A Comunidade

Uma vez ouvido o Seu chamado, não o poderíamos negar. E com certeza todos os dias Ele nos chamará a sermos Fidelidade. Sejamos, portanto, fiéis testemunhas, perseverantes e equilibrados em tudo que realizarmos. “Portanto, todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante do meu Pai que está no céu.”  (Mateus 10, 32). Esta promessa deve mover em nós o desejo de servir pelo Carisma Fidelidade, nos completando interiormente e espiritualmente.

A Comunidade Fidelidade foi fundada no mês de outubro do ano jubilar de 2000. O início dos trabalhos se deu no dia 12 deste mês.

A partir da leitura e interpretação do Evangelho de Mateus 5, 17–48, foi surgindo o Carisma da Comunidade Fidelidade. Inspirado e erigido pelo Senhor para propagar a Santidade e equilíbrio na história dos seus Membros Consagrados e pelo testemunho de vida dos mesmos, Santificar.

A Comunidade Fidelidade é uma associação pública de fiéis, de reconhecimento Diocesano, nascida na esteira dos novos movimentos pós-Concílio Vaticano II, constituída de fiéis católicos unidos em fraternidade, cujo objetivo é levar seus membros a uma vida santificante e equilibrada, buscando viver o batismo de maneira radical.

“Para um cristão, não é possível imaginar a própria missão na terra, sem a conceber como um caminho de santidade, porque “esta é, na verdade, a vontade de Deus: a [nossa] santificação” (1 Ts 4, 3). Cada santo é uma missão; é um projeto do Pai que visa refletir e encarnar, num momento determinado da história, um aspeto do Evangelho.” (G.E. nº19)

Queremos ser testemunhas e proclamadores da Santidade e do equilíbrio, se comprometendo em conduzir e unir a Jesus Cristo, Filho de Deus, fonte de toda a caridade e amor, todas as pessoas.

A Comunidade hoje é formada por leigos solteiros e casados, que consagram suas vidas a Jesus pelo carisma Fidelidade.

carisma

Partindo do coração Deus, o Carisma chegou ao coração do Fundador e consequentemente dos primeiros Membros, trazendo a necessidade de viver o testemunho na própria vida do chamado a Santidade.

O Carisma nos chama a “Buscar uma vida santificante e levar as pessoas a trilhar este caminho de busca pela Santidade” levando a autoridade de Cristo e sua imitação em nosso ordinário, em todas as ações que realizamos. Uma vida santificante de orações, moral cristã, justiça, equilíbrio espiritual e psicológico, nos reconciliando e reconciliando cada pessoa com sua própria história. (Ef 1, 4)

O Evangelho de Mateus 5, 17–48 é a página do nosso Carisma. E no versículo 48 temos a frase que o proclama: “Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai Celeste é perfeito”. (Mateus 5, 48.)

Assumindo como regra e direção o Evangelho neste capítulo, o Senhor nos pede que sejamos os Seus braços, o Seu coração, o Seu rosto, o Seu olhar, para receber todos com o Seu amor e infundir-lhes confiança para que retornem ao seio da igreja e ao caminho da santificação pessoal.

O Carisma Fidelidade é um sinal presente na sociedade, pelo testemunho da própria vida, bem como por iniciativas corajosas, quer individuais, quer comunitárias, na promoção da justiça e do bem-estar, particularmente no âmbito da vida pública, nos comprometendo com opções concretas e equilibradas, coerentes à fé católica.

 

A leitura da página inspiradora do Carisma deve ser um hábito pessoal e comunitário, pois é fonte de renovação para promover inspiração e dar direcionamento espiritual permanente para toda a Comunidade.

O nome

Em 2001 o Senhor nos deu o nome de Fidelidade. Comunidade Fidelidade. Nome que ressoa como um pedido, uma ordem, para sermos fiéis e obedientes ao Senhor e a sua Igreja, fortalecendo e confirmando assim o nosso perseverante Carisma. 

