Category

– ULTIMAS

Roteiro – As três dimensões – Tempo de multiplicar – 04 a 10 de fevereiro de 2019

Por | - ULTIMAS, ROTEIRO DAS CÉLULAS

Download do Roteiro da Semana

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

================================================================

Líder, incentive e participe da Grande Célula Parusia no 1º Sábado e do 3º Sábado de Adoração!

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: Livro de Boas Vindas para as Células

Livreto de Músicas: MUSICAS PARA CELULA LIVRETO

Papa adverte que internet está se tornando uma vitrine do narcisismo

Por | - ULTIMAS, PALAVRA DA IGREJA

Vaticano, 24 Jan. 19 / 02:15 pm (ACI).- O Papa Francisco adverte que a internet, e as redes sociais, em vez de ser “uma janela aberta para o mundo”, está se tornando “uma vitrine onde se exibe o próprio narcisismo”.

Em contraposição a este narcisismo, Francisco destacou que a Igreja “é uma rede tecida pela Comunhão Eucarística, onde a união não se baseia nos gostos [‘like’], mas na verdade, no ‘amen’ com que cada um adere ao Corpo de Cristo, acolhendo os outros”.

O Pontífice faz esta declaração em sua Mensagem por ocasião do 53º Dia Mundial das Comunicações Sociais, que será celebrado em2 de junho, divulgada nesta quinta-feira, 24 de janeiro.

Na mensagem, que tem como título “‘Somos membros uns dos outros’ (Ef 4, 25): das comunidades de redes sociais à comunidade humana”, o Santo Padre explica que a “internet constitui uma possibilidade extraordinária de acesso ao saber”, mas também é verdade que “se revelou como um dos locais mais expostos à desinformação e à distorção consciente e pilotada dos factos e relações interpessoais, a ponto de muitas vezes cair no descrédito”.

“É necessário reconhecer que se, por um lado, as redes sociais servem para nos conectarmos melhor, fazendo-nos encontrar e ajudar uns aos outros, por outro, prestam-se também a um uso manipulador dos dados pessoais, visando obter vantagens no plano político ou econômico, sem o devido respeito pela pessoa e seus direitos”, assinala.

Nesse sentido, lamenta que “as estatísticas relativas aos mais jovens revelam que um em cada quatro adolescentes está envolvido em episódios de cyberbullying”.

Assim, “na complexidade deste cenário, pode ser útil voltar a refletir sobre a metáfora da rede”.

“A metáfora da rede – sublinha – lembra outra figura densa de significados: a comunidade. Uma comunidade é tanto mais forte quando mais for coesa e solidária, animada por sentimentos de confiança e empenhada em objetivos compartilháveis. Como rede solidária, a comunidade requer a escuta recíproca e o diálogo, baseado no uso responsável da linguagem”.

Adverte que “na social web, muitas vezes a identidade funda-se na contraposição ao outro, à pessoa estranha ao grupo: define-se mais a partir daquilo que divide do que daquilo que une, dando espaço à suspeita e à explosão de todo o tipo de preconceito (étnico, sexual, religioso, e outros)”.

“Esta tendência alimenta grupos que excluem a heterogeneidade, alimentam no próprio ambiente digital um individualismo desenfreado, acabando às vezes por fomentar espirais de ódio”.

Dessa maneira, “a rede é uma oportunidade para promover o encontro com os outros, mas pode também agravar o nosso autoisolamento, como uma teia de aranha capaz de capturar”.

São precisamente os jovens “que estão mais expostos à ilusão de que a social web possa satisfazê-los completamente a nível relacional, até se chegar ao perigoso fenômeno dos jovens ‘eremitas sociais’, que correm o risco de se alhear totalmente da sociedade”.

Frente a esses perigos, o Papa Francisco finaliza sua mensagem explicando que, “se a rede for usada como prolongamento ou expectação de tal encontro, então não se atraiçoa a si mesma e permanece um recurso para a comunhão”.

“Se uma família utiliza a rede para estar mais conectada, para depois se encontrar à mesa e olhar-se olhos nos olhos, então é um recurso. Se uma comunidade eclesial coordena a sua atividade através da rede, para depois celebrar juntos a Eucaristia, então é um recurso. Se a rede é uma oportunidade para me aproximar de casos e experiências de bondade ou de sofrimento distantes fisicamente de mim, para rezar juntos e, juntos, buscar o bem na descoberta daquilo que nos une, então é um recurso”, conclui.

Pe. Reginaldo Manzotti explica o poder do perdão – com alguns alertas

Por | - ULTIMAS, FORMAÇÕES

O perdão deve ser gratuito, unilateral: a reconciliação é uma consequência do perdão, mas que nem sempre acontece

Deus amou de tal forma o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que n’Ele creia não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo 3,16). Nós amamos porque Deus nos amou primeiro (1Jo 4,19). Somos constantemente perdoados por Deus, que nos amou primeiro. E, porque somos perdoados e amados por Deus, devemos também perdoar.

Mas qual a medida do perdão?

Pedro chega para Jesus e faz essa pergunta: Senhor, quantas vezes devo perdoar? (cf. Mt 18,21). E é impressionante que Pedro faz a pergunta e nem espera, ele mesmo sugere: “Até sete vezes?” (Mt 18,19,21). Como ele foi afobado na resposta mostrou que ele não compreendeu o mestre, por que Jesus disse: “Oh! Pedro! Não sete, mas setenta vezes sete, isto é, sempre! (cf. Mt 18,22).

É impressionante perceber isso, porque se trata de perdoar muitas vezes a mesma pessoa, às vezes nos mesmos erros, nos mesmos equívocos, isso significa tolerância, isso significa misericórdia. Mas, exige força de vontade e empenho, porque geralmente se trata de pessoas mais próximas. Primeiramente, porque as atitudes de terceiros não nos causam tanto sofrimento e decepção quanto aquelas de quem queremos bem e, por essa razão, não esperamos receber tratamento hostil ou deliberadamente prejudicial.

