Category

SANTO ANTÔNIO

A Face de Santo Antônio em 3D

Por | SANTO ANTÔNIO
Brasileiro reconstrói a face de Santo Antônio em 3D

Há três anos, o brasileiro Cícero Moraes, de 31 anos, animador e artista 3D, recebeu uma misteriosa encomenda: realizar uma reconstrução facial, a partir da réplica digital de um crânio, a pedido do Museu de Estudos da Universidade de Pádua, na Itália. As únicas informações que obteve eram que o crânio pertencia a um homem caucasiano na faixa etária de trinta a quarenta anos. O rosto foi tomando forma com a técnica de reconstrução facial forense aplicada por Moraes, que a cada passo do processo se perguntava de quem seria aquela imagem, revelada gradativamente por seus conhecimentos técnicos. No final do trabalho, foi-lhe revelado o nome do dono do rosto: Santo Antônio de Pádua e Lisboa (1195-1231).

Apesar de não ser religioso, ele ficou surpreso com essa revelação. Quando se deu conta da repercussão que haveria com a divulgação da imagem, ficou apreensivo. Afinal, Santo Antônio é um conhecido e venerado por todo o mundo e finalmente, os fiéis teriam ideia real de como ele era, tanto que o projeto do qual o designer foi convidado a participar se denomina “A Volta de Santo Antônio” (Il Volto di Sant’Antonio).

Moraes afirma que o rosto em 3D é diferente das imagens que estão em milhares de igrejas ao redor do mundo, onde o religioso aparece com feições delicadas, segurando um lírio, símbolo de pureza, ou com o Menino Jesus nos braços, que remetem aos relatos, presentes em fontes literárias, sobre uma aparição milagrosa. “Eu imaginava que o rosto fosse de um cavaleiro, de um padre ou de um líder de tribo. Quando eles me falaram o nome do santo, eu não me dei conta de quem era. Depois que percebi que era Santo Antônio, conhecido como casamenteiro aqui no Brasil, aí fiquei admirado. Fiquei ansioso, por causa da responsabilidade. Você deslumbra um futuro de notoriedade”, explica.

Os estudos também levaram à percepção de que as roupas utilizadas por Santo Antônio eram mais simples do que as que as imagens apresentam. A boa conservação dos ossos e do crânio ajudou na análise. Sobre isso, Moraes explica que a arcada dentária encontrada demonstra que o santo tinha todos os dentes, o que pode indicar uma alimentação modesta. “Ele deve ter comprometido a própria saúde em favor da fé. Eu acho que ele se alimentava pouco e não devia comer muita carne. Devia se alimentar pouco e rezar muito”. O designer ainda revela que a reconstrução apresenta um homem com olhos bem escuros e corte de cabelo tradicional dos franciscanos há época.

Para Moraes, a divulgação do busto tridimensional não possui a intenção de interferir no legado deixado por Santo Antônio, mas, por meio da ciência, aproximar os fiéis da figura que tem intrigado por anos os homens, por sua fé, renúncia e carisma. “O rosto de Santo Antônio é diferente do que é retratado em imagens e estátuas. A nova face parece mais com as de quem se ajoelham diante dele. Essa face vem ao encontro aos anseios do papa Francisco (1936-) de uma igreja mais próxima”, analisou. Segundo ele, a fé das pessoas não vai mudar, e elas devem se basear no exemplo de vida e não na aparência do santo.

Apesar da boa conservação do crânio, a técnica não alcança 100% de exatidão sobre a face do religioso, mas, com base em outras reconstruções, as características básicas podem ser evidenciadas, revelando uma face compatível com aquela que Santo Antônio teve em vida. As feições dele, que nasceu em Portugal, são árabes, e a Península Ibérica foi dominada pelos árabes durante muitos anos. A precisão do trabalho varia de 70% a 92%. Por enquanto, o resultado da reconstituição facial não pode ser revelado. O trabalho a ser entregue está quase finalizado. O designer enviará o busto digital para o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), em Campinas (SP). Lá, a face do santo sairá da tela do computador e poderá ser vista em tamanho natural por meio de uma impressão em 3D colorida. A imagem será apresentada na Itália, pelas mãos do chapecoense, em 13 de junho, dia de Santo Antônio. Será um presente para a cidade de Pádua, que abriga a Basílica de Santo Antônio, onde estão os restos mortais de seu filho mais ilustre e sua língua intacta, que é visitada por milhares de fiéis todos os anos.