O Texto bíblico que inspirou o nome da Fidelidade é este: “Assim fala o Senhor: eis que volto a Sião, venho residir em Jerusalém. Jerusalém chamar-se-á a cidade-fidelidade, e a montanha de Sião, a montanha-santidade. ”  (Zc 8, 2)

Após o tempo de discernimento usamos o nome Comunidade Fidelidade e consequentemente com o reconhecimento Diocesano nos chamamos de: “Comunidade Católica Fidelidade.” (cf. Cân 300).

 

fundador

O que recebeu o chamado do Senhor, a inspiração do Carisma e idealizou a Comunidade Fidelidade para desenvolvê-lo. É o Fundador e Coordenador Geral o Prof. Daniel Tadeu de Oliveira, nascido em 28 de outubro de 1974 em São Bernardo do Campo, São Paulo. Filho mais velho da Sra. Ana Isabel Vinturini de Oliveira e do Sr. Irineu de Oliveira. Casado com Angélica Alves, cofundadora histórica da Comunidade desde 1995 e pais de três filhos.

Daniel formou-se em mecânica geral, onde trabalhou por muitos anos, depois pela necessidade formou-se computação com enfase em matemática e posteriormente Teologia e Filosofia. É pós graduado em Metodologia do Ensino Religioso e Capelania e Aconselhamento Cristão. 

Trabalha na área de TI e ministra cursos de formação cristã e Doutrina Católica, também é consultor da agência Católicos em Células e atual secretário da Frater das Novas Comunidades na Diocese de Santo André.

Autor do Livro Faz-me Fiel, onde retrata a Vida Vocacional e testemunhos colhidos nos mais de 20 Anos de missão.

Daniel - Dom Pedro - Angélica

Veja neste vídeo um pouquinho do testemunho de sua vocação pessoal e na Comunidade que foi gravado para o Ano Vocacional Diocesano na Diocese de Santo André.

 

Missão

O desenvolvimento de nossa missão deve acontecer nas famílias e na sociedade, desenvolvendo o evangelismo através de várias modalidades e em ações concretas.

A missão se estende ao acompanhamento e orientação discipular com formações, pela oração, auxiliando homens e mulheres a reconciliar-se com sua própria história, alcançando um equilíbrio pessoal em seus relacionamentos, experimentando na vida a misericórdia do Senhor. ”Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.” (Lc 6, 36)

Os atendimentos de oração, bem como, o aconselhamento pessoal, familiar, do casal, deve ser realizado com o objetivo de evangelizar por meio de orientação para o bem-estar psicoemocional e espiritual, promovendo um encontro com o Cristo libertador.

Nossos apostolados são: Colunas em Jornais locais, paroquiais e próprios, Rádio Web com transmissões ao vivo, Internet , música e animação litúrgica, células de evangelização oração nas casas, Missão nas casas para oração do terço e oração com as famílias, grupos de oração e seminários, vigílias e cercos de oração, Etc.

Produzimos, gravamos e transmitirmos formações para Evangelização, intercessões, seminários e formação de servos, pregações, atendimento de aconselhamento e orientação espiritual e psicológica, cursos de várias modalidades, etc.

Servimos nas Paróquias na ação liturgica, Formação para Pastorais, catequese, etc, quando solicitadas pelos Sacerdotes. Ajudamos em casas de recuperação com o carisma e mantemos um trabalho de retiros para recuperação espiritual.

Realizamos nossa ação e evangelismo por meio de células católicas com reuniões semanais que acontecem nas casas para prover um relacionamento efetivo com as casas já visitadas em atendimento das missões.

Mantemos a Sede denominada Casa São Bento. Nossa casa de missão e centro de evangelização para formações, retiros de atendimento e retiros espirituais.

Evangelizamos pelo relacionamento, no encontro semanal nos lares, formando pequenos cenáculos de oração com o princípio de Atos dos Apóstolos que chamamos de Células de Evangelização, formando discípulos de Cristo. 

Realizamos encontros mensais de fraternidade chamados de Grande Célula de Oração. Também realizem Grandes Células direcionadas aos Casais, Homens, Mulheres, Jovens e Crianças.

Sinal

A Cruz que usamos como Sinal de pertença é a mesma que está no centro de nossa logomarca acrescido de Símbolos e Sacramentais.

A logomarca e o anagrama possuem a cruz vazada no interior do “F”, já o sinal de pertença possui o anagrama estampado em sua face frontal.

Este é o Sinal utilizado pelos Membros Compromissados, Consagrados em Vínculo de Comunhão, Celibatários e Consagrados de Vida Fraterna em Comum.

Na parte frontal do Sinal: Ao centro da cruz temos dois círculos, ambos formados por 12 hexágonos, (símbolo das células), aludindo aos primeiros cristãos, a igreja primitiva viva no meio do povo. Os dois círculos também fazem alusão a coroa da salvação, nossa meta pela Santidade.

Contém no meio dos círculos o “CF”, iniciais do nome que nos foi dado lembrando-nos da nossa fidelidade a Deus, a igreja e ao Carisma.

Abaixo dos círculos temos o símbolo que os primeiros cristãos usavam, o peixe, ΙΧΘΥΣ.

ΙΧΘΥΣ: Acróstico proveniente de determinadas palavras gregas, cujas letras iniciais indicam: I (Jesus) X (Cristo) O (Deus) Y (Filho) E (Salvador) – (Se lê: IXITUS – ICHITUS)

Acróstico: Forma de texto em que as primeiras letras de cada linha (ou parágrafo) formam verticalmente uma (ou mais) palavras.

Para formar a palavra IXOYE são utilizadas as seguintes palavras gregas:

1.  Ιησους – (Iesous, que significa “Jesus”) – o nome da primeira letra é “iota”.

2.  Χριστóς – (Xristos, que significa “Cristo”) – o nome da primeira letra é “chi”.

3.  Θεοῦ – (Theou, que significa “Deus”) – o nome da primeira letra é “theta”.

4.  Υἱός – (Yios, que significa “Filho”) – o nome da primeira letra é “upsilon”

5.  Σωτήρ – (Sotare, que significa “Salvador”) – o nome da primeira letra é “sigma’”

Desenho do Peixe: ΙΧΘΥΣ é também a palavra grega ἰχθύς (icthus) que significa “peixe”. Propositalmente usado pelos cristãos perseguidos. Quando se escreve em letras maiúsculas fica: ΙΧΘΥΣ. O peixe é considerado um dos primeiros símbolos usados pelos cristãos para professarem a sua fé. Está associado à frase que Jesus Cristo disse aos pescadores: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens” (Mateus 4:19), uma metáfora para proclamarem o Evangelho entre os homens.

Na parte traseira do Sinal: No topo temos gravado a página do Carisma que está no evangelho de Mateus 5, 17 – 48. Isto para recordarmos sempre da página de nosso Carisma e refazer a leitura da inspiração.

Ao centro uma face da medalha de São Bento. A Medalha de São Bento é um sacramental reconhecido pela Igreja com grande poder de exorcismo. Os sacramentais “são sinais sagrados por meio dos quais, imitando de algum modo os sacramentos, se significam e se obtêm, pela oração da Igreja, efeitos principalmente de ordem espiritual”.

Abaixo da medalha no verso, temos novamente o peixe, ΙΧΘΥΣ.

E na parte inferior temos uma face da medalha de Nossa Senhora das Graças. Disse a Virgem: “Fazei cunhar uma medalha por este modelo; todas as pessoas que a usarem receberão grandes graças, trazendo-a ao pescoço; as graças serão abundantes para as pessoas que a usarem com confiança.

Os Sacramentais produzem seu efeito, no dizer teológico, “Ex opere operantis” (pela ação daquele que opera), isto é, depende da boa disposição dos que os operam, servindo-se também como cadeia para os consagrados a Nossa Senhora.

Este é o nosso sinal de pertença. O uso deste sinal é para que sejamos identificados e reconhecidos como parte, pertencentes a uma comunidade fraterna, Católica Apostólica Romana e como sacramental pelos sinais que carregam.