Em segundo lugar, porque, muitas vezes nesse caso, o perdão exige reconstruir a confiança, a convivência e o próprio relacionamento. Porém, sem querer ser egoísta ou estimular o egoísmo, mas ao perdoar não nos preocupemos se o outro vai mudar.

Não devemos nos preocupar com os efeitos que o nosso perdão vai causar, se vai trazer a pessoa de volta, se vai restaurar a amizade ou se ela também vai nos perdoar. A reconciliação é uma consequência do perdão que nem sempre acontece.

Se o amor para ser vivido precisa ser recíproco, o perdão pode ser unilateral, não significa que o outro tenha que nos perdoar, significa que nós vamos perdoar, é diferente. O perdão deve ser algo gratuito, unilateral. Não se deve estabelecer condições para o perdão. Deus não age assim conosco; por mais egoístas, miseráveis e pecadores que sejamos, Ele nos perdoará sempre.

O perdão deve acontecer, principalmente por se tratar de um preceito de Nosso Senhor. Vamos ser honestos, ao perdoar não agimos só movidos por amor, por complacência ou benevolência, perdoamos porque foi isso que Jesus nos pediu.

Quem se fecha à graça do perdão fica preso ao passado, à dor, à magoa, à raiva e, às vezes, até ao desejo de vingança, sentimentos tóxicos que acabam bloqueando o futuro. Além disso, podem gerar doenças psicossomáticas, pois reduzem a imunidade do organismo e abrem espaço para as enfermidades oportunistas.

E Maria, nossa Mãe, é especialista em perdoar. Ela perdoou aqueles que mataram seu único filho. Recorramos a Ela, para que tenhamos sempre o perdão em nossos corações e assim, uma vida livre em Deus.

_________

padre Reginaldo Manzotti é fundador e presidente da Associação Evangelizar é Preciso, obra considerada benfeitora nacional que objetiva a evangelização pelos meios de comunicação, e pároco reitor do Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, em Curitiba (PR). Apresenta diariamente programas de rádio e TV que são retransmitidos e exibidos em parceria com milhares de emissoras no país e algumas no exterior.

Site: http://www.padrereginaldomanzotti.org.br

Seus filhos brigam? Seu cônjuge é mal-humorado? Siga este conselho de São Bento

Por | - ULTIMAS, FORMAÇÕES

Este truque funciona e ainda traz uma dose de bom humor para a vida familiar

Não retribuir com maldição aos que o amaldiçoam, mas antes abençoá-los”. Leio essa frase em voz alta enquanto olho para meus filhos durante o café da manhã, recorrendo ao livro da Regra de São Bento. “Escute, gente, vamos tentar este conselho hoje!”

Meus dois adolescentes riem toda vez cito algo da Regra, escrita em 540 e comumente saudada como a norma da vida monástica. Adquiri uma edição do livro depois que um amigo me recomendou: “Você está em casa durante todo o dia com sete meninos; é como dirigir um mosteiro, não é?”

Este amigo estava certo em alguns aspectos. O livro é um guia para a oração, as refeições e tarefas práticas para qualquer grupo de pessoas que vivem juntas. Mas primeiro devo advertir os leitores que optarem por usar este livro que os conselhos penitenciais, tipo os “jejuns rigorosos”, são, obviamente, contraindicados para a educação dos filhos. No entanto, há pérolas como esta acima, que certamente nos ajudam a buscar a paz.

Então, como é que vamos “abençoar aqueles que nos amaldiçoam”, de acordo com a indicação do Capítulo 4 da Regra de São Bento? Podemos ir a Mateus 5, 44 e ler: “Mas eu vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”.

Meu filho de 11 anos imediatamente virou para o irmão e disse: “Viu, você tem de me elogiar toda vez que eu te xingo”. E os dois caíram na risada.

Mas eu não vou me dar por vencida. Vou citar outro episódio. Alguns convidados para jantar em casa estavam para chegar em 15 minutos. Então meu marido decidiu fazer o óbvio enquanto esperava: assentar azulejos no banheiro. Afinal, os convidados só para jantar certamente iam tomar banho.

De qualquer forma, isso era importante para o meu querido marido na “apresentação” (mesmo que imaginária) da casa. Então ele correu até o quartinho dos fundos e, bufando, gritou: “Alguém mexeu nas minhas ferramentas mais uma vez!”

Respirei fundo e respondi com uma citação que eu já tinha previsto naquela tarde: “quanto ao mal, saiba que é sempre obra sua e o atribua a si mesmo, por favor!”.

Ele ficou desarmado na mesma hora e nós rimos um pouco da situação. Ao recuperar o bom humor e a serenidade, acabamos tendo um jantar ótimo com nossos convidados.

Desde então, os conselhos de São Bento têm servido para reflexão e divertimento em nossa vida familiar.

Embora não haja nenhuma dúvida de que minha família tenha uma natureza sarcástica, espero que as indicações deste santo monge do século VI também sejam úteis na sua casa.

Pessoalmente, eu me senti muito bem naquele jantar, quando decidi me concentrar nas muitas grandes qualidades do meu marido ao invés de ficar obcecada com suas excentricidades irritantes (que quase sempre incluem argamassa, pisos e azulejos).

Agora, eu não estou sugerindo que todos devem deixar de lado situações que possam significar abuso e simplesmente sair elogiando. De forma alguma. “Não conceder paz simulada” é outra jóia de São Bento. Tem a ver simplesmente com tentar criar um ambiente familiar harmonioso. Se você compilar uma lista de elogios genuínos para seus entes queridos, você terá bons frutos.

Um desses frutos é que você não se permitirá ignorar as muitas virtudes de seu filho ou cônjuge por causa de um único erro. O elogio oferecido em um momento de tensão pode desviar a atenção dos hábitos singulares para se concentrar nas melhores virtudes da pessoa. Pelo bem de ambos.

Roteiro – Aprendendo com os relacionamentos – 28 de Janeiro a 03 de fevereiro de 2019

Por | - ULTIMAS, ROTEIRO DAS CÉLULAS

Download do Roteiro da Semana

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

================================================================

Líder, incentive e participe da Grande Célula e do Grupo Parusia de Oração!

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: Livro de Boas Vindas para as Células

Livreto de Músicas: MUSICAS PARA CELULA LIVRETO

Roteiro – Vencendo os Medos! 21 a 27 de Janeiro de 2019

Por | - ULTIMAS, ROTEIRO DAS CÉLULAS

Download do Roteiro da Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 21 a 27 de Janeiro

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

==========================================================================================

Líder, incentive e participe da Grande Célula e do Grupo Parusia de Oração!

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: Livro de Boas Vindas para as Células

Livreto de Músicas: MUSICAS PARA CELULA LIVRETO

========================================================================================== Veja mais

Roteiro – Evangelismo – Foco nos alvos de Deus! – 14 a 20 de Janeiro

Por | - ULTIMAS, ROTEIRO DAS CÉLULAS

Download do Roteiro da Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 14 a 20 de Janeiro

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

==========================================================================================

Líder, incentive e participe da Grande Célula e do Grupo Parusia de Oração!

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: Livro de Boas Vindas para as Células

Livreto de Músicas: MUSICAS PARA CELULA LIVRETO

========================================================================================== Veja mais

Roteiro – Consagrando o ano novo de 2019 a Cristo – 07 a 13 de Janeiro

Por | - ULTIMAS, ROTEIRO DAS CÉLULAS

Download do Roteiro da Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 07 a 13 de Janeiro

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

==========================================================================================

Líder, incentive e participe da Grande Célula e do Grupo Parusia de Oração!

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: Livro de Boas Vindas para as Células

Livreto de Músicas: MUSICAS PARA CELULA LIVRETO

==========================================================================================

Veja mais

O que vem depois da tempestade?

Por | - ULTIMAS, PARTILHA DO FUNDADOR

1º – A reconstrução ou recomeço. 

Mas não uma simples construção, e sim uma casa mais forte, com base mais sólida, paredes capazes de suportar os ventos violentos. Este recomeço tem tijolos da experiência aliados ao cimento da sabedoria. Portanto este ressurgir, faz-nos maiores, mais fortes do que antes.

2º – Gera comunhão, fraternidade.

Se existe uma beleza na tempestade, é esta: ela ser capaz de amolecer os corações mais duros, alguém que era incapaz de ajudar, a compaixão lhe apanha e quebra, até mesmo os que estão de fora da tempestade são impulsionados para dentro deste ciclo de fraternidade. Isso gera mão-de-obra no processo do reconstruir. Que coisa linda perceber que, no meio da bagunça provocada pela tempestade, achamos uma virtude enterrada, “amor”, então ela provoca em nós aquilo que temos de melhor – “fraternidade e amor”.

3º – Aprendizado, conhecimento.

Depois do processo doloroso, adquirimos mais do que teorias, recebemos experiência. Tal experiência não veio para ser guardada, ou para agirmos de maneira egoísta. Ela chegou até nós para ser ensinada, para dar o sinal de alerta para os outros: “olhe não cometa os erros que fiz”. Este aprendizado nos permite não enfrentar o mesmo tipo de tempestade e a livrar todas as pessoas as quais temos transmitido o conhecimento. As pessoas que não passam por tempestades são duras, secas, esnobes e superficiais. Portanto, elas não são ricas, poderosas e inteligentes, só aparentam. As melhores pessoas, os grandes homens e mulheres podem ser apontados pelo volume de tempestades que enfrentaram. Então, não se ache pequeno por estar passando ou ter passado inúmeras tempestades. Perceba a “valentia e determinação” que há em si. Até mesmo Jesus esteve em uma tempestade e nos ensinou a superá-la, com fé! (cf. Mc 4, 35-41).

Observando desse ângulo fica fácil perceber porque Deus nos permite as tempestades, pois elas nos fazem entrar no processo de recomeço, redescobrir virtudes esquecidas e adquirirmos experiência. Por fim, enfrentamos pequenas e grandes tempestades quase todos os dias, mas desejo que você perceba duas coisas: Deus está com você, nunca lhe deixou só; a outra é que estas nuvens escuras irão embora e sol retornará a brilhar na sua vida.

Que Deus nos abençoe. A vida segue e o sol brilha.

Daniel T. Oliveira – Comunidade Fidelidade

Vim para ficar na tua casa! Feliz Natal com Jesus!

Por | - ULTIMAS, PARTILHA DO FUNDADOR

Jesus lhe dizendo…

Eu vim ao mundo numa noite fria e eis que nasci em uma pobre manjedoura, pois não havia lugar para mim na hospedaria. Mesmo diante das circunstâncias que o mundo me ofereceu, recebi um profundo amor de Maria e José, meus pais, que antes do meu nascimento prepararam tudo para a minha chegada.

O tempo foi passando e fui crescendo em sabedoria e humildade, e fiz a minha opção em buscar as coisas do Pai. Em virtude desta minha escolha, vieram muitas coisas boas. Realizei curas, milagres, prodígios. Com isso, muitas pessoas mudaram de vida, se converteram, passaram a crer em Deus e suas vidas se modificaram. Mas ao aceitar os planos do Criador em minha história, apareceram as dificuldades, tribulações e sofrimentos que me levaram à morte na cruz.

Apesar de tudo o que passei, se fosse necessário, faria tudo novamente. Pois o Pai jamais me abandonou, e me ensinou que o significado do amor está em dar a vida por amor ao próximo, e é perdendo que se ganha a eternidade. E esta é minha história!

Reviva ela todo ano, recordando o menino que veio salvar o que estava perdido. E você pode se tomar um Salvador de almas, acolhendo a estas palavras e deixando que eu entre em seu coração.

“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele comigo.” Ap 3,20.

Um Santo Natal e que Jesus e Maria abençoem você e sua família. E que venha um Ano Novo cheio de paz.

Daniel Oliveira e toda Comunidade Fidelidade

Roteiro – Natal – O Amor de Deus revelado – 17 a 23 de Dezembro

Por | - ULTIMAS, ROTEIRO DAS CÉLULAS

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

Download do Roteiro da Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 17 a 23 de Dezembro

==========================================================================================

Líder, incentive e participe da Grande Célula e do Grupo Parusia de Oração!

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: Livro de Boas Vindas para as Células

Livreto de Músicas: MUSICAS PARA CELULA LIVRETO

Roteiro – Até bebermos do vinho bom – 10 a 16 de Dezembro

Por | - ULTIMAS, ROTEIRO DAS CÉLULAS

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

Download do Roteiro da Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 10 a 16 de Dezembro

==========================================================================================

Líder, incentive e participe da Grande Célula e do Grupo Parusia de Oração!

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: Livro de Boas Vindas para as Células

Livreto de Músicas: MUSICAS PARA CELULA LIVRETO

A Tibieza tem o dedo do Diabo, e quer levar a todos para o Inferno!

Por | - ULTIMAS

Temos vivido tempos difíceis e estranhos…Digo isso no modo pessoal como as pessoas tem vivido o seu ser cristão, mas também em meio ao tipo de cristianismo que temos vivido em nossas Comunidades. Afinal de contas, nossas Comunidades são reflexos do que cada um vai vivendo de maneira pessoal!
Tempos estranhos em que tenho notado de maneira acentuada um forte discurso de desejos por Deus e pela Santidade, mas poucos atos concretos que levem à prática de conseguir efetivar tais resoluções interiores! E isso é realmente estranho, e deveria nos levar a reflexão:

Como é que tendo um grande desejo por Deus, de viver uma vida de Santidade, de querer obedecer, e corresponder á Voz do Senhor; sou levado tão facilmente para o campo das inconstâncias, e, posteriormente para o campo dos Pecados, ao ponto de conseguir caminhar carregando o fardo dos Pecados Mortais que deliberadamente decidi cometer??
Como que conseguimos viver desse modo tanto tempo? Como que deixamos que a nossa vida seja uma contínua oscilação entre uma vida em Deus e uma vida na mundanidade?
Como explicar os tempos de graças que vivemos inseridos em Deus, nas práticas de piedade, na vida de Oração; e logo nos vemos prostrados por terra, desejando por vezes ardentemente as paixões da carne??

Nossa alma grita!! Grita da dor dos pecados, grita com medo, grita por causa da ingratidão; e certamente grita pelo desespero de muitas vezes perceber que se morrêssemos naquele estado; o nosso destino certo seria o Inferno!

O que de fato está por detrás deste nosso tipo de comportamento e inconstâncias?
Que força é esta que tem nos arrastado por caminhos perigosos e para muitos sem volta?

Tenho refletido sobre esta realidade, diante de tantas pessoas que atendo, mas também diante das limitações e fraquezas que muitas vezes me encontro; e acredito que há uma causa específica por detrás dessa “onda” de apatia, e se chama: Tibieza!
Certamente estamos sendo atingidos pela Tibieza muito mais do que pensamos, e temos colhido o amargor por não combatê-la!

O que é a Tibieza?

O Dicionário a define por: Estado de fraqueza, de frouxidão, de debilidade, falta de ardor, de entusiasmo; frieza…
E podemos certamente associar tudo isso não somente a realidade biológica/fisiológica do homem; mas também por detrás de toda a realidade espiritual que nos cerca!
Ouso dizer que a Tibieza é antes de tudo uma realidade espiritual que atinge a todos os outros âmbitos de nossa vida!
A Tibieza é a mornidão da nossa alma, a maneira frouxa com a qual vamos levando a nossa vida com Deus, um tipo de vontade enfraquecida, preguiçosa, desanimada e sem fervor…Um tipo de debilidade, de frieza diante das coisas espirituais, diante de Deus, dos Sacramentos…
Sem duvida podemos afirmar que a Tibieza é uma doença espiritual!
A Tibieza amortece as energias da nossa vontade, inspira horror a qualquer tipo de esforço em que decidamos ter, vamos levando a nossa caminhada cristã na frouxidão, no torpor; vamos no fundo, arrastando a nossa vida cristã! E se a Tibieza não for logo detectada, ela terá a capacidade de nos levar a morte espiritual! Pois ela, como um micróbio terrível, é capaz de destruir todo o nosso “organismo espiritual”. Ela não é ainda a morte espiritual, mas ela é capaz de sugar de tal modo nossas forças e “energias”, nos pondo numa sonolência tão profunda, num estado de dormência incalculável, que a morte virá em questão de tempo! A Tibieza nos leva a um sistema de acomodações em nossa vida espiritual!

Que estado lamentável é esse da Tibieza em nossas almas! A apatia em não querer e não ter forças para lutar contra aquilo que temos consciência que está nos matando!

Como a Tibieza entra em nossas vidas?

Santo Afonso Maria de Ligório define a Tibieza assim: “A tibieza, é o hábito do Pecado Venial plenamente voluntário.”
Portanto, a Tibieza é o hábito de não combatermos os Pecados Veniais que vão surgindo em nossas vidas!
Devemos aqui nos atentar para uma realidade muito importante que o santo doutor assinala neste conceito: Ele diz de hábito!
Isso significa que todos nós caímos em pecados veniais, mas quando arrependidos voltamos para Deus e emendamos o nosso comportamento, não podemos dizer que isso seja um hábito!
Quando caímos num pecado venial, o podemos fazer por fraqueza de nossa própria natureza humana; e não por hábito! O Pe. Desurmont traz uma definição muito interessante sobre a Tibieza comentando Santo Afonso Maria de Ligório:

“A tibieza é o hábito não combatido do pecado venial, ainda que seja um só.
É um hábito fundado num cálculo implícito: ‘Esta falta não ofenderá a Nosso Senhor gravemente, não me há de condenar. Pois vou cometê-la.’
É um ato dificílimo de se desarraigar da alma. É um hábito muito espalhado sobretudo entre as pessoas que fazem profissão de piedade e entre as almas consagradas a Deus.”

Portanto, a Tibieza entrará em nossas almas quando de livre vontade e de modo consciente, escolhermos pelo pecado! A gravidade disso, é que quando nos acostumamos com essa atitude de escolher pelo pecado, entramos num “acordo de paz” com a Tibieza!
Isso atinge de maneira mais direta as almas daqueles que escolheram em algum momento servirem à Deus e à Ele se entregarem! São aquelas almas que experimentaram a Deus, que o Demônio quer “temperar” com a Tibieza.
Aqueles que mais caem nessa doença espiritual, são aqueles homens e mulheres que buscando a Deus, precocemente acreditaram terem “matado” certos tipos de hábitos e comportamentos do homem velho; quando na verdade os mesmos estavam apenas dormindo. Começam então a negociar com o mundo novamente, perdendo a força de decidir-se por Deus, tendo a vontade entorpecida, colocando-se como “presa fácil” para que o Demônio se instale com a Tibieza em seu coração!
Uma vez instalada, o primeiro movimento da Tibieza será tirar aquela alma da constância e da fidelidade da sua vida de Oração, rezar se tornará enfadonho, outras realidades se colocarão como prioridade para aquela alma, ainda que ela saiba que a Oração é mais importante! É um estado consciente de inércia! É como um paralítico que tem a consciência da necessidade de locomover o seu corpo, mas seu corpo não reage!
A alma que se permitiu entrar neste estado de Tibieza não virará totalmente suas costas para Deus, mas começará a permitir que em sua vida inicie um processo de indiferença às pequenas faltas e até mesmo indiferença aos pecados veniais, até chegar a indiferença aos pecados mortais. Este estado de “febre lenta” não tirará a alma tíbia por completo dos Sacramentos, da Eucaristia, da Confissão, da Oração do Santo Rosário; mas tal alma começará a fazer tudo de maneira negligente, se acomodará com uma rotina medíocre, fará suas obrigações com má vontade e indisposição, permitirá que a impaciência, a ira, as murmurações, as mentiras e vaidades, a gula, a tristeza e todo o tipo de imperfeições não lhe causem mais estranheza e nem mais as rejeite. Para a alma tíbia já não mais importa as imperfeições, e corrigi-las está longe de ser uma meta a ser alcançada!
Infeliz alma é esta que em pouco tempo se tornará completamente insensível as coisas de Deus e às pessoas que estão à sua volta, que começará um clico de “pecados de olhos abertos”, e o próximo passo é se atirar no abismo do Pecados Mortais, e por eles ser devorada!

São Gregório nutre esperanças a respeito de um pecador não convertido; desespera, porém, de uma alma tíbia, que não se importa com sua Tibieza.
O santo sabe o que a Palavra de Deus diz sobre os mornos: Serão vomitados pela boca do Senhor!
Neste contexto, ser vomitado pelo Senhor significa se colocar longe da Sua Graça. Por conta da quantidade de pecados que a Tibieza faz com que aquela comece a viver, Deus já não pode mais derramar aquelas luzes que iluminavam o caminho daquela alma, que alimentava a sua Fé. Já não haverá mais para aquela alma as consolações espirituais, a devoção, os santos desejos, o gosto pelo sobrenatural, o fervor, a meditação; uma tristeza interior contínua a acompanhará; e é por isso que agora se tornará muito difícil sair dessa situação!
É como um doente que sabe que precisa de saúde para sair daquele estado que lhe abate; mas é exatamente a saúde que lhe falta!

Santa Teresa de Jesus nos ensina algo sobre esta realidade:

“Passei nesse mar tempestuoso quase vinte anos, ora caindo ora levantando. Mas levantava-me mal, pois tornava a cair. Tinha tão pouca perfeição que, por assim dizer, nenhuma conta fazia de pecados veniais. Se temia os mortais não era a ponto de me afastar dos perigos. Sei dizer que é uma das vidas mais penosas que se possa imaginar. Nem me alegrava em Deus, nem achava felicidade no mundo. Em meio aos contentamentos mundanos, a lembrança do que devia a Deus me atormentava. Quando estava com Deus, perturbavam-me as afeições do mundo” (Santa Teresa de Jesus, Vida, 8,2).

Acho também importante frisar que a Tibieza nada tem haver com um estado que muitas vezes chamamos de Deserto Espiritual, ou Aridez Espiritual…Estes, quase sempre, tem por iniciativa o próprio Deus, que quer por meio deles nos concede graças e bens espirituais para nossas almas!
A Tibieza é sempre uma ação Diabólica que quer atingir as almas que oscilam entre as virtudes e os vícios
A Tibieza vista de modo simbólico, é como a mão do Demônio sobre as nossas gargantas, que sorrindo, sabe qual será o nosso fim!

Como vencer a Tibieza?

A coisa mais importante que precisamos ter em mente caso identifiquemos que este vício adentrou em nossa alma, é saber que é possível vencer a Tibieza, mas isso não acontecerá sem a plena confiança na Graça de Deus e com uma tenaz decisão e esforço de nossa parte.
A mundanidade que você permitiu que entrasse em você, precisará ser extirpada e, a fidelidade, a constância e a disciplina precisarão serem buscadas com afinco.
Precisará de um “sair de si” constante! Tal alma precisará criar um ritmo para retomar sua de vida de Oração e as práticas de piedade com vigor, pois sem isso, o fracasso é certo!
O fervor espiritual é necessário para as almas Tíbias, e uma ação do Espírito Santo, que tudo faz novo, é primordial!

São Gregório escreve: “A tibieza, que deixou o fervor, cai no desespero”

Vamos aos passos que nos ajudarão a compreender o caminho a ser percorrido para vencermos a Tibieza:

1) O primeiro passo e talvez o mais importante, é conseguir identificar que está se vivendo a Tibieza! Diante de tudo aquilo que foi apresentado acima, e fazendo um “raio x” da sua vida, do seu dia a dia, do seu cristianismo; é possível ter uma noção se você se deixou invadir pela Tibieza, e em qual grau a mesma se encontra dentro de você…

2) Uma vez que falamos que a Tibieza se lança sobre as almas que oscilam entre as virtudes e os vícios, também estamos afirmando que tais almas já experimentaram do amor paternal de Deus em suas vidas; e agora precisarão se recordar desta história de amor, e ter o desejo de viver uma vida santa, dedicada e exclusiva à Deus!
Será preciso se recordar dos propósitos de santidade e perfeição que você traz dentro de si, a aspiração de viver sob a graça de Deus…Resumindo: Você precisará trazer a resolução interior de sair desta situação e os propósitos de alcança – lá!
Santa Teresa diz: “O Senhor só deseja de nossa parte uma resolução decidida, o resto ele mesmo faz. O demônio não teme as almas irresolutas”
Mas o desejo, a resolução desta vida de santidade, se não te lançar na prática do ato da mudança, será apenas mais um passo em direção fracasso…
A Palavra de Deus diz: “Os desejos causam a morte do preguiçoso, pois suas mãos não querem fazer nada…” (Pv 21,25)
A vida cômoda jamais combaterá a Tibieza! A preguiça não poderá mais fazer parte do seu dia a dia, você nã poderá mais se permitir gastar seu tempo com coisa vãs que te inebriam, com coisas que seduzem os seus apetites ou suas paixões…

São Francisco de Sales diz: “É preciso começar com uma grande e firme resolução de dar-se inteiramente a Deus, prometendo-lhe que queremos pertencer-lhe para sempre, sem nenhuma reserva. Depois, renovar muitas vezes essa mesma resolução.”

3) A Oração e a Meditação, são por excelência o caminho seguro para vencer a Tibieza!
A alma que não se aplicar na prática da Oração e da Meditação, já saiba que estará colocando em risco todo o caminho percorrido. Pois a Tibieza e a Meditação não podem andar juntas. Uma ou outra há de perecer! São incompatíveis! Portanto, poderíamos dizer que a alma que medita constantemente, esta imune a Tibieza; e a alma que se percebeu tíbia, certamente se afastou da meditação!
Para que eu não coloque as minhas percepções sobre a importância da Meditação, selecionei alguns pensamentos de santos para iluminar este nosso caminho:

“A meditação põe em ordem as inclinações de nossa alma e dirige nossas ações para Deus; sem ela nossas tendências se voltam para a terra e nossas ações se dirigem conforme as mesmas e tudo cai em desordem” (São Bernardo)

“Se alguém perseverar na oração, ainda que o Demônio induza a cometer muitos pecados, o Senhor não deixará de reconduzi-lo ao porto da salvação” (Santa Teresa de Jesus)

“Embora pareça que não há imperfeições em nós, descobrimos grande número delas, quando Deus faz ver o nosso íntimo, o que Ele costuma fazer na meditação”. (São Bernardo)

“Quem não medita, não julga com severidade a si mesmo, porque não se conhece. A oração controla nossos afetos e dirige nossos atos para Deus” (São Bernardo)

“Quem deixa a meditação em pouco tempo se torna um animal ou um Demônio”. (Santa Teresa)

“Quem não medita muito, fica sem o laço de união com Deus. Nessa situação não será difícil para o demônio, encontrando a pessoa fria no amor de Deus, levá-la a se alimentar com uma fruta envenenada”. (Santa Catarina de Bolonha)

“Quem persevera na meditação, mesmo que o Demônio a tente de muitas maneiras, tenho certeza que o Senhor a levará ao porto da salvação… Quem não para no caminho da meditação, chegará, ainda que tarde” (Santa Teresa)

Sendo assim, é possível compreender que sem a Meditação diária, é impossível avançar! Nenhum outro remédio será tão eficaz como a Meditação! Que tal alma não invente “remédios” que por si só decidiu tomar. É preciso seguir a via daqueles mestres da vida espiritual que já percorreram este caminho com triunfo.
Meia hora de meditação cotidiana, bem preparada, bem feita, bem dosada, sem pressa, sem sonolência ou má vontade; e isso te levará a frutos concretos nestes seu processo!

4) Exame de Consciência e Sacramento da Confissão, também serão necessários para vencer a Tibieza. Fazer uma boa revisão de vida, pedindo ao Espírito Santo que “lhe convença” dos seus pecados, e lhe dê a graça da contrição dos mesmos.
Pois em geral o tíbio não abandona de vez a Confissão, mas certamente a realiza de qualquer jeito, de maneira mal feita, buscando confessores não tão rígidos, escolhendo confessores que não conhece, disfarçando por meio de palavras os pecados cometidos…Fazem na verdade uma confissão medíocre! Tem por meio de uma boa confissão a oportunidade de se livrar do fogo do Inferno, mas estão tão adormecidos, que preferem permanecer com o pé sobre o precipício…
Para os Tíbios, a Confissão não tem como propósito uma mudança de vida, o propósito de não mais voltar ao pecado; mas é simplesmente uma maneira de arranjar mais uma absolvição para poder comungar!
Por isso a Confissão é caminho obrigatório para as almas tíbias!

Coloquei propositalmente a Confissão e o Exame de Consciência após a Oração e a Meditação, pois há almas num estado tão avançado de Tibieza, que se não forem iluminadas com a ação do Espírito Santo por meio da Oração e da Meditação, continuarão a fazer uma Confissão inadequada! Mas se, entregando um tempo a Oração e a Meditação diárias, conseguirão enxergar mais claramente o estado de suas almas, sendo lançadas por meio da ação de Deus, a recorrer a Confissão de um modo mais digno!

5) A Eucaristia: A Eucaristia é o remédio mais sublime contra a Tibieza! Na Eucaristia esta contido o Corpo, o Sangue, a Alma e a Divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo; como poderia algo ser mais sublime e eficaz que Ele?!
O problema é o que tíbio se “acostumou” à Comunhão, para ele já não existe mais o “encantamento” de estar recebendo dentro de si, Aquele que lhe deu a vida!

Santa Teresa diz: “Não há melhor meio para se chegar à perfeição do que a comunhão frequente. Oh, como o Senhor a vai aperfeiçoando de um modo admirável!”

O Concílio de Trento ensina que a Comunhão nos liberta das faltas diárias e nos protege dos Pecados Mortais. E São Bernardo chancela nos ensinado que a Comunhão reprime as nossas paixões carnais, principalmente a ira e a sensualidade.
A Eucaristia nos livra das tentações diabólicas, e prepara o terreno do nosso coração para que as Virtudes possam habita-lo.
O Beato João de Ávila dizia: “Quem se afasta da comunhão frequente faz o papel do demônio”

E quantas vezes devo Comungar? Todos os dias se puder! Aos Domingos é obrigatório o cristão ir a Santa Missa, isso nem preciso mais dizer. Mas se de fato queremos nos libertar desta praga que é a Tibieza, devemos receber o Corpo e o Sangue de Jesus diariamente!

6) A Devoção a Santíssima Virgem Maria principalmente através da Oração do Rosário! O Rosário tem uma dupla graça para quem o reza. Além de conseguir ganhar as Indulgências que lhe são devidas, ele te leva a Oração Vocal e a Meditação, realidade essencial para combater a Tibieza, lembra?
Pois em cada mistérios somos chamados a meditar o nascimento, vida, paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo…Há diversas promessas de Nossa Senhora em sua aparições sobre as graças que Ela dispensa àqueles que recorrem ao Rosário. Entre essas graças:

O Rosário, fará reflorescer as virtudes, fará conseguir misericórdia para as almas. Atrairá os corações dos homens para o céu e os levará do amor do mundo ao amor de Deus e os elevará aos desejos das coisas eternas” (Bem-Aventurado Alano da Rocha)

Podemos dizer que o Rosário é uma das principais Terapias Espirituais a serem empregadas àquelas almas sub-julgadas pela Tibieza!

Sei que me estendi um pouco neste artigo – e que até poderia ter escrito mais – mas vi que foi necessário, por se tratar de algo tão sério em nossa caminhada cristã, e que pode estar passando desapercebido por nós! Podemos estar vivendo a Tibieza e empregando os remédios errados ou desnecessários, e sofrendo as consequências por isso!

Apesar da gravidade em que se encontra uma alma na Tibieza, jamais deixemos de confiar na Misericórdia Divina, que coloca à nossa disposição todos os meios necessários e nos dá todos os “instrumentos” para que saíamos vencedores!
Só não podemos esquecer que tudo isso precisa ser empregado de forma séria e enérgica para combate-lá!
Façamos do Espírito Santo o nosso grande companheiro de caminhada, pois submetidos à Sua ação em nossas vidas, logo colheremos dos melhores frutos!

Portanto, mãos à obra, temos um longo, mas belo processo a percorrer!

Quero saber o que você achou deste artigo! Não esqueça de deixar os seus comentários!

Deus abençoe você!

– Nos siga no Instagram
– Acompanhe também nossa Pagina no Facebook
– Se inscreva em nosso canal no Youtube
– Me acompanhe diariamente pelo Twitter

Créditos – Fonte: https://blog.cancaonova.com/livresdetodomal/tibieza-o-veneno-diabolico-que-inebria-almas/

O Natal NÃO é a festa de aniversário de Jesus!

Por | - ULTIMAS

Alguns pensam que celebrar o Natal é comemorar o aniversário de Jesus, mas esse nunca foi o sentir da Igreja a respeito deste tempo litúrgico

Alguns pensam que celebrar o Natal é comemorar o aniversário de Jesus; alguns chegam até a cantar “parabéns pra você”! Coisa totalmente fora de propósito, contrária ao sentimento da Igreja e fora do sentido da celebração dos cristãos. Então, se não celebramos o aniversário de Jesus, o que fazemos no Natal?

Antes de tudo é necessário entender o que é a Liturgia, a Celebração da Igreja.

Vejamos. O nosso Deus, quando quis nos salvar, agiu na nossa história. Primeiramente agiu na história de toda a humanidade, guiando de modo secreto e sábio todos os seres humanos e sua história. Basta que pensemos nos santos pagãos do Antigo Testamento — santos que não pertenceram ao povo de Israel: Sto. Abel, Sto. Henoc, São Matusalém, São Noé, São Melquisedec, São Jó, São Balaão… Nenhum destes pertencia ao povo de Deus… e no entanto, Deus agia através deles… Depois, Deus agiu de modo forte, aberto, intenso na história do povo de Israel, com as palavras de fogo dos profetas, com a mão estendida e o braço potente nas obras maravilhosas em benefício do seu povo eleito.

Finalmente, Deus agiu de modo pleno e total, fazendo-se pessoalmente presente, em Jesus Cristo, que é o cume, o centro e a finalidade da revelação e da ação de Deus: em Jesus, tudo quanto Deus sonhou para nós se realizou de modo pleno, único, absoluto, completo e definitivo! Então, o nosso Deus não se revela principalmente com ensinamentos, com doutrinas e conselhos, mas com ações concretas e palavras concretas de amor! E tudo isso chegou à plenitude na vida, nos gestos, palavras e ações de Jesus Cristo!

Pois bem: são estas obras salvíficas de Deus, realizadas de modo pleno em Jesus, que nós tornamos presente na nossa vida quando celebramos a Santa Liturgia, sobretudo a Eucaristia! Na força do Espírito Santo de Jesus, através das palavras, dos gestos e dos símbolos litúrgicos, os acontecimentos do passado — todos resumidos em Cristo: na sua Encarnação, no seu Nascimento, Ministério, Morte e Ressurreição e no Dom do seu Espírito — tornam-se presentes na nossa vida.

Vejamos, agora, o caso do Natal. Quando a Igreja celebra as cinco festas do Natal, ela quer celebrar não o aniversarinho do menininho Jesus… O que ela quer fazer e faz é tornar presente para nós, na força do Espírito Santo, a graça da vinda do Cristo! Celebrando a liturgia do Natal, o acontecimento do passado (a Manifestação do Filho de Deus) torna-se presente no hoje da nossa vida! Na liturgia do Natal a Igreja não diz: “Há dois mil anos nasceu Jesus”! Nada disso! O que ela diz é: “Alegremo-nos todos no Senhor: hoje nasceu o Salvador do mundo, desceu do céu a verdadeira paz!” (Antífona de Entrada da Missa da Noite do Natal).

Em Jesus, tudo quanto Deus sonhou para nós se realizou de modo pleno, único, absoluto, completo e definitivo!

Então, celebrando as santas festas do Natal, celebramos a Manifestação do Salvador no nosso hoje, na nossa vida, no nosso mundo! A liturgia tem essa característica: na força do Santo Espírito torna presente realmente, de verdade, aquele acontecimento ocorrido no passado. Não é uma repetição do acontecimento, nem uma recordação!É, ao invés, aquilo que a Bíblia chama de memorial, isto é, tornar presente os atos de salvação de Deus!

Agora vejamos: a Eucaristia é a celebração, o memorial da Páscoa do Senhor. Como é, então, que no Natal a gente celebra a Missa, que é a Páscoa? Como é que já no Natal a Igreja mete a celebração da Páscoa? É que a Eucaristia não é simplesmente a celebração da paixão, morte e ressurreição de Cristo! Essa seria uma idéia muito mesquinha, estreita! Em cada Missa é todo o mistério da nossa salvação que se faz presente, é tudo aquilo que Deus realizou por nós, desde a criação até agora… e tudo isso tem o seu centro em Jesus: na sua Encarnação, na sua vida e na sua pregação, e alcança seu cume na sua morte e ressurreição, na sua ascensão e no dom do Santo Espírito. Então, celebramos as cinco festas do Natal celebrando a Missa, porque aí o mistério, o acontecimento da nossa salvação se torna presente e atuante na nossa vida.

Voltando para casa após a Missa do Natal, podemos dizer: “Hoje eu vi, hoje eu ouvi, hoje eu experimentei, hoje eu testemunhei e hoje eu anuncio: nasceu para nós, nasceu para o mundo um Salvador! Ele veio, ele não nos deixou, ele se fez nosso companheiro de estrada!” Celebrando a Eucaristia do Natal, recebemos a graça do Natal, entramos em comunhão com o Cristo que veio no Natal, porque recebemos no Corpo e Sangue do Senhor o próprio Cristo que nasceu para nós, e, agora, Cristo ressuscitado, pleno do Santo Espírito! É incrível, mas a graça do Natal chega a nós mais do que chegou para Maria e José e os pastores e os magos. Porque eles viram um menininho no presépio, enquanto nós o recebemos dentro de nós, seu Corpo no nosso corpo, seu Sangue no nosso sangue, sua Alma na nossa alma, seu Espírito no nosso espírito… e não mais um menininho frágil, com esta nossa vidinha humana, mas o próprio Filho agora glorificado, com uma natureza humana imortal e gloriosa, que nos transformará para a vida eterna.

Então, que neste Natal ninguém cante parabéns para o Menino Jesus, nem fique com inveja dos pastores e dos magos… Também para nós hoje nasceu um Salvador: o Cristo ressuscitado, glorioso, que recebemos no seu Corpo e Sangue e cujo mistério celebramos nos gestos, palavras e símbolos da liturgia!

(Dom Henrique Soares da Costa, via Pe. Paulo Ricardo)

Roteiro – Conforto em meio as angustias – 03 a 09 de Dezembro

Por | - ULTIMAS, ROTEIRO DAS CÉLULAS

Leiam o roteiro com atenção. Ore e estude a proposta e a palavra de Deus com antecedência.

Download do Roteiro da Semana

ROTEIRO DA REUNIAO DE CELULA SEMANAL – 03 a 09 de Dezembro

==========================================================================================

Líder, incentive e participe da Grande Célula e do Grupo Parusia de Oração!

ATENÇÃO! Toda 4ª Sexta Feira do mês as 20h00 – ESCOLA DE LÍDERES

Download da declaração de Ideais para Imprimir: DECLARAÇÃO DE IDEAIS

Confira também o livreto de boas vindas à Célula em: Livro de Boas Vindas para as Células

Livreto de Músicas: MUSICAS PARA CELULA LIVRETO