Sant’Antonio 3D by cogitas3d on Sketchfab

Veja o vídeo da Reconstrução da Face de Santo Antônio:

Santo Antônio! Nosso Padroeiro!

Por | SANTO ANTÔNIO

Santo Antônio

Fernando de Bulhões (verdadeiro nome de Santo Antônio), nasceu em Lisboa em 15 de agosto de 1195, numa família de posses. Aos 15 anos entrou para um convento agostiniano, primeiro em Lisboa e depois em Coimbra, onde provavelmente se ordenou. Em 1220 trocou o nome para Antônio e ingressou na Ordem Franciscana, na esperança de, a exemplo dos mártires, pregar aos sarracenos no Marrocos. Após um ano de catequese nesse país, teve de deixá-lo devido a uma enfermidade e seguiu para a Itália. Indicado professor de teologia pelo próprio são Francisco de Assis, lecionou nas universidades de Bolonha, Toulouse, Montpellier, Puy-en-Velay e Pádua, adquirindo grande renome como orador sacro no sul da França e na Itália. Ficaram célebres os sermões que proferiu em Forli, Provença, Languedoc e Paris. Em todos esses lugares suas prédicas encontravam forte eco popular, pois lhe eram atribuídos feitos prodigiosos, o que contribuía para o crescimento de sua fama de santidade.

A saúde sempre precária levou-o a recolher-se ao convento de Arcella, perto de Pádua, onde escreveu uma série de sermões para domingos e dias santificados, alguns dos quais seriam reunidos e publicados entre 1895 e 1913. Dentro da Ordem Franciscana, Antônio liderou um grupo que se insurgiu contra os abrandamentos introduzidos na regra pelo superior Elias.
Após uma crise de hidropisia (Acúmulo patológico de líquido seroso no tecido celular ou em cavidades do corpo). Antônio morreu a caminho de Pádua em 13 de junho de 1231. Foi canonizado em 13 de maio de 1232 (apenas 11 meses depois de sua morte) pelo papa Gregório IX.
A profundidade dos textos doutrinários de santo Antônio fez com que em 1946 o papa Pio XII o declarasse doutor da igreja. No entanto, o monge franciscano conhecido como santo Antônio de Pádua ou de Lisboa tem sido, ao longo dos séculos, objeto de grande devoção popular.
Sua veneração é muito difundida nos países latinos, principalmente em Portugal e no Brasil.

Confira os Filmes:

Pádua está situada na Região Veneto, rica pelas belezas naturais, obras de arte e arquitetura. Antiga cidade universitária que possui uma ilustre história acadêmica. Mesmo sendo uma atraente cidade, o que leva tantas pessoas a ela é a bela história de Santo Antônio.

“Fernando de Bulhões e Taveira nasceu em Lisboa. Ordenado sacerdote entre os cônegos regulares de Santo Agostinho, deixou-se fascinar pelo ideal franciscano, por ter visto os corpos dos cinco primeiros mártires franciscanos de Marrocos. Entrou no convento de Santo Antônio de Coimbra, onde recebeu o nome de Antônio(…).
Em 1221 participou do capítulo geral da ordem franciscana e viu São Francisco. Pregou com eficácia contra os hereges dirigindo-se de preferência ao povo. A Quaresma de 1231 assinalou o vértice de sua pregação em que predomina as solicitações sociais(…).”
(Fonte: Missal Cotidiano)

Sua Basílica é o principal monumento de Pádua e uma das principais obras-primas de arte do mundo. Foi iniciada em 1232, possui 115 de metros de comprimento, 38 metros de altura chegando a 68 com a torres, é rodeada por 8 cúpulas e o seu interior é construído em forma de cruz latina.
À esquerda está a capela onde encontra-se o altar-túmulo de Santo Antônio. Ao seu redor estão dispostos nove relevos em mármore que retratam cenas da vida e milagres do Santo.

