus e uns com os outros (cf. 1 Jo 1,1-4).

Dentro da ótica do NT a salvação de uma pessoa passa pela imersão dela em uma comunidade cristã (cf. At 2,47b). Não há salvação solitária, isolada. A experiência de salvação se dá no contexto comunitário, eclesial.

Veja o exemplo de São Paulo. Ele perseguia cristãos e comunidades, mas quando foi iluminado pelo céu e lançado ao chão, ouviu de Cristo: “…Por que você me persegue? ” (At 9,4).

Perseguindo a Igreja (cf. Fp 3,6) na verdade atacava a Cristo, pois ela é o Seu Corpo Místico (cf. Cl 1,18). Logo, o encontro com Deus está ligado a uma experiência comunitária.

A via pela qual a maioria das pessoas vai a Cristo é o relacionamento com cristãos. A partir de um amigo a pessoa é apresentada ao Grande Amigo! (cf. Jo 15,15)

Antes de pregar o Evangelho com palavras temos de pregá-lo com a vida vivida, ou seja, com o testemunho, com o bom relacionamento com as pessoas.

Evangelismo não é tanto transmissão do conteúdo informacional do Evangelho, mas relacionamento efetivo com incrédulos e afastados.

Não à toa se diz nos evangelhos que o apelido de Jesus era “comilão e beberrão; amigo dos cobradores de impostos e de outras pessoas de má vida” (Lc 7,34). Jesus era relacionamento!

O fato de alguém dizer de um púlpito: “Jesus te ama e eu também” é o mesmo que oferecer um relacionamento sem estar presente. Entregar um folheto evangelístico não é a mesma coisa que entrar em contato pessoal com nossos alvos.

Na Evangelli Gaudium o Papa Francisco propõe o evangelismo por amizades como principal método de evangelização moderno.

De pessoa a pessoa. Hoje, que a Igreja deseja viver uma profunda renovação missionária, há uma forma de pregação que nos compete a todos como tarefa diária: é cada um levar o Evangelho às pessoas com quem se encontra, tanto aos mais íntimos como aos desconhecidos. É a pregação informal que se pode realizar durante uma conversa, e é também a que realiza um missionário quando visita um lar. Ser discípulo significa ter à disposição permanente de levar aos outros o amor de Jesus; e isto sucede espontaneamente em qualquer lugar: na rua, na praça, no trabalho, num caminho” (n. 127)[1].

  • Questões
  1. O que a Bíblia ensina sobre o valor da amizade? (Eclo 6,14).
  2. O que podemos obter e dar através de boas amizades? (Eclo 6,15-17).
  3. O que aprendemos sobre evangelismo por amizades?
  4. Explique o que é uma célula a partir de Eclesiastes 4,7-12. (Pode ser em Casa)
? Evangelismo
  • Colheita: Em um gesto concreto, durante a semana falar sobre as células a uma pessoa.
Entrega
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

_____________________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________________

Anotações do Líder

 

http://www.cifraclub.com.br/flavinho/quero-louvar-te/

http://www.pegacifra.com.br/cifras/padre-zeca/nao-ha-deus-maior_5007.html

Roteiro – Responsabilidade com os irmãos e prestação de contas – 18/05 a 24/05.

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 1805 a 2405

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores

Objetivo: retomar a visão dos valores básicos de nossa comunidade e sua aplicação prática por meio dos 5 propósitos de Deus para a Igreja

Tema da Reunião: Responsabilidade com os irmãos e prestação de contas

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Assunto: Motivar para a próxima grande célula dia 06/06.
  • Pedido: Lideres, solicitar que auxiliares iniciem a leitura bíblica e início da partilha.
Exaltação
  • Salmo: Salmo 46 (NTLH) – Outras Traduções: Salmo 45
  • Louvor: Eu te busco / Se começarmos a Orar!
  • Adoração: Clamamos ó Jesus.
Edificação
  • Escritura: Gálatas 6, 1-10 (NTLH)

Frase para decorar: “Ajudem uns aos outros e assim vocês estarão obedecendo à lei de Cristo” (Gl 6,2).

Partilha do Líder: Célula, pequeno grupo de relacionamento

O desejo de ser, ter e poder mais… Quantos desejos cercam o nosso coração? Desde que a serpente enganou nossos pais, fazendo-os trocar a vontade divina pela deles, travamos uma ferrenha luta, da qual nem sempre vencemos… (cf. Rm 7,14s).

Isso não foi diferente com os discípulos de Cristo. Leia Mc 9,33-37. Não obstante os ensinamentos e, sobretudo o testemunho de vida simples de Jesus, com frequência eles se debatiam em seus caprichos, sendo, a seguir, confrontados com a contundente humildade de Cristo.

O Evangelho mostra que diante Dele os discípulos – ou por medo ou por vergonha –, calaram-se e fingiram que nada havia acontecido. Todavia, Aquele que sonda tudo (cf. Sl 139,1-2), sentiu o clima e detectou os sintomas da doença que estava alojada naquela em Sua pequena comunidade.

Jesus sentou-se e chamou-os (traços característicos no ministério de Jesus, pautado pela comunhão), e com poucas palavras, servindo-se do exemplo de uma criança, ministrou um precioso ensino sobre o valor da comunhão, da responsabilidade mútua e do serviço uns aos outros.

De fato, Cristo espera que em nossas células sejamos servos e ministros uns dos outros. Mas para chegar nisso temos de compreender o que é ser um ministro. Ora, o NT ensina que Cristo é o ministro por excelência (cf. Lc 22,27), porque durante sua vida optou em cuidar das pessoas, às vezes esquecendo-se de si mesmo (cf. Jo 4,31). O servo é aquele que se coloca abaixo para sustentar e facilitar a vida de quem ele serve. O servo dá suas coisas e a sua vida se preciso…

“Nós que somos fortes na fé devemos ajudar os fracos a carregarem as suas cargas e não devemos agradar a nós mesmos. Pelo contrário, cada um de nós deve agradar o seu irmão, para o bem dele, a fim de que ele cresça na fé” (Rm 15,1-2).

Carregar a carga significa oferecer descanso, como fez Jesus (cf. Mt 11,28). O versículo a ser memorizado nesta semana – Gl 6,2 – na Bíblia da CNBB é assim apresentado: “Carregai os fardos uns dos outros; assim cumprireis a lei de Cristo”. Na NTLH: “Ajudem uns aos outros e assim vocês estarão obedecendo à lei de Cristo.”

A lei de Cristo é carregar o fardo do irmão e isto implica exercer a correção fraterna quando preciso (cf. Mt 18,15) e este serviço, esta ministração concreta vem acompanhada de uma linda promessa. Confira: Tg 5,19-20.

No Reino de Deus o que rege é a lei do amor, demonstrada na parábola do samaritano, onde Jesus nos convida a curar a ferida do outro e mostrar as nossas também (cf. Lc 10,25s).

Esse compromisso tão sério do uns com os outros decorre do fato de sermos membros de um único corpo chamado comunidade cristã ou Igreja. Assim, quando a mão ajuda o pé beneficia-se também; comunhão é colocar os interesses dos outros a frente dos próprios (cf. 1 Cor 12,21s; Cl 3,14-15).

Se um membro da comunidade pensa que seus irmãos não têm nada a ver com a sua vida, esta pessoa está no lugar errado. Prestar contas vai além do conceito casual de quitar dívidas.

Prestar contas nessa ótica de koinonia é a disposição voluntária de regularmente compartilhar com as pessoas certas informações importantes sobre nossas vidas para avaliação, aconselhamento e passos futuros. Tiago 5,16 fala de uma confissão de pecados uns aos outros e oração uns aos outros como caminho de cura! Um irmão afia o outro, ensina Pv 27,17.

Quem reconhece sua impotência e limites é capaz de entregar áreas determinadas de sua vida ao cuidado de irmãos apropriados, em quem decidimos confiar, por considerar neles o agir de Cristo (discipulador, formador, líder etc.). Mas para isso a pessoa deve combater o orgulho, abrir mão do isolamento e do medo de mostrar feridas. Disso depende seu sucesso (cf. Pv 28,13)

Quando Jesus tomou a criança na ocasião em que corrigiu os discípulos, mostrou que temos de ter essa atitude de criança, que raramente esconde uma necessidade, sentimento ou incomodo. Criança é livre para pedir, chorar, se abrir e ir para o colo, pois não se preocupa com sua imagem.

  • Questões
  1. O que é prestar contas, segundo o apóstolo Tiago? (Tg 5,16).
  2. E quando a pessoa se fecha e não toma a iniciativa de prestar contas, o que deve fazer o cristão maduro em relação a ele? (Tg 5,19-20).
  3. O que é ter responsabilidade pelos irmãos?
  4. Qual deve ser o critério adotado por quem se põe a corrigir fraternalmente alguém na comunidade, seja quem for? (Gl 2,11-14 – destaque ao v.14).
? Evangelismo
  • Colheita: Falar em voz audível (os que quiserem) o nome de quem você pretende convidar para próxima célula quando esta se multiplicar.
Entrega
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

Roteiro – Célula, pequeno grupo de relacionamento – 11/05 a 17/05

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 1105 a 1705

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores

Objetivo: retomar a visão dos valores básicos de nossa comunidade e sua aplicação prática por meio dos 5 propósitos de Deus para a Igreja

Tema da Reunião: Célula, pequeno grupo de relacionamento

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Assunto: Motivar para a próxima grande célula dia 06/06.
Exaltação
  • Louvor: Eu te busco
  • Adoração: Espírito enche a minha vida.
Edificação
  • Escritura: Ef 2,13-22 / 1 Pedro 2,1-10
  • Frase para decorar: “Você é Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e nem a morte poderá vencê-la” (Mt 16,18).
  • Partilha do Líder: Célula, pequeno grupo de relacionamento

Que diferença há entre uma parede e uma pilha de tijolos?

Há algum tempo, um depósito de materiais para construção resolveu fazer seu muro com os próprios blocos de cimento que vendia, mas para não gastar outros materiais usava as pilhas de blocos soltos e assim mantinha o local cercado.

Porém, a cada nova viagem de tijolos que vendia era preciso repor outra pilha no local da anterior, senão a loja ficava desguarnecida. Isso sem dúvidas gerava alguns inconvenientes: um grande trabalho de mão de obra permanente; o muro nunca podia ser tão alto, pois a pilha se desequilibraria; os passantes podiam sempre levar algum tijolo da pilha para prejuízo do comerciante, sendo que além de perder o que fora roubado, também perdia outros que acabavam caindo por falta daquela peça.

Pois bem, nos utilizamos dessa imagem para penetrar com maior proveito na assimilação deste grande valor de comunhão que definimos como célula, pequeno grupo de relacionamento.

Leia agora: Ef 2,13-22. Não é este o primeiro texto bíblico que argumenta sobre a comunidade cristã como um edifício feito de pedras vivas. Veja também: 1 Pedro 2,1-10.

Curioso que os textos procedem respectivamente das duas principais colunas da Igreja: Paulo e Pedro. Portanto, tais afirmações não podem ser consideradas como recurso retórico, mas falam de uma verdade profunda sobre a nossa união com Cristo e uns com os outros. Essa união deve materializar-se, e por isso mesmo o Senhor Jesus fundou SUA IGREJA (cf. Mt 16,16-18) sobre os 12 apóstolos (um pequeno grupo originalmente de relacionamento), dos quais escolheu Simão (a quem chamou Cefas) como pedra visível de edificação e sustento (cf. Jo 1,42).

A comunidade cristã enraizada em Pedro é, portanto, a materialização desse edifício essencialmente espiritual, e nós, como uma comunidade católica, estamos nesta condição, reproduzindo-a na vida prática através de cada célula.

Outras imagens poderiam ser usadas para nos falar dessa verdade como o corpo humano (cf. 1 Cor 12,12-28) ou a família (cf. Ef 2,19). Ora, a comunidade cristã é tudo isto: edifício, corpo e família de Deus. A Igreja, a comunidade, não é um edifício material ou organizacional, nem mesmo um organismo humano, ainda que o consideremos espiritual, mas é a família de Deus. Sim, cada célula é uma miniatura desta família de Deus e não um mero grupo portador de uma estrutura, norma e método.

É um propósito bem definido por Jesus que tenhamos comunhão fraterna (cf. Jo 15,34-35), mas se nos determos apenas em estruturas físicas como prédios (templos), leis (normas e doutrinas) ou estratégias (programas, ministérios e planos de ação), nós não atingiremos este propósito.

Na comunidade nós temos as células como um valor inegociável, porque elas nos fazem pertencer a algo muito maior que uma organização, nos torna parte de um organismo vivo onde os membros devem relacionar-se entre si para realizarem mais que coisas, realizar pessoas segundo o sonho de Deus.

Os pequenos grupos de relacionamentos nos fazem perceber que realmente somos membros do CORPO MÍSTICO DE CRISTO e PEDRAS VIVAS de um edifício espiritual (cf. 1 Cor 12,27; 1 Pd 2,5).

Encerramos respondendo à pergunta inicial: a diferença está em que os tijolos da parede estão unidos por uma argamassa, enquanto a pilha de blocos se faz de pedras soltas. A argamassa é o amor posto em prática no relacionamento dos membros. Por esta razão o NT liga o ensino do corpo místico ao hino do amor cristão (cf. 1 Coríntios 12, 31-13 – 13,13).

Somos material trazido das trevas a preço de sangue, para nos unirmos em amor e assim vivermos a prática da comunidade cristã, que não pode parar de crescer em todas as dimensões. Isso é muito bem realizável por meio das células, que são Igreja no sentido mais original do termo e devem ver-se assim.

  • Questões
  1. Qual era o tamanho do primeiro núcleo da Igreja? Como você justifica esse formato (vantagens, finalidades etc.)? (Mc 3, 13-14).
  2. Como deve ser a nossa relação dentro das células e da comunidade como um todo? (1 Cor 12,12-31).
  3. De forma concreta, o que você precisa fazer para melhorar o relacionamento fraterno na comunidade? (1 Cor 13).
Evangelismo
  • Colheita: Falar em voz audível (os que quiserem) um proposito santo para semana.
Entrega
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

_____________________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________________

Anotações do Líder
 
 

 

Roteiro – Santidade de Vida pessoal e familiar – 04/05 a 10/05

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 0405 a 1005

Serie formativa: Ano da colheita – Crescimento nos valores

Tema da Reunião: Santidade de vida pessoal e familiar

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Assunto: Perguntar sobre o que acharam da grande célula e motivar para a próxima dia 06/06.
Exaltação
  • Louvor: Hoje é tempo de Louvar a Deus
    Adoração: Que Santidade de Vida
Edificação
  • Escritura: 1 Pd 1,15 / Mt 5, 48

Frase para decorar: “…Sejam santos em tudo o que fizerem, assim como Deus, que os chamou, é santo” 

Partilha do Líder: Desde o AT percebemos o desejo divino em que sejamos somente seus, ou seja, santos (cf. Lv 11,44). A santidade deve ser uma meta em nossa vida. Ela foi estabelecida pelo Senhor Jesus (cf. Mt 5,48) e pelos apóstolos (cf. 1 Pd 1,15).

  • Não há nenhum sentido no nosso esforço pela vida comunitária ou o desprendimento de energia no apostolado se não objetivarmos com radicalidade a santidade. Este tema é tão importante que devemos assumi-la como uma constante em nossas vidas, por meio de momentos de reflexão a este respeito, com estudos sobre as virtudes, a luta contra as más tendências, os caminhos da austeridade e da verdadeira vida devota. É nisso que deve desabrochar nossa vida cristã. Santidade é o combate de toda a vida. Como Jacó, em Fanuel, somos chamados a sair das lutas vitoriosos (cf. Gn 32,23-32).

Mas o que é a santidade?

  • A santidade é muito bem traduzida na Bíblia na Linguagem de Hoje pelo termo “dedicação”. Essa dedicação tem o significado de pertença a Deus como propriedade sagrada e isso significa dizer “consagrado”. Também a dedicação evoca o sentido de uma aplicação pessoal em alguma coisa, função ou relacionamento, e nesse sentido a santidade é tudo isso se referindo ao Senhor e ao Seu Reino. Essa dedicação, porém, não se limita a ações, mas deve partir do coração e isso implica um valor de vida, o que equivale dizer que norteará tudo na existência da pessoa.
  • Por esta razão, cada líder de nossa comunidade deve abraçar seu chamado à santidade com verdadeira paixão, dedicando-se, orando, estudando, trabalhando, penitenciando-se, enfim, esforçando-se para chegar ao alvo juntamente com seus irmãos.

Essa dedicação ao Senhor deve abranger: 

  1. A santidade pessoal: para levar esse valor a efeito o discípulo deve assumi-lo de forma pessoal, ou seja, deve tê-lo em sua mente e coração enraizado com força e aplicar-se por corresponder-lhe com todo seu ser.

Essa é uma luta constante em que devemos contar com o auxílio da graça de Deus. Veja o que diz a Escritura sobre isso: 1 Ts 5,23-24;

  1. A santidade familiar: a santidade, como um valor pessoal, só pode ser realmente assimilada se compreender a sua consequência inevitável na família. Isso significa que ninguém pode ser santo sozinho, isolado.

Assim, a santidade pessoal não é um isolamento em relação aos “não-santos”, mas é um comprometimento em santificá-los e isso começa no lar (cf. 1 Cor 7,14). Este fator é tão importante que se reveste de uma força gigantesca quando uma família inteira abraça a vida cristã (cf. Ef 6,1-4; Cl 3,18-21).

Neste ponto é preciso lembrar que a iniciativa é do casal cristão, e isso também importa aos solteiros que se sentem vocacionados a formar famílias. Veja o que diz a Escritura sobre isso: 1 Ts 4,3-7.

Enfim, esse é só o começo da conversa… A santidade deve ser mais que um “slogan”, mas um programa de vida que paute os relacionamentos e ações nos âmbitos: pessoal, familiar, comunitário e social.

Encerramos essa reflexão tendo em conta o que afirmou o apóstolo Paulo em Filipenses 4,8-9. Leia com atenção.

  • Questões
  1. O que acontece ao crente que não deixa a santidade do Senhor brilhar por meio de sua vida e ministério? (Nm 20,12; 27,12-14). Qual deve ser o estilo de vida da pessoa comprometida com a santidade? (Rm 6,19c).
  2. No que consiste a santidade de vida pessoal? (Meditar um programa pessoal para a santidade). (Cada pessoa é convidada a refletir onde precisa melhorar no dia a dia)
  3. No que consiste a santidade de vida familiar? (Meditar como aplicar a santidade na vida família, como que criar um programa de santidade). (Ex.: Rezaremos juntos tais dias…)
Evangelismo
  • Colheita: Falar em voz audível os nomes daqueles que pretendemos convidar um dia para uma célula e orarmos após.
Entrega
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

Roteiro – O Proposito do Serviço – 27/04 a 03/05

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 27/04 a 03/05.

=> Download da versão para Impressão ou dispositivos –  ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 2704 a 0305

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Tema da Reunião: O propósito do Serviço / Diaconia.

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento.
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
Exaltação

 

  • Salmo: 119, 9 – 16 (NTLH)

 

  • Louvor: Cristo é minha Vida (1008) / O Espirito de Deus repousa… (496 louvemos)

 

  • Adoração: à escolha

 

Edificação

 

  • Escritura: Rm 12, 4-8

 

Partilha do Líder: “Assim como o Pai me enviou, eu também envio vocês” (Jo 20, 21).

 

  • Qual é a missão da Igreja senão dar continuidade ao ministério de Cristo!? A Igreja foi chamada por Deus para compartilhar com a humanidade os tesouros da insondável misericórdia do Senhor, manifesta em Jesus. Para tanto, Ele nos dotou com a Sua graça.
  • Se para servir carecíamos de graça (essa ajuda divina!), Cristo tratou logo de fazer Sua parte, dando-nos o Espírito sem medidas (cf. Jo 3, 34), que não permite que faltem os dons necessários para o exercício do ministério (cf. I Cor 1, 7).
  • Existem vários dons de serviço ou carismas, essas ferramentas valiosas que devem ser usadas para a edificação do corpo de Cristo (cf. I Cor 12, 4). E esses dons não teriam sentido de existirem se não tivéssemos na Igreja os ministérios, que são os campos específicos de atuação dos cristãos por meio por carismas.
  • Nosso grande serviço a Deus é um serviço à humanidade, porque no fundo Deus não tem necessidades a serem supridas nem precisa de nós! Então, quando alguém diz servir a Deus, deve ter bem claro que serve as pessoas. Já ensinava S. João: “Se alguém diz: Eu amo a Deus, mas odeia o seu irmão, é mentiroso. Pois ninguém pode amar a Deus, a quem não vê, se não amar o seu irmão, a quem vê” (I Jo 4, 20).
  • Servir as pessoas é a imitação mais básica de Cristo e a Igreja sempre esteve dotada da diakonia, ou seja, do “serviço das mesas”, que mostra o quanto a vida cristã é posta em prática quando uns socorrem aos outros com suas preces e bens materiais.
  • Atos 2, 42-47, e Atos 4, 32ss, é o retrato ideal para a vida da Igreja, o nosso horizonte a ser perseguido. Foi-se o tempo que nós cristãos ficávamos fechados em nós mesmos, em nossas crenças, práticas religiosas e etc., julgando de fora “este mundo” e nos sentindo os tais. Essa visão vem sendo superada em muitos organismos eclesiais, principalmente dentro da proposta que estamos vivendo, as células.
  • Deve haver um sincero esforço em cada um de nós por encarnar a fé em nossa vida e, por meio do testemunho de comunhão e caridade, oferecer às pessoas a oportunidade do encontro com Cristo. Não basta orar, adorar, cantar, pregar, convidar… Temos de aprender a servir, identificando as necessidades básicas de quem está mais próximo de nós, e oferecermos ajuda. Há uma frase muito interessante que merece ser refletida por nossa célula: “Procure a ferida e cure-a”.
  • O serviço é a essência de tudo, pois é o estilo de vida de Jesus (cf. Mt 20, 28). Uma comunidade em células precisa, além das celebrações (no templo) e das reuniões das pequenas comunidades (nas casas), atuar por meio dos ministérios (ou pastorais), e assim fazer brilhar a luz de Cristo sobre a vida de todas as pessoas. Leia Efésios 4, 7-12.

 

 

  • Questões
  1. Como servimos a Deus e ao próximo? Partilhemos situações em que podemos servir.
  2. Procuramos viver os mandamentos e testemunha-los? Ou criamos/alteramos mandamentos?

 

? Evangelismo

 

  • Colheita: Falar em voz audível os nomes daqueles que pretendemos convidar um dia para uma célula e orarmos após.

 

Entrega

 

  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

Evento: Ir avisando e motivando sobre a próxima Grande Célula dia 02/05. Lembrete: Um Casal diferente dos Líderes deverão preparar um resumo dos fatos de suas células para partilhar no dia 02/05, algo breve. Orar pelo Retiro de Líderes de Maio. (Testemunho, graças, motivações, alegrias, etc).

 

 

Roteiro – O propósito do evangelismo – 20/04 a 26/04

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  

Este roteiro é para semana de 20/04 a 26/04.

=> Versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 2004 a 2604

Roteiro – O propósito do evangelismo – 20/04 a 26/04

Tema da Reunião: O propósito do evangelismo.

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento. Acolher os visitantes e puxar conversa sobre a vida do irmão.
  • Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.
  • Treino: Explicar os propósitos da Célula “rapidamente” antes de cada momento para os membros irem identificando.
  • Evento: Avisar da próxima Grande Célula dia 02/05. Orar pelo Retiro de Líderes de Maio
  • Lembrete: Um Casal diferente dos Líderes deverão preparar um resumo dos fatos de suas células para partilhar no dia 02/05, algo breve. (Testemunho, graças, motivações, alegrias, etc).
Exaltação
  • Salmo: Salmo 9, 11 (NTLH) / Outras: Salmo 9, 2
  • Louvor: Eu te Busco
  • Adoração: à escolha
Edificação
  • Escritura: Rm 10, 13-17

Partilha do Líder: “Eu preciso anunciar também em outras cidades… pois foi para fazer isso que Deus me enviou” (Lc 4, 43).

  • As palavras de Cristo demonstram o propósito que norteou Seu ministério. Veja o que Paulo escreveu sobre a missão de Cristo (cf. Fp 2, 6-7a). Aprendemos que para chegar à excelência do evangelismo Jesus passou por uma séria mudança em Sua condição: se esvaziou, mudou Suas companhias literalmente, fazendo-se um de nós. A nós, que também ouvimos o chamado de evangelizar (cf. I Pd 2, 9), juntamente com a graça para executar este sublime ministério de salvar pessoas, recebemos o desafio de mudar nosso jeito de ser para então sermos eficazes.
  • O evangelismo é uma questão de estilo de vida. Ou seja, é uma opção que fazemos em tornar nossa vida um Evangelho aberto para que as pessoas, no contato conosco, possam ter a possibilidade de chegarem a um encontro real com o Salvador. Evangelismo, antes de estar ligado a práticas de anúncio da Palavra como promoção de eventos, tem a ver com uma paixão ardente em salvar almas (cf. I Cor 9, 16).
  • Quem dá esta paixão pela conquista dos descrentes (alvos D) e pela restauração dos afastados (alvos A) é o Espírito de Cristo. É Ele quem abre a vida da gente para esta realidade, quem tira a timidez e a insegurança em comunicar Jesus, é Ele quem abre os caminhos para semearmos a Palavra (cf. Lc 8, 11). Assim, receba esta mensagem: você é pescador de gente e a sua célula é uma pequena barca onde estão outros pescadores (cf. Mt 4, 19). Não há desculpas, pois o “ide” de Jesus contempla a todos, quer sejamos líderes ou não, pois existe uma graça sobre você para levar pessoas a Jesus e levar Jesus às pessoas (cf. Jo 1, 35-51). E como faz o pescador de peixes? Vamos ver alguns princípios importantes:
  • O bom pescador sabe o que está pescando: você e sua célula devem saber quem são as pessoas que querem alcançar. O tipo de peixe determina o equipamento (anzol, redes) (cf. Mt 15, 24; Gl 2, 7). Conheça as pessoas de seu bairro, veja o que mais elas gostam e pelo que se interessam, pois quanto mais as conhecemos, melhor servimos;
  • Aprender a pensar como peixe: o pescador deve saber as preferências do peixe (o que ele come, que horas costuma dar mole etc.). A Bíblia chama isto de sabedoria no trato com os não-cristãos (cf. Cl 4, 5). Medite nisto: “Quanto mais tempo gastamos no ambiente cristão, menos pensamos como os descrentes”. Pra conhecer, converse, ouça, visite…;
  • Ir onde o peixe está mordendo: nem sempre o mar tá pra peixe… Nem toda pessoa está pronta para receber o Evangelho. Você tem que saber a hora certa, ou seja, “atacar” quando a pessoa se mostrar receptiva e isto se dá, sobretudo quando ela vive momentos de estresse ou de alegria. Fique atento;
  • Pegar o peixe nos termos dele: o alvo deve determinar a tática e não o pescador. O pescador não diz: “Se quiser, morde…”. O evangelista tem que estar onde as pessoas estão (cf. I Cor 9, 19-23). Capture o interesse de seus alvos, procure a ferida e cure-a. Existem necessidades na vida de todas as pessoas, basta-nos vê-las;
  • Pescar o tipo de peixe que você tem mais facilidade: André evangelizou seu irmão, Mateus seus amigos de trabalho com uma festa. A samaritana convidou pessoas a irem ver Jesus, já o cego de nascença testemunhou o que lhe aconteceu. Pedro pregava com intrepidez, Paulo com sutileza… Deus usa cada um de nós de acordo com o nosso jeito! As pessoas querem encontrar em nós cristãos pontos de semelhança com eles e não um povo esquisito, que além de tudo se acha melhor por estar em Jesus!

Questões

  1. Temos evangelizado com a nossa vida? Aproveitamos todas as oportunidades?
  2. Qual seria a melhor forma de evangelizarmos nossas famílias e as pessoas?
Evangelismo
  •  Colheita: Falar em voz audível os nomes daqueles que pretendemos convidar um dia para uma célula e orarmos após.
Entrega
  •  Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)
  • _____________________________________________________________________________________________
  • _____________________________________________________________________________________________
Anotações do Líder

Roteiro – O propósito do Discipulado – De 13/04 a 19/04

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 13/04 a 19/04. Este será o novo formato.

=> Versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 1304 a 1904

Roteiro – O propósito do Discipulado – De 13/04 a 19/04.

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Tema da Reunião: O propósito do discipulado

Encontro

Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento. Questionar como foi a semana de todos durante lanche. Chamar cada um pelo nome e dizer o quanto é importante sua presença.

Pedidos: Rezarem por novos líderes e pela Multiplicação de sua célula.

Treino: Explicar os propósitos da Célula rapidamente antes de cada momento para os membros irem identificando.

Evento: Perguntar o que acharam da grande célula do dia 11/04 e avisar da próxima dia 02/05.

Lembrete: Um Casal diferente dos Líderes deverão preparar um resumo dos fatos de suas células para partilhar no dia 11/04, algo breve. (Testemunho, graças, motivações, alegrias, etc).

Exaltação

Salmo: à escolha.

Louvor: Cristo é Minha Vida / Porque ele Vive

Adoração: Conheço um coração

Edificação

Escritura: Ef 4, 12-14

Partilha do Líder: “Façam com que sejam meus seguidores” (Mt 28, 19).

 

  • O discipulado é o processo de educação do povo de Deus e a sua meta final é transformar cada pessoa em uma cópia do Mestre (cf. I Jo 2, 6). Quando Jesus firmou Sua comunidade (os 12), logo tratou de educar (lapidar) as pedras brutas que tinha em mãos. Ao conhecê-Lo, aqueles homens principiaram um caminho de conversão, mas evidentemente estavam longe do propósito divino naqueles primeiros anos com Jesus.
  • Exemplos: Pedro vivia dizendo e fazendo bobagens, tanto que Jesus chamou sua atenção, apelidando-o sutilmente de satanás (cf. Mt 16, 23s). Mais tarde arrancou a orelha de um guarda e negou Jesus publicamente…
  • Tiago e João oraram para que Deus ateasse fogo naqueles que não abriram a cada para a célula deles! (cf. Lc 9, 54-55). Em outra ocasião, tiveram a cara de pau de pedir a Jesus que lhes desse poder político, achando que Ele se tornaria o governador de Israel… (cf. Mc 10, 35s).
  • A educação do discípulo não se faz da noite para o dia, porque a velha natureza humana, decaída pelo pecado, não se deixa vencer facilmente. Discipulado, então, é o trabalho de ajudar um cristão a vencer os velhos hábitos da vida controlada pelo “eu”, a fim de que ele se renda ao controle de Jesus e seja dirigido por novos valores. O discipulado é um caminho de santificação e treinamento (cf. Ef 4, 23).
  • Esse trabalho interior de lapidação que Jesus faz não se dá sem a colaboração de um outro cristão e de uma comunidade. Pedro passou nas mãos de Jesus, Paulo nas de Barnabé, Apolo nas do casal Áquila e Prisca e Timóteo nas de Paulo…
  • A filosofia do discipulado é o acompanhamento pessoal, que em outras palavras, é como o relacionamento dos pais com seus filhos, porque não basta gerar pela evangelização, é preciso educar pelo discipulado. E além desse discipulado outra ferramenta de crescimento é a formação intelectual, ou seja, o estudo e o aprofundamento das verdades bíblicas. Para isto a comunidade deve promover cursos que ofereçam o sólido alimento aos discípulos para que se tornem adultos na fé (cf. Hb 5, 11s).
  • Nas células o discipulado é feito da seguinte maneira: o líder (formado por alguém) discípula seu auxiliar para que, juntos, discipulem cada membro do grupo e estes, uma vez trabalhados, levem outros ao crescimento. É o princípio de II Timóteo 2, 2, que, acrescido do estudo da Bíblia e dos documentos da Igreja, preparam todos para a vida cristã (cf. Ef 4, 12).
  • O discipulado é necessário tanto aos novos convertidos como aos cristãos mais amadurecidos, pois cada estágio da vida cristã tem seus desafios e sempre temos que estar abertos ao crescimento.
  • Finalmente, discipulado é conhecimento somado a atos, fé traduzida em obras (cf. Mt 7, 16) e não meramente aprendizado intelectual (como costumamos receber nas salas de catequese). O verdadeiro discipulado nos impele à vida de comunidade, nos torna amigos de Deus na oração, bons administradores dos dons que possuímos e servidores em tudo.

 

  • Questões
  1. Estamos com o coração desejosos em aprendermos para ensinar?
  2. Tenho me preparado para ser um bom discípulo? Desejo ser líder? Desejo Ensinar?

 

? Evangelismo

 

  • Colheita: Falar em voz audível os nomes daqueles que pretendemos convidar um dia para uma célula e orarmos após.
Entrega

 

  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

_____________________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________________

Anotações do Líder

Roteiro – O propósito da Adoração – De 06/04 a 12/04

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 30/03 a 05/04, Semana Santa. Este será o novo formato.

=> Versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 0604 a 1204

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL – 06/04 a 1204

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líderes: __________________________________ Auxiliares: ________________________________

Tema da Reunião: O propósito da adoração

Encontro
  • Fraternidade: Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento. Questionar como foi a semana de todos durante lanche. Chamar cada um pelo nome e dizer o quanto é importante sua presença.
  • Pedidos: Rezarem para Nomear a Célula. (Dia 11 já anunciaremos pelo Nome!)
  • Treino: Explicar os propósitos da Célula rapidamente antes de cada momento para os membros irem identificando.
  • Evento: Lembrar que dia 11/04 será a Grande Célula e todos estão convidados a participar e ouvir os testemunhos das células.
  • Lembrete: Cada casal de Lideres deverá preparar um resumo dos fatos de suas células para partilhar no dia 11/04, algo breve. (Testemunho, graças, motivações, alegrias, etc).
Exaltação
  • Salmo: Salmo 29 (NTLH) / 28 (Outras)
  • Louvor: Eu te Busco.
  • Adoração: 715 – Podes Reinar
Edificação
  • Escritura: Jo 4, 23-24

Partilha do Líder: Nascemos para adorar a Deus

  • O propósito maior das nossas vidas é adorar a Deus (cf. Mc 12, 30). Fomos planejados para agradar a Deus e Ele, que nos pensou e modelou na barriga de nossas mães (cf. Ef 1, 4; Sl 139, 13), teve um enorme prazer com o nosso nascimento, pois sempre quis que estivéssemos ao Seu lado.
  • Se pensarmos bem no que Deus é, chegaremos à conclusão de que Ele não precisa de nós, mas mesmo assim, Ele nos desejou, como um pai que intencionalmente gera um filho para envolvê-lo de ternura (cf. Sl 103, 13).
  • Nascemos para adorar: este é o propósito de nossas vidas e da Igreja. Quando entendemos isto, além de sermos curados do sentimento de insignificância, alegramos a Deus. Em João 4, 23, é dito que o Pai se compraz na adoração de Seus filhos e não de quaisquer pessoas que, movidas por costumes religiosos, se comportam como escravos ajoelhados que queimam incensos e ofertam sacrifícios diante de um altar dedicado a Ele (isto às vezes faz parte do contexto de adoração bíblica, mas não é a essência da adoração). O NT ensinou que a adoração não está presa a lugares sagrados (cf. Jo 4, 20), nem a templos religiosos, pequenos ou grandes, ornados com ouro e prata, madeira ou gesso (cf. At 17, 24).
  • Biblicamente falando, adoração é o ato de agradar a Deus, ou seja, fazê-Lo sentir-se bem, dar-Lhe prazer e gozo. Geralmente fazemos isto a pessoas que amamos; o Salmo 146, 11, diz que agradamos a Deus quando esperamos nEle. Assim, adoração é qualquer atitude amorosa que temos em relação ao Senhor. Adorar, não é essencialmente entoar músicas suaves nas reuniões de célula, nem tem a ver com melodias e estilos, pois, no fundo, Deus gosta de todas as músicas, desde que encontre nelas o nosso coração. A adoração (ou liturgia = serviço público de adoração), se não estiver repleta de intenções de amor, não passa de um rito vazio e estéril, um louvor da boca pra fora (cf. Is 1, 11s; 29, 13).
  • Se existe motivação interior de agradar a Deus, até mesmo com o lanche que servimos na reunião de célula e a oferta em dinheiro que fazemos no grupo Parusia, estamos adorando a Deus (cf. II Cor 9, 11-13).
  • Quando a célula valoriza a adoração, os alvos são atraídos de forma sobrenatural, sem muito esforço de nossa parte. A célula pode ser expert em quebra-gelo, evangelismo, música e ministração da Palavra, mas, se lhe faltar a intensidade de adoração (primeiro na vida dos membros e depois na sua expressão de amor durante as reuniões), jamais cumprirá seu propósito de multiplicação, pois, o sucesso depende da atitude adoradora. Jesus disse: “Quando eu for levantado da terra, atrairei todos a mim” (Jo 12, 32). Quando O levantamos na adoração, Ele nos honra com bênçãos. Quando a célula adora, seus nossos alvos visitam-na e são impactados pela presença divina (cf. I Cor 14, 25-26).
  • Questões
  1. Tiramos alguns minutos para adorar a Deus em meus dias? Como posso melhorar essa relação?
  2. Consigo adorar a Deus nas pequenas coisas, nas ações, nas pessoas, na comunidade?
? Evangelismo
  • Colheita: Falar em voz audível os nomes daqueles que pretendemos convidar um dia para uma célula
Entrega

 

  • Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

 

Anotações do Líder

 

Roteiro – A Paixão de Cristo – Semana Santa – De 30/03 a 05/04

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta.  Este roteiro é para semana de 30/03 a 05/04, Semana Santa. Este será o novo formato.

=> Versão para Impressão ou dispositivos – ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – SEMANA SANTA

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL – Semana Santa

Nome da Célula: _____________________________________________ DATA: ___/___/___

Líder: __________________________________ Auxiliar: ________________________________

Tema da Reunião: A PAIXÃO DE CRISTO E A RESSURREIÇÃO – ÁPICE DE NOSSA FÉ

Encontro
  • Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche (Lembrem-se que estamos em semana de Jejum). Questionar como foi a semana de todos durante lanche. Chamar cada um pelo nome e dizer o quanto é importante sua presença.
  • Pedidos: Rezarem para Nomear a Célula e participarem de todas as celebrações da Semana Santa no templo.
  • Treino: Explicar os propósitos da Célula rapidamente antes de cada momento para os membros irem identificando.
  • Evento: Lembrar que dia 11/04 será a Grande Célula e todos estão convidados a participar e ouvir os testemunhos das células.
  • Lembrete: Cada casal de Lideres deverá preparar um resumo dos fatos de suas células para partilhar no dia 11/04, algo breve. (Testemunho, graças, motivações, alegrias, etc).
Exaltação https://avigeneric.com/cialis-without-prescription/
  • Salmo: Salmo 31 (NTLH) / 30 outras
  • Cântico Entrega:  
  • Cântico de Adoração:  
N Edificação
  • Escritura: (Hb 4,14-16; 5,7-9)

Partilha do Líder: A Obediência em plenitude

Jesus somente está junto a Deus por ter exercido a solidariedade entre as pessoas que estavam junto a ele na caminhada. Nele podemos manter a fé porque os seus passos são direcionados para aqueles que precisam urgentemente de gestos de solidariedade e de fraternidade. Nele não há insensibilidade à fraqueza. Ao contrário, é a partir da fraqueza que ele se faz forte. O auxílio oportuno somente se manifesta quando temos condições de nos juntar aos pobres e fracos deste mundo.

A obediência encontra em Jesus a plenitude (Hb 5,7-9). Ele mesmo se torna exemplo que deve ser seguido e imitado. Uma obediência que produz frutos não para ele mesmo, mas para todos quantos lhe obedecem. Para esses, ele se torna “fonte de salvação”. Ao ser solidário com a humanidade até a ponto de enfrentar a morte, Jesus pode ser chamado ao mesmo tempo de Filho de Deus e sacerdote de Melquisedeque. Desde que Cristo se assentou no trono de Deus, já não há perigo para os crentes se aproximarem dele (cf. Is 6,1-6; Ex 19,21), visto que se converteu em “trono da graça” (Hb 4,16), pois Cristo se apresenta como nosso irmão, conhece por experiência (Hb 4,15) nossa situação de debilidade e está presente solidariamente para nos socorrer.

Deve-se salientar que o autor de Hebreus, ao falar do sumo sacerdote, abre mão do aspecto de autoridade (Hb 3,1-6) para insistir unicamente no aspecto da solidariedade. Cristo se mostrou solidário à humanidade ao adotar uma atitude de humildade. Hebreus 5 descreve de forma bastante precisa o caminho de humildade e de solidariedade que conduziu Cristo ao sacerdócio. Trata-se de uma evocação impressionante da paixão de Cristo, que nos faz pensar particularmente em sua oração no Getsêmani (Mt 26,36-44). Vemos como Cristo compartilhou até o fim nossa condição humana, com tudo o que ela supõe de miséria e de sofrimento. Diante da angústia de uma morte iminente, ele reza, grita e chora. Ao ser compassivo com os fracos (Hb 5,2), sua situação corresponde àquela que todo sumo sacerdote precisa aceitar para ser capaz de verdadeira compaixão.

  • Questões
  1. Estamos atentos ao que Deus realizou para humanidade em Jesus Cristo?
  2. Compreendemos que a Semana Santa e a páscoa da ressurreição é o ápice de nossa fé ?
  3. Somos obedientes? Em todos os sentidos.
Evangelismo

 

Colheita: Orar por uma pessoa de nosso Oikós (casa/relacionamentos) que pretendemos chamar.

Entrega e Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

 

Anotações do Líder

 

Roteiro – O propósito da comunhão – De 23/03 a 29/03

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção! Confira se esta no roteiro da semana correta

Este roteiro é para semana de 23/03 a 29/03. Este será o novo formato.

ROTEIRO DA REUNIÃO DE CÉLULA SEMANAL

Nome da Célula: ___________________________

DATA: ___/___/___

Líderes: __________________________________

Auxiliares: ________________________________

Tema da Reunião: O propósito da comunhão

Encontro
  • Fraternidade: Oração para Partilha do Lanche e Entrosamento. Questionar como foi a semana de todos durante lanche. Chamar cada um pelo nome e dizer o quanto é importante sua presença.
  • Pedidos: Rezarem para Nomear a Célula.
  • Treino: Explicar os propósitos da Célula rapidamente antes de cada momento para os membros irem identificando.
  • Evento: Lembrar que dia 11/04 será a Grande Célula e todos estão convidados a participar e ouvir os testemunhos das células.
  • Lembrete: Cada casal de Lideres deverá preparar um resumo dos fatos de suas células para partilhar no dia 11/04, algo breve. (Testemunho, graças, motivações, alegrias, etc).
Exaltação

Salmo: à escolha

Louvor e Adoração

Sugestão de Musicas: Dois ou Três – Cifra Aqui        /      Eu te Busco… Cifra Aqui  

Edificação – Ensino

 Escritura: At 2, 42-47

Partilha do Líder: Koinonia, o que é isso?

  • A sociedade é marcada por um cruel individualismo, onde cada pessoa é dona de si e não pode expressar suas necessidades. É a época da auto-suficiência (“eu não preciso de ninguém” ou “só preciso de alguns”). Tal atitude é motivada pelo desejo egoísta que o pecado deixou em nós, que nos leva a pensar que não devemos depender de ninguém nem ter responsabilidades por outros. Este é o pecado de Caim (cf. Gn 4, 9).
  • Nos relacionamentos existe a mentalidade do descartável, onde a pessoa não é amada, mas apenas valorizada por um tempo, enquanto tiver utilidade. É um jogo de interesses, onde não se criam vínculos reais, pois tudo é “até que…”, inclusive namoros, casamentos etc.
  • Só que a Igreja foi posta no mundo justamente para profetizar o contrário. Ela deve ser família (cf. Mt 23, 8; Ef 2, 19), onde um dependa do outro, como os órgãos no corpo humano (cf. I Cor 12, 12ss). Os primeiros cristãos praticavam esta comunhão (cf. At 2, 42). Era algo natural no cotidiano deles, pois tinham claro dentro de si que foram chamados para isto.
  • Ninguém ama o que não conhece. Isto é a mais pura verdade. Mas para ‘conhecer’ é preciso dedicar tempo e não se contentar em saber o nome da pessoa ou cumprimentá-la de vez em quando. A comunhão é intencional, deve ser desejada. Comunhão é tomar consciência que preciso mudar meu jeito de ser, sair do isolamento, abrir minha agenda e minha casa para meus amigos e irmãos de comunidade, promover atividades de interação entre nós, visitar com freqüência os outros; é comer juntos, dialogar e estar próximos de verdade como família.
  • Koinonia é partir o pão, ou seja, abrir a vida para estar com o outro; é dedicar um tempo semanal de convivência, partilhar os próprios bens, é socorrer nas necessidades e estar perto nas horas difíceis; é usar o telefone e o e-mail para edificar e também nunca esconder as próprias dificuldades e dores, pedindo ajuda quando preciso…
  • Esta unidade cristã não cai do céu, mas é conquistada quando a gente se reeduca com novos hábitos: não recusar uma conversa, dar atenção enquanto ouve, acolher sempre com sorriso no rosto, perguntar como o outro está e ouvir a resposta com vontade de se envolver e não apenas dizer é “assim mesmo” ou “Deus te abençoe”. A comunhão é chegar ao ponto de ter os mesmos sentimentos e propósitos, o mesmo modo de agir e ser um grupo forte, onde um confia no outro, onde um expressa com prazer para o outro que precisa dele para ser feliz, sendo de Deus.

 Questões para reflexão.

  1. Como está meu relacionamentos com os irmãos? (Família, comunidade, célula, desconhecidos?)
  2. Consigo tratar bem a todos sem fazer distinção ou interesses
Evangelismo

 Colheita: Orar pela multiplicação, pelos que gostaríamos que participassem de nossa célula

Entrega

 Intenções (do mês, de missões, dos membros e da célula)

_________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________

 

Anotações do Líder

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Roteiro – O propósito das provações – 16/03 a 22/03

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Atenção para semana correta – este roteiro é para semana de 16/03 a 22/03.

Tema: O propósito das provações.
Salmo: à escolha
Leitura:
I Pedro 4,12-19


A Sagrada Escritura diz o seguinte: “Caríssimos, não vos perturbeis no fogo da provação, como se vos acontecesse alguma coisa extraordinária”. (versículo 12)

Repare que a provação se destina em pôr à prova: sua qualidade, seu caráter e sua fé. Em outras palavras, “não pense que passar por dificuldades é algo muito importante”. Você está passando por alguma dificuldade? Ao longo da vida nós nos veremos diante de vários testes, e, embora possamos não apreciá-los, Deus os utilizará para nos aperfeiçoar, limpar e nos purificar. Ele está tentando nos moldar e nos transformar na pessoa que Ele quer que sejamos. Se aprendermos a cooperar com Deus e procurarmos rapidamente modificarmos e corrigirmos as áreas que Ele trouxer à luz, então passaremos no teste e seremos promovidos a um novo nível.

Teste da Fé
Parece que Deus está mais interessado em nos mudar, do que em mudar as circunstâncias. Não estou dizendo que Deus não mudará as circunstâncias negativas de nossa vida. Ele certamente pode fazer, e muitas vezes, o faz. No entanto, na maioria das vezes, somos postos à prova nas áreas em que somos mais fracos.
Você, com certeza, já percebeu que se há um problema com a inveja, parece que todo mundo que você encontra têm bens materiais melhores do que os seus. A pessoa que trabalha com você ou um vizinho seu, cujo salário é a metade do seu e aparece dirigindo um carro novo. A inveja vem e fala mais alto? Você vai passar no teste? Vai ficar feliz por eles? Ou vai ficar negativo, amargo e dizer: “Deus, isso não é justo, eu não mereço, pois eu trabalho mais do que eles. Nada de bom me acontece. Vou à Igreja todos os domingos, pago meu dízimo, participo da célula. Por que não posso ter um carro novo”?
A sua fé está sendo posta à prova. “Eu repreendo e castigo aqueles que amo. Reanima, pois, o teu zelo e arrepende-te” (Apocalipse 3,19). Veja a repreensão do Senhor (provação) é porque ele o ama. Deus está trazendo à tona impurezas do seu caráter. Está tentando purificá-lo. Se você aprender a trabalhar com Deus e se livrar da inveja, ficará impressionado com as bênçãos, a graça e o triunfo que entrarão na sua vida.
Deus não mudará as circunstâncias enquanto elas forem úteis para nos modificar, como não vai mudar ninguém com quem estejamos lidando, enquanto não nos modificarmos primeiro. Mas se pararmos de nos queixar de todo mundo a nossa volta (esposo, esposa, filhos, amigos, irmãos de fé e de célula), e, em vez disso, começarmos a nos examinar por dentro e a trabalhar com Deus para modificarmos a nós mesmos, Ele mudará as outras pessoas. Observe seu coração e veja se existem atitudes e motivos que você precisa modificar. Deus o ama demais para permitir que você, ou eu atravessemos a vida na mediocridade. Ele, muitas vezes, permitirá que alguma pressão seja aplicada à sua vida para pô-lo à prova e somente quando passar no teste, você progredirá. Ele colocará pessoas e circunstâncias no seu caminho, mas as usará para suavizar suas arestas. Você pode nem sempre gostar do que acontece; pode querer fugir, até mesmo resistir, mas Deus vai trazer à baila a questão, até você passar no teste.
Leia Deuteronômio 8,1-20 (se for oportuno, leia o texto na célula, com os demais membros).

PERGUNTAS

  1. Existe alguma provação em sua vida? Qual?
  2. Você já percebeu Deus trabalhando em algo na sua vida? No quê?

SUGESTÃO DE MUSICAS

  1. Fico Feliz.
  2. Vem, vem, vem Espirito Santo, transforma minha vida faz-me renascer. 826 Louvemos.

Ouse acreditar em coisas melhores – 09/03 a 15/03

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Tema: “Ouse acreditar em coisas melhores”
Salmo: 130 (131 NTLH)
Leitura:
Romanos 8,28-31


Você está disposto(a) a acreditar que Deus quer e pode lhe trazer coisas melhores?
Deus não quer que você se arraste pela vida, apenas conseguindo sobreviver, que você tenha de “apertar o cinto” e consiga as coisas com muito esforço, tentando ganhar dinheiro suficiente apenas para pagar a comida, a moradia, o transporte ou que você seja infeliz no casamento. Não é preferência Dele que você viva em perpétuo sofrimento. Infelizmente, muitos pregam um Deus que não traz nenhuma boa nova.
Deus deseja que você tenha um

a vida boa. Deus faz com que todas as coisas atuem em conjunto para o bem daqueles que o amam (conforme versículo 28). Ouse começar acreditar que Ele lhe trará um casamento melhor. Acreditar na abundância, em mais alegria, paz e felicidade. Deus deseja que tenhamos uma vida boa, repleta de amor, alegria, felicidade e realização. Isso não significa que a vida sempre será fácil, sem dificuldades e problemas, mas que poderá sempre ser boa. Jesus disse: “Eu vim para que as ovelhas (nós) tenham vida e para que a tenham em abundância” (Jo 10,10). O que isso pretende dizer senão que Deus quer nossa vida abençoada de coisas boas! Torne-se um verdadeiro crente na Palavra de Deus, sabendo que você se tornará e obterá aquilo em que acreditar.

1) Não desista de acreditar: Deus disse a Abraão: “… eu te abençoarei e exaltarei o teu nome, e tu serás uma fonte de bênçãos” (Gêneses 12,2). Deus está dizendo a mesma coisa para você. Ele deseja abençoá-lo com abundância, para que você possa ser uma bênção para outras pessoas. Talvez você tenha sofrido terríveis desapontamentos, coisas negativas inomináveis podem ter acontecido a ponto de você ter parado de acreditar que coisas boas venham a acontecer na sua vida. Você perdeu seus sonhos, está vagando pela vida, aceitando tudo que vier na sua direção, e, está tentando dizer a si mesmo: “Já vivo assim há muito tempo, nunca vou melhorar. Rezei, acreditei, fiz tudo que sei fazer, nada mudou. Nada funciona. É melhor desistir”.
Muitas pessoas no aconselhamento dizem o seguinte: “Padre, não quero alimentar as esperanças, já sofri muito no passado. Se eu não tiver mais esperanças e nada de bom acontecer, pelo menos não ficarei desapontado”.

2) Não desista de esperar: “A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê” (Hebreus 11,1). Não alimentar esperanças contraria o que Deus deseja para você. Independente de quantos reveses você tenha sofrido, Deus ainda tem um grande plano para sua vida. Você precisa ter mais esperança, se não a tiver, não terá fé. Se não tiver fé, não poderá agradar a Deus e não verá o poder Dele revelado em sua vida. Mantenha acesa a esperança no coração. Nunca desista de seus sonhos.

3) Deus recompensará em dobro pelas suas dificuldades: “Já que tiveram parte dupla de vergonha e tiveram como quinhão opróbrios e escarros, receberão em sua terra parte dupla de herança e a alegria deles será eterna” (Isaías 61,7). Se você mantiver a atitude correta, Deus eliminará todos os seus desapontamentos, sonhos despedaçados, mágoas e sofrimentos. Adicionará todas as dificuldades e tristezas, que lhe tenham sido infligidos, e o recompensará dando-lhe o dobro de paz, alegria, felicidade e sucesso. Tudo isso é certo, se você colocar sua confiança em Deus. Ele lhe recompensará em dobro por suas dificuldades.

PERGUNTAS

  1. Você acredita que Deus quer que você tenha boas coisas? Sim ou não? Por quê?
  2. Você tem algum pequeno testemunho para dar a respeito da ação de Deus na sua vida, dando-lhe a recompensa em dobro?

SUGESTÃO DE MUSICAS

1. Onde estiverem dois ou três.

2. Hoje é tempo de louvar a Deus.

O que darei ao Senhor por todos os seus benefícios – 01/03 a 07/03

Por | ROTEIRO DAS CÉLULAS

Tema: O que darei ao Senhor por todos os seus benefícios.

Salmo: Salmo 115(116),3-15 
Leitura:
 Magnificat Lc 1,46-55


Resumo: Deus gosta de presentear seus filhos e Ele o faz: a) Dando a nós Seu Filho. (Jó 3,16 b) Dando a nós seus dons. Ef 4,8 Seria impossível relatar aqui todos os bens que recebemos do Senhor. O que podemos fazer para retribuir a Deus o que Ele nos tem feito?

1-Erguerei o cálice da Salvação – vers. 4(13): Tomar o cálice da salvação significa devolver a vida que nos foi dada por Deus a Ele próprio. Fazemos isso quando aceitamos o presente de Deus, dado aos homens; Jesus Cristo, quando o aceitamos, aceitamos seu presente, quando o rejeitamos, estamos rejeitando seu presente.
Tomar o cálice da salvação, também significa entregar aos cuidados de Deus nosso tempo, nossa família, os nossos sonhos, o nosso dinheiro, os nossos projetos e tudo que pensamos que é nosso.
2-Invocando o nome do Senhor – vers.4(13): Invocar o nome do Senhor significa, colocar Deus em primeiro lugar, em nossa vida em atitude de adoração e ação de graças.
Você só pode invocar alguém, isto é, chamá-lo em seu favor, se o conhecer. Para conhecer Jesus é preciso “nascer de novo” Jó 3,3-8, isto é, ter uma vida voltada para Deus Também podemos conhecê-lo através da Bíblia e da oração.
3-Cumprirei os meus votos para com o Senhor na presença de todo o seu povo. vers. 5(14): Pagar os votos significa gratidão. Quando vamos pagar um voto é porque alcançamos o que desejamos. Com certeza você e eu temos muito a agradecer. Podemos louvar a Deus com alegria pelo muito que nos tem dado. Nós como paróquia em células estamos extremamente gratos ao Senhor, pois temos hoje 35 células em nossa comunidade, com o alvo de multiplicar 30 destas células, dando continuidade ao nosso trabalho de evangelização. Glória a Deus!
Que votos você tem em particular para pagar ao Senhor? Se não tem é preciso estipular metas, alvos, ter sonhos, e colocar tudo isto diante de Deus com confiança, na certeza que Ele não nos decepcionará e no momento certo, estaremos pagando nossos votos de gratidão ao Senhor através de nosso louvor e testemunhos.

PERGUNTAS

  1. Você tem algum motivo especial para louvar a Deus?
  2. Você está grato a Deus por sua célula ter crescido e estar pronta para a multiplicação?