A Capela das relíquias foi construída no século XVII em estilo barroco. Nos três nichos estão expostos dezenas de relicários.
Em 1981, com a autorização de João Paulo II, foi efetuado um reconhecimento do corpo de Santo Antônio, após 750 anos de sua morte.

O primeiro reconhecimento, em 1263, revelou seus restos mortais em excelentes condições, recolhidos numa pequena urna. As análises científicas possibilitaram reconstruir as características físicas do Santo: ele tinha 1,70m de altura, estrutura não muito robusta, perfil nobre, rosto comprido e estreito.

Foi encontrado também o aparelho vocal intacto: a língua e as pregas vocais, assim como, os restos da túnica que estavam ao lado dos ossos e as duas caixas antigas com panos da época.

São famosos seus milagres acontecidos ainda em vida, como o da Eucaristia e o da pregação aos peixes:

A cidade de Rimini, na Itália, estava nas mãos de hereges. À chegada do missionário, os chefes deram ordem para isolá-lo através de um ambiente de silêncio manifestando indiferença. Antônio não encontra ninguém a quem dirigir a palavra: igrejas vazias e praças desertas. Anda pelas ruas da cidade rezando e meditando. Coloca-se diante do mar Adriático e chama o seu auditório: ?venham vocês, peixes, ouvir a palavra de Deus, já que os homens petulantes não se dignam ouvi-la?. Logo apareceram centenas de peixes. A curiosidade do povo foi mais forte, foram ver o que estava acontecendo e ficaram maravilhados, aconteceu o entusiasmo, o arrependimento e o regresso à Igreja.

Durante uma pregação, cujo tema era a Eucaristia, levantou-se um homem dizendo: ?Eu acreditarei que Cristo está realmente presente na Hóstia Consagrada quando vir o meu jumento ajoelhar-se diante da custódia com o SS. Sacramento?. O Santo aceitou o desafio. Deixaram o pobre jumento três dias sem comer. No momento e lugar pré-estabelecido, apresentou-se Antônio com a custódia e o herege com o seu jumento que já não agüentava manter-se em pé devido ao forçado jejum. Mesmo meio-morto de fome, deixou de lado a apetitosa pastagem que lhe era oferecida pelo seu dono, para se ajoelhar diante do Santíssimo Sacramento.
Milhares de pessoas acorriam de toda parte para ouvir os sermões de Antônio. O seu cristianismo não era monótono mas tendia a austeridade, mesmo assim, não desencorajava os penitentes. Conta-se que em uma quaresma, o povo de Pádua não ia trabalhar antes de ouvir Antônio falar sobre a palavra de Deus. E ele já muito debilitado falava ao povo de cima de uma nogueira em Camposampiero.

Numa tarde, um conde dirigiu-se à cela de Antônio. Ao chegar, viu sair de uma brecha um intenso esplendor. Empurrou delicadamente a porta e ficou imóvel diante de uma cena prodigiosa: Antônio segurava nos seus braços o menino Jesus! Quando despertou do êxtase pediu ao conde que não revelasse a ninguém a aparição celeste.

Destruído pela fadiga e pela doença da hidropisia, sentiu que a hora do seu encontro com o Senhor estava se aproximando. Desejou ir para a igreja de Santa Maria, mas estando muito debilitado, parou em Arcella, que encontra-se às portas de Pádua. Ali morreu aos trinta e seis anos após pronunciar as palavras: ?Video Dominum Meum? (vejo o meu Senhor).

É honrado com o título de ?Doutor Evangélico?. Seu culto é um dos mais populares da história e apressou sua canonização, ocorrida um ano após sua